Publicidade

Estado de Minas ESPECIAL EDUCAÇÃO

Um olhar humano


postado em 09/02/2020 04:00

Professor Marlon Silva dedica atenção aos alunos com dificuldades(foto: Edésio Ferreira/em/d.a press)
Professor Marlon Silva dedica atenção aos alunos com dificuldades (foto: Edésio Ferreira/em/d.a press)


Um olhar diferenciado com atenção integral ao aluno dentro e fora da escola pode estar entre as razões que levam a rede de colégios Chromos a um bom resultado em aprovações tanto nas instituições do ensino superior quanto nas melhores escolas públicas do ensino médio, como Coltec, Cefet ou Militar.
 
Estar antenado às tendências de movimentação da juventude que extrapolam os muros escolares é um passo adiante na construção de um conteúdo de conhecimento que seja atrativo ao aluno, explica a diretora do Chromos de Lagoa Santa, Cristina Detomi, que, em 2019, conseguiu emplacar primeiros lugares em diversas instituições. “A equipe de educadores da rede saiu em primeiro lugar entre as demais, em todo o país, acertando 179 entre as 180 questões das provas no Enem”, afirma orgulhosa.
 
A escolha desses profissionais, muitos deles ainda jovens, tem “um pouco de intuição”, mas conta com a experiência e capacidade dos responsáveis pela seleção em “captar” esse perfil, revela a dirigente.
 
De acordo com Tatiane Rocha de Lira, coordenadora do ensino médio, em Lagoa Santa, por mais que as provas do Enem tenham focado em tecnologia, o olhar sobre o valor humano tem que ser considerado e priorizado.
 
O emocional nas avaliações formais é trabalhado desde o início, a partir da educação infantil, para que não cause impactos nesses momentos de medição do conhecimento. “É importante que eles saibam que sempre haverá momentos de avaliação, mas é importante que saibam que não é o único e esse preparatório é diluído ao longo dos anos, como uma rotina, na qual o professor provoca e motiva o estudante a entender que é capaz, um estímulo à autoestima.”
 
Marlon Silva, professor de matemática nas unidades de Lagoa Santa, Barreiro e Venda Nova, conta que a escola proporciona ao aluno o acompanhamento desde os primeiros passos, já que oferece a educação a partir do ensino infantil, mas, independentemente do ano de ingresso, há todo um sistema de aprimoramento que garante os bons resultados. Marlon leciona para alunos do oitavo e nono anos e também para as três séries da ensino médio. “Se o estudante apresenta algum nível de dificuldade, pesquisamos a origem e dedicamos especial atenção para que seja superada.”

HABILIDADES Com o propósito de motivar estudantes a aprender e a se esforçar cada vez mais, o Elite Rede Ensino, no Bairro Floresta, desenvolveu o projeto Mentalidade de Crescimento, com referências da obra da pesquisadora Carol Dweck, professora de psicologia norte-americana, conhecida por seu trabalho no traço psicológico da mentalidade e pioneira no estudo sobre o desenvolvimento pessoal e a personalidade.
 
O projeto considera que a aprendizagem precisa ser constante e requer esforços. “Quando um aluno entende que o fator determinante para o sucesso é o seu próprio esforço e empenho, ele se torna protagonista do processo de aprendizagem e desenvolve autoconfiança para enfrentar novos desafios e realizar os seus sonhos”, diz Renata Rotenberg, professora do Elite e uma das idealizadoras do projeto.
 
No decorrer das aulas, os professores têm quatro pilares como base: plasticidade (o seu cérebro pode se desenvolver), motivação para iniciar, motivação para continuar, e prática deliberada (treinando para excelência).
 
Os alunos aprendem a romper com a ideia de que inteligência ou talento são inatos, passam a analisar o cérebro como passível de construção a partir do esforço e da repetição e diferenciam mentalidade fixa da mentalidade de crescimento.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade