Publicidade

Estado de Minas MEIO AMBIENTE

Produção de horta escolar promove mudanças de hábitos alimentares

Cuidado com a alimentação e a origens dos alimentas fazem parte de projetos pedagógicos de colégios mineiros


postado em 30/10/2019 13:00 / atualizado em 30/10/2019 14:06

Alunos do Colégio Logosófico participam de atividades na horta escolar(foto: Colégio Logosófico/divulgação)
Alunos do Colégio Logosófico participam de atividades na horta escolar (foto: Colégio Logosófico/divulgação)


Imagine uma escola cercada de prédios, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, onde as crianças têm o privilégio de plantar e colher verduras e hortaliças e ainda comer ovos frescos. Como forma de estimular a alimentação saudável e informar os alunos sobre origem dos alimentos, o Colégio Logosófico-Unidade Funcionários mantém horta e galinheiro no pátio. A atividade faz parte do projeto pedagógico da escola, que há quase uma década desenvolve um trabalho de conscientização sobre importância da dieta saudável e colhe bons resultados com a iniciativa. “Conseguimos o mais importante: mudar hábitos. No passado, havia uma fila enorme na cantina para o pastel frito. Hoje, as frituras não existem no cardápio e grande parte dos alunos pede frutas”, conta a diretora Liara Salles.
 
A taxa de obesidade entre os estudantes é pequena, segundo a nutricionista do colégio Ana Cecília Rodrigues Ferreira. “O índice é de 6%, muito abaixo da média nacional. Realizamos a avaliação nutricional das crianças e adolescentes de seis em seis meses”, relata. No Brasil, de acordo com dados do Ministério de Saúde, mais de 40% da população se encontra acima do peso.
 
O trabalho de estimulo à alimentação saudável começou com retirada de frituras, salgados contendo embutidos, refrigerantes e balas da cantina frequentada pelos adolescentes dos ensinos médio e fundamental 2. Para beber, os alunos podem pedir sucos, água de coco e chá. As opções de salgados incluem hoje pastéis assados e pão de queijo. Os alunos podem também comprar frutas em unidade, como maçã e banana, ou picadas, como melancia e melão. O cardápio inclui ainda bolo, barras de arroz ou de cereais, além de cookies.
 
“Passamos a receber agora pedidos dos alunos de salgados vegetarianos e integrais. Achei interessante porque vieram deles. Estamos providenciando com um fornecedor um kit saudável para os veganos e vegetarianos”, conta a diretora Liara Salles.
 

PIRÂMIDE ALIMENTAR

 
Às crianças menores, dos ensinos infantil e fundamental 1, que não consomem o lanche da cantina, o Colégio Logosófico serve sucos naturais ou de uva integral, acompanhados de frutas e outros itens como minipizzas de massa integral, pão de queijo e sanduíches leves de pão integral. Há ainda opções de castanhas, ovo, tomate-cereja, cookie integral e bolos.
 
Uma vez por mês, a nutricionista vai à sala de aula falar aos pequenos sobre a importância da alimentação saudável. “Levo frutas da época para eles conhecerem, faço joguinhos relacionados à nutrição, explico sobre a pirâmide alimentar e até preparamos juntos um lanche na cantina. No começo eles não tinham muito costume de comer frutas, agora já têm”, conta Ana Cecília.
 
A escola serve almoço para os alunos maiores, que estudam em dois turnos. São quatro tipos de saladas por dia, arroz, feijão, uma guarnição e carne. “Cada turma planta uma coisa: cebolinha, salsa, tomate, cenoura. Aprendem sobre a origem dos alimentos e que não nascem do sacolão!, conta Liara Salles.
 

CUIDADO COM A TERRA

Plantar uma muda, cuidar da horta e preparar uma compostagem. Essas atividades fazem parte do dia a dia dos alunos do Instituto Educacional Ouro Verde (INOV), em Nova Lima, uma forma de ação pedagógica que desperta o interesse dos alunos para a importância do cuidado com a terra, o respeito ao meio ambiente e o compromisso com a qualidade de vida das futuras gerações.
 
Diretora de Ecologia da Associação Mantenedora da escola, Izabel Stewart diz que a matéria de agroecologia é tratada como uma disciplina semelhante a matemática, português ou história. O currículo, segundo Izabel, acompanha as fases de desenvolvimento de cada faixa etária. No jardim de infância, as crianças ouvem histórias sobre a terra e têm a chance de observar atentamente a natureza, passeando pela Mata do Jambreiro, onde a escola está localizada.

“No ensino fundamental, os alunos aprendem sobre os usos mais comuns de algumas plantas nativas e têm aulas sobre composição de solo, formas de plantio e colheita. Além disso, cultivamos o cuidado com a alimentação e a gestão de resíduos, estabelecendo uma coerência entre o respeito pelo meio ambiente e a responsabilidade pela saúde do próprio corpo”, diz Izabel.
 
O Instituto Ouro Verde, conforme a diretora, alia os preceitos da Pedagogia Waldorf aos de uma Escola Verde, em um programa educativo que estimula continuamente nas crianças o amor à natureza e o respeito à diversidade.  


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade