UAI
Publicidade

Estado de Minas CINEMA

Ator Vincent Lindon, de 'Titane', vai presidir o júri do Festival de Cannes

Desde 2009, quando Isabelle Huppert foi a presidente, um francês não ocupava o cargo. Quatro homens e quatro mulheres fazem parte do corpo de jurados em 2022


26/04/2022 19:55 - atualizado 26/04/2022 19:55

O ator Vincent Lindon acena, cercado de fotógrafos, durante a edição do Festival de Cannes realizada em 2021
Vincent Lindon no Festival de Cannes em julho de 2021, quando o filme "Titane", do qual fez parte, ganhou a Palma de Ouro (foto: Valerie Hache/AFP/14/7/21)

Três semanas após completar 75 anos, o Festival Internacional de Cinema de Cannes anunciou, na terça-feira (26/4), a composição de seu júri, que será presidido pelo francês Vincent Lindon. Premiado em 2015 como melhor ator, ele teve enorme repercussão com “Titane”, filme vencedor da Palma de Ouro em 2021.

O ator, de 62 anos, assume o lugar do roteirista e diretor americano Spike Lee, que, com seu júri, concedeu o prêmio máximo do festival ao filme de Julia Ducourneau em 2021.

ORGULHO

“É com imensa honra e orgulho muito grande que me concederam, em meio ao tumulto dos acontecimentos que estamos vivendo no mundo, a esplêndida e pesada tarefa de presidir o júri do festival”, disse Lindon, por meio de comunicado da organização do evento.


“Com meu júri, nos esforçaremos para cuidar o melhor possível dos filmes do futuro, que guardam o mesmo segredo da esperança, valor, lealdade e liberdade, cuja missão é comover o maior número de mulheres e homens falando de suas feridas e alegrias”, enfatizou Lindon. “A cultura ajuda a alma humana a se elevar e a ter esperança no amanhã.”


A 75ª edição do festival será realizada de 17 a 28 de maio, na cidade costeira da França.

O ator Vincent Lindon, sem camisa, olha para cima em cena do filme Titane, no qual interpretou o bombeiro Vincent
Lindon fez o papel de Vincent, capitão dos bombeiros, em 'Titane' (foto: Mubi/divulgação)


Alguns veículos de imprensa apostaram na atriz espanhola Penélope Cruz ou na francesa Marion Cotillard para presidir o júri deste ano. Nenhuma personalidade da França havia comandado os jurados desde 2009, quando a missão ficou a cargo da atriz Isabelle Huppert.


Ao eleger Lindon, o festival aposta em alguém fiel a Cannes: desde 1987, o ator esteve presente em nove filmes competidores.

Além de Lindon, o júri será composto por quatro homens e quatro mulheres: a atriz e diretora britânica Rebecca Hall (que atuou em “Vicky Christina Barcelona”), a atriz indiana Deepika Padukone, a atriz sueca Noomi Rapace, a diretora e atriz italiana Jasmine Trinca, o diretor iraniano Asghar Farhadi (que ganhou o Grande Prêmio do Júri de Cannes com “Um herói” em 2021), o diretor francês Ladj Ly, o diretor americano Jeff Nichols e o diretor norueguês Joachim Trier.

''Com meu júri, nos esforçaremos para cuidar o melhor possível dos filmes do futuro, que guardam o mesmo segredo da esperança, valor, lealdade e liberdade, cuja missão é comover o maior número de mulheres e homens falando de suas feridas e alegrias''

Vincent Lindon, ator


CATALÃO NA DISPUTA

Este ano, o espanhol Albert Serra competirá com “Tourment sur les iles”. Autor de “A morte de Luis XIV” (2016), com Jean-Pierre Léaud no papel do soberano moribundo, o cineasta catalão, de 46 anos, testará sua sorte com uma história de amor escrita e protagonizada pelo francês Benoit Magimel.


Também concorrem à Palma de Ouro o mestre do cinema canadense de terror e ficção científica David Cronenberg, o diretor americano James Gray e a cineasta francesa Claire Denis. Cerca de 2 mil filmes foram apresentados para a seleção oficial.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade