Publicidade

Estado de Minas INVESTIGAÇÃO

Universidade expulsa 15 estudantes por fraude em cotas raciais

Outros dois tiveram os diplomas cassados e créditos anulados; alunos são de sete cursos diferentes, incluindo direito e medicina


14/07/2020 16:21

As medidas são resultado de uma investigação iniciada em 2017 (foto: Ed Alves/CB/D.A Press )
As medidas são resultado de uma investigação iniciada em 2017 (foto: Ed Alves/CB/D.A Press )
A Universidade de Brasília (UnB) expulsou 15 estudantes acusados de fraudes no sistema de cotas raciais. A decisão foi assinada nesta segunda-feira (13/7) pela reitora da instituição Márcia Abrahão. 
Além dos 15 alunos, outros dois egressos de direito tiveram os diplomas cassados e oito, que já estavam afastados da universidade por outros motivos, tiveram créditos anulados. Quatro dos estudantes expulsos eram de medicina, quatro de direito, três de ciências sociais, um de letras, um de ciências da computação, um de engenharia de software e um de medicina veterinária.

As medidas são resultado de uma investigação iniciada em 2017. A instituição recebeu a denúncia de fraude no sistema de cotas por parte de 100 estudantes e a administração abriu a sindicância para analisar os casos. 

De acordo com a UnB, 73 alunos foram descartados do processo, seja porque tinham direito de fato às cotas raciais, ou porque não tinham se beneficiado dessa reserva de vagas.  Outros 28 continuaram na investigação. Todos tiveram direito à ampla defesa. 

Trata-se de uma decisão inédita na instituição. A universidade afirma que continua atenta a eventuais casos de fraude. 
 
Denúncias 
No início de junho deste ano, iniciou-se nas redes sociais um movimento de exposição de casos em que cotas foram fraudadas. Em perfis anônimos foram divulgadas imagens de universitários de visual branco que possivelmente fraudaram o processo seletivo que beneficia  pessoas de baixa renda negras ou indígenas. 

O caso ganhou repercussão e no Distrito Federal, um estudante acusado pela perfil do twitter “fraudadores de cota da UnB” entrou com ação na Justiça. O juiz titular da segunda Vara Cível de Ceilândia determinou que o Twitter excluísse da rede social mensagens postadas pela página, além de e entregar os dados cadastrais dos perfis que proferiram comentários agressivos contra o autor da ação, sob pena de multa de R$ 1 mil por dia de descumprimento. 

Na época, a UnB informou em nota que “as denúncias mais recentes (de fraude) estão sendo analisada por uma comissão do Decanato de Ensino de Graduação” e que “a instituição só pode apurar denúncias formais, feitas por meio da Ouvidoria (ouvidoria@unb.br)”. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade