UAI
Publicidade

Estado de Minas

APLAUSOS DE PÉ NO TEATRO


27/09/2021 04:00 - atualizado 27/09/2021 07:35

 Clarice Niskier e Isio Ghelman em cena de
Clarice Niskier e Isio Ghelman em cena de "Coração de campanha", em cartaz no CCBB-BH até 17 de outubro (foto: J. Braga/Divulgação)

 
Além da exposição “A tensão” , o CCBB-BH está com duas peças teatrais em cartaz: “ Coração de campanha ”, de Clarice Niskier, e " Vamos comprar um poeta " (infanto-juvenil), dirigido por Duda Maia. A programação de teatro do espaço foi retomada no mês de julho passado, com temporada híbrida do musical “A hora da estrela ou O canto de Macabéa", protagonizado por Laila Garin.  
 
“Coração de campanha” estreou no último dia 17. Com Clarice Niskier e Isio Ghelman no elenco, a peça mostra um casal em plena crise conjugal e na iminência de separação que precisam enfrentar a quarentena sob o mesmo teto. A trama é inspirada na experiência pessoal da atriz e autora do texto.

Para ter acesso às sessões, o público é orientado a higienizar as mãos com álcool em gel e passa pela medição de temperatura, no momento da apresentação do bilhete. Todos precisam informar seus dados na bilheteria para o rastreio de possíveis infecções.  

O distanciamento também deve ser respeitado, com a ocupação de assentos, conforme orientação dada na entrada da sala. Dentre os 264 assentos, 158 estão liberados para uso (limite de 60% de ocupação). É obrigatória a utilização das máscaras no interior do teatro. Bebidas e alimentos não estão sendo comercializados.
 
Elderlan Vieira, de 32 anos, foi conferir sua primeira peça desde o início da pandemia de COVID-19 na última segunda-feira. “É uma mistura de nostalgia com ansiedade e alegria por ver a arte voltando de novo”, afirma.
 
Bruno Caldeira, de 47, acredita que o retorno possibilita ressignificar a arte teatral e a valorização do público. “Acho interessante os artistas perceberem que nós não somos um número, somos pessoas que estão na plateia. Então agora eles também vão ter que entender que esse novo normal é contar com quem vem, com quem está aqui. De certa maneira, existe uma valorização dessas pessoas que estão vindo”, afirma.   
 
Nadieh Deslandes, de 57, sentou-se na primeira fileira para ver todos os detalhes. “Eu amo ver de perto a expressão facial, eu gosto de ver o olho com lágrimas, de sentir muito de perto. Eu sou até um pouco exagerada, mas eu adoro estar aqui bem cara a cara com eles (osatores).”  

Profissional da área da saúde pública, ela elogia os protocolos adotados pelo CCBB. “Eu achei superinteressante que eles tenham feito o cadastro do telefone celular e do nome completo de cada pessoa que vem assistir aos eventos. Caso seja necessário fazer o rastreamento de algum caso de COVID-19, eles têm o subsídio necessário, básico, simples, mas que me dá segurança de voltar”, afirma.  
 
 PRIMEIRA FILA  Às 20h, os três sinais tocaram, as luzes se apagaram e os atores entraram em cena. Em cerca de 1h20, Clarice Niskier e Isio Ghelman demonstraram domínio do palco, com um texto afinado e sincero. A química dos atores é evidente e toca os espectadores que estavam desacostumados com a energia do teatro. 
 
No final do espetáculo, o público aplaudiu  de pé os atores. De seu assento na primeira fila, Nadieh Deslandes fez um emocionado depoimento aos atores. Ela falou de sua identificação com a trama e fez diversos elogios à proposta do espetáculo. Clarice Niskier afirmou à reportagem que é um “grande alívio" e “uma emoção sem fim” receber esse tipo de comentário, após meses distante do palco. 
“É aquela certeza absoluta de que o que você faz é importante para você e para o outro”, afirma. “Um ano e meio depois, ouvir aquele depoimento dá uma comoção, porque foi com essa convicção interna que você aguentou firme a espera. É um momento muito bonito para a gente”, afirma.
 
Ela conta que recebeu relatos semelhantes nas temporadas de “Coração de campanha” no CCBB do Rio de Janeiro e no de Brasília. Para a atriz e autora, a trama do espetáculo incentiva esse contato, porque todos se tornam "amigos íntimos" dos artistas ao final do espetáculo. “Acaba a peça e todo mundo tem vontade de conversar sobre coisas íntimas no coletivo, é muito legal.”
 
Na primeira semana da temporada de “Coração de campanha” em Belo Horizonte, o espetáculo alcançou um público de 245 pessoas. Na segunda-feira (20/9), foram emitidos 36 ingressos. Clarice Niskier define a participação do público como "surpreendentemente postiva”. “Estamos confirmando nossas expectativas de que, quando tudo começasse a voltar, estariam todos sedentos e valorizando ainda mais essa proximidade (do teatro).”
 

*Estagiário sob supervisão da editora Silvana Arantes

“CORAÇÃO DE CAMPANHA”
Em cartaz até 17/10. De segunda a sexta, às 20h, no CCBB, Praça da Liberdade, 450, Funcionários, (31) 3431-9400. De sexta a segunda-feira, às 20h. R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). À venda em 
bb.com.br/cultura


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade