Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Doces lembranças


postado em 26/05/2019 04:06

(foto: Nani Rodrigues/Divulgação )
(foto: Nani Rodrigues/Divulgação )

 

Poderia ser em qualquer cidadezinha mineira. Bolo saindo do forno, café coado na hora, muitas quitandas na mesa. Mas o Copa Cozinha está logo aqui, no Mercado Novo, bem no Centro de Belo Horizonte. Três amigas do interior de Minas se uniram justamente para matar a saudade de casa e compartilhar deliciosas receitas. Júlia Queiroz, designer de produto, cuida do forno e do fogão. É dela a receita do crocante, biscoito com massa amanteigada que se tornou marca registrada do espaço e pode ser recheado com goiabada cascão, doce de leite ou bananada. Na pequena cozinha, ela prepara o cream cheese para fazer a torta cremosa que, a cada estação, tem um sabor diferente. Já as quitandas, como biscoito de polvilho e sequilho de canela, são produzidas em Bom Despacho pelas tias de Júlia e da irmã, a administradora Cristina Gontijo. As sócias também prestigiam os comerciantes do Mercado Novo, que fornecem broa de fubá, chás e limonada. Os quitutes são servidos aos fins de semana, no café da manhã ou da tarde. “É a refeição que mais gostamos mesmo. Podemos dizer que é uma unanimidade entre nós três a paixão por rosca, leite, manteiga, chá”, comenta a designer de moda Maíra Sette, que é de Resende Costa. Além de servir comida, o espaço tem vocação para promover encontros, seja festa de aniversário, casamento ou um café entre amigos para compartilhar receitas. O importante é se sentir em casa.

 

Do campo à mesa

Foi-se o tempo em que os importados eram tudo na cozinha. Hoje o ingrediente mais precioso pode estar bem debaixo do nariz. Com o tema “Do campo à mesa”, a 18ª edição do BH Restaurant Week apresenta receitas criadas com produtos locais. “Já temos percebido esse movimento há um tempo nos restaurantes e queremos contribuir para a questão da sustentabilidade. Além disso, acreditamos ser muito mais saudável para o consumidor”, justifica o idealizador Fernando Reis Júnior. O menu do Alma Chef, no Bairro Lourdes, reflete um trabalho antigo do restaurante de identificar pequenos produtores. Para fazer a salada, o chef Caio Soter utiliza uma seleção de folhas e vegetais orgânicos colhidos em uma fazenda em Capim Branco. Eles são temperados com vinagrete de jerez. Já o creme de abóbora assada tem mel silvestre de Três Corações e queijo do Serro. Entre as sobremesas, o pão de chocolate vai acompanhado de sorvete feito por uma gelateria de BH com café de Ervália e caramelo salgado. “Não adianta olhar para a trufa e deixar de lado o açafrão da terra. Temos que parar de pensar que só importado é bom e perceber que temos produtos incríveis. Se não valorizarmos o que temos, ninguém mais vai”, aponta Caio. Os pratos do Restaurant Week estão disponíveis até 9 de junho.


Churrasco mineiro

Sucesso em São Paulo, o Churrascada será realizado pela primeira vez em Belo Horizonte. Lançado numa época em que não se falava de festival de carnes no Brasil, o evento ganhou fama por apresentar o churrasco em várias versões. Nesta edição, marcada para 8 de junho, os chefs mineiros são o destaque. “Prezamos sempre por características locais. Em BH, queremos resgatar o churrasco mais mineiro, como algo do charque e de boteco”, explica o sócio-produtor Felipe Aversa. Kiki Ferrari, por exemplo, vai preparar uma versão caipira do shawarma com sobrecoxa de frango. Os ingressos custam R$ 400 e podem ser adquiridos pelo site www.ingresse.com/churrascada-bh.


Publicidade