Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Cheia de novidades


postado em 01/02/2019 05:09

Botequim Sapucaí aposta em drinques e cervejas especiais(foto: Fotos: Marcos Vieira/EM/D.A Press)
Botequim Sapucaí aposta em drinques e cervejas especiais (foto: Fotos: Marcos Vieira/EM/D.A Press)

 

Desde 2012, quando intenso processo de reocupação conferiu popularidade à Rua Sapucaí, ela se tornou um importante cartão-postal, corredor gastronômico e ponto de encontro no Bairro Floresta, em Belo Horizonte. Estabelecimentos de renome já pintaram por lá: Benfeitoria, Gruê e Pecatore fizeram sucesso, mas com vida curta. Hoje, a Sapucaí abriga bares e restaurantes informais mais antigos, além de novos empreendimentos que apostam na bela vista do Centro da cidade para atrair a clientela.


Coproprietário da Salumeria Central, André Hallak conta que a rua não tinha vida noturna quando a casa foi aberta, há sete anos. “De alguma forma, influenciamos as mudanças. Toda a Sapucaí adquiriu um clima que corresponde à proposta que trouxemos para cá”, diz Hallak. Ele administra o restaurante ao lado do artista visual Éder Santos e da chef Ana Motta, responsável pelo comando da cozinha.
A carne suína é a estrela do cardápio da casa, que passou por recente reformulação. O risoto de linguiça de pernil artesanal com arroz arbóreo, tomatinhos e folhas mineiras (R$ 48, prato individual) é uma das novidades. Outra novíssima opção é o nhoque com ragu de linguiça e ora-pro-nóbis (R$ 52). A panturrilha segue entre os pratos clássicos, acompanhada de batatas confitadas no azeite e legumes assados (R$ 53).

GALOPÉ Quando o Gruê fechou as portas, no início de 2018, os proprietários do restaurante ao lado viram a chance de ampliar o espaço. Aberto desde 2015 sob os cuidados de Elmo Barra e Gustavo Castro, o Dorsé comporta agora 80 pessoas – o dobro em comparação ao ano passado. “Havia demanda reprimida, principalmente no almoço e nos fins de semana”, conta Elmo. A expectativa é abrir, em breve, um salão no segundo andar, com capacidade para mais 20 clientes.
Com o ambiente reformulado, o chef resolveu incluir novos pedidos no cardápio. A porção de pastel de galopé, com oito unidades, chega à mesa com vinagrete de jiló (R$ 33). “O recheio é uma comida mineira mais interiorana, de bastante sustança, que mistura galo e pé de porco”, explica Elmo.


Outra novidade é a carne de lata (R$ 33), feita por Elmo em fogão a lenha em Piedade do Rio Grande, sua cidade natal. O pernil suíno braseado, armazenado na própria banha, acompanha angu mole e panc (plantas alimentícias não convencionais) do dia, que pode ser maria-gondó, ora-pro-nóbis, taioba ou outra. A exclusiva porção de coxinha de tapioca, com carne de sol e queijo coalho, é campeã de vendas (R$ 33). Vegetarianos podem optar pelo recheio de ricota com espinafre (R$ 33).


Para beber, há carta de vinhos com 20 rótulos, chopes e cervejas especiais, além de drinques para o verão. É o caso do ginconcanela, gim tônica com canela (R$ 23).

BOTEQUIM
Alfredo Lanna Neto e Rafael Cruz comandam o Botequim Sapucaí, aberto há dois anos. No almoço, oferecem pratos executivos. À noite, o cardápio reúne entradas, porções, sanduíches e pratos individuais. A bochecha de porco é servida com purê de banana-da-terra e couve crispi (R$ 39). O espaguete vegano é feito com massa grano duro, almôndegas de funghi e molho de tomate (R$ 36). Entre os petiscos, destaca-se o croquete de costelinha de porco desfiada com catupiri (R$ 29, oito unidades).


As cachaças saborizadas fazem sucesso. A de alecrim e pimenta rosa acompanha a caipirinha especial de maracujá, enquanto a de cravo e hortelã é batida com morango. Todas custam R$ 20. A carta de cervejas reúne 40 rótulos mineiros.

SANDUÍCHES
Comandada pelos irmãos Daniel e Felipe Carvalho, a hamburgueria Burger’s Club desembarcou na Sapucaí há dois anos. Os sanduíches são batizados com nomes de artistas. Campeão de vendas, o Bob Marley leva hambúrguer, cheddar, alface, tomate, bacon e cebola crispy em pão australiano (R$ 22,90). Duas estrelas do R&B se destacam: Aretha Franklin, com brioche, burger, cheddar, alface, tomate e bacon (R$ 21,90), e Nina Simone: burger de picanha, cheddar e cebola caramelizada em pão australiano (R$ 21,90).


“No início, tentamos focar no rock ‘n’ roll, mas gostamos da ideia de relacionar os ingredientes de alguns sanduíches à origem dos artistas”, diz Daniel. Entre as novidades está o Cartola: pão de brioche, hambúrguer, alface, tomate, muçarela, bacon e batata palha (R$ 23,90). Em todas as opções, a carne pode ser substituída por hambúrguer de soja.


Publicidade