UAI
Publicidade

Estado de Minas MÚSICA

Orquestra de Câmara Sesiminas destaca as cordas em seu concerto presencial

Peças de Cláudio Santoro, Ernst Mahle, Villa-Lobos e Edino Krieger fazem parte do repertório desta quinta-feira (18/11), em apresentação para 660 pessoas


18/11/2021 04:00 - atualizado 18/11/2021 07:41

De roupas pretas, integrantes da Orquestra de Câmara Sesiminas posam com seus instrumentos, no palco do Teatro Sesiminas
Orquestra de Câmara Sesiminas comemora seus 35 anos em 2021 (foto: Rafael Motta/divulgação)
A Orquestra de Câmara Sesiminas apresenta o concerto “Música brasileira para cordas”, nesta quinta-feira (18/11) à noite, em BH. Sob regência do maestro Felipe Magalhães, o grupo vai interpretar peças de Cláudio Santoro, Heitor Villa-Lobos, Edino Krieger e Ernst Mahle.

“Faremos peças escritas exclusivamente para orquestras de cordas”, informa o maestro, explicando que essas formações costumam interpretar composições criadas para outros grupos de instrumentos, arranjadas para cordas.

VIOLA 

O concerto começa com “Ponteio”, do amazonense Cláudio Santoro (1919-1989). “É um compositor brasileiro muito importante do século 20, cuja rica obra passeia tanto pela música tonal quanto atonal, serial e tudo mais. ‘Ponteio’ lembra um pouco essa coisa da moda da viola, com os instrumentos graves fazendo o acompanhamento, e os violinos, a melodia cantada pelo violeiro.”

Em seguida, o grupo apresentará a “Suíte para cordas”, do catarinense Edino Krieger. “Ele está com mais de 90 anos, é um autor muito importante. Com quatro movimentos, a peça mostra muita técnica composicional – o último movimento é uma fuga nos moldes das bachianas. Inclusive, lembra muito as bachianas de Villa-Lobos”, diz Felipe Magalhães.

Em seguida, virá “Prelúdio” da “Bachianas brasileiras nº4”, do carioca Heitor Villa-Lobos (1887-1959). “É aquela peça famosíssima dele. Na verdade, foi escrita originalmente para piano solo, mas depois ganhou a versão para cordas criada por Villa-Lobos, que acabou sendo a mais tocada”, explica o regente.

A última peça do concerto foi composta por Ernst Mahle, de 92 anos, alemão que chegou ao país na década de 1950 e se naturalizou brasileiro. Pedagogo, ele fundou uma escola Piracicaba, no interior de São Paulo, onde trabalha até hoje.

“Ernst Mahle faz um trabalho importante de formação, é um grande conhecedor da música brasileira. Pesquisou muito a música folclórica, temas brasileiros e ritmos”, comenta Magalhães. A orquestra vai apresentar a “Suíte nordestina”, que traz temas recolhidos pelo autor no Nordeste.

O maestro destaca que o Teatro Sesiminas já opera com a capacidade total – 660 lugares. “Será uma noite agradável de música brasileira, desta vez apenas com a nossa orquestra, que está completa. Fazemos muitos concertos com solistas convidados, o que é ótimo também, mas agora quis uma apresentação dedicada ao repertório somente para cordas.”

Felipe Magalhães adianta que também vai conversar com a plateia, comentando e explicando o repertório. “Isso nos aproxima do público”, conclui.

O maestro Felipe Magalhães segura a batuta enquanto rege
(foto: Rafael Motta/divulgação)

"Fazemos muitos concertos com solistas convidados, o que é ótimo também, mas agora quis uma apresentação dedicada ao repertório somente para cordas"

Felipe Magalhães, maestro

MÚSICA BRASILEIRA PARA CORDAS

Concerto da Orquestra de Câmara Sesiminas. Nesta quinta-feira (18/11), às 20h30. Teatro Sesiminas, Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia. Ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada), à venda na bilheteria ou no site Sympla. Informações: (31) 3241-7181.

PROGRAMA

» Cláudio Santoro
“Ponteio”

» Edino Krieger
“Suíte para orquestra de cordas”: “Abertura”, “Ronda breve”, “Homenagem a Bartok” e 
“Marcha -rancho”

» Heitor Villa-Lobos
“Bachianas brasileiras Nº 4”: “Prelúdio”

» Ernst Mahle
“Suíte nordestina”: “Allegro moderato” e “Andantino”


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade