Publicidade

Estado de Minas SABIA NÃO, UAI! #03

Curiosidades e recordes da HOT 100, a lista de músicas da revista Billboard

Conheça a história e os recordes do ranking musical mais conhecido no mundo, criado pela revista Billboard e uma referência de popularidade


29/04/2021 10:00 - atualizado 29/04/2021 16:44


A cantora Taylor Swift marcou uma geração com hits e foi eleita pela revista Billboard a Artista da Década passada. E, em 19 de abril de 2021, a cantora deixou mais uma marca: Taylor é a cantora feminina com mais músicas que entraram na parada musical Hot 100 da Billboard.

HOT 100 da revista Billboard é uma referência no ramo da música mundial. Além de organizar outras listas de hits e recordes, como a Digital Sales e a Hot 200 (álbuns mais populares da semana), a Billboard também premia artistas musicais com o Billboard Music Awards. Nesta terceira edição do Sabia Não, Uai!, reunimos curiosidades recordes da HOT 100 da Billboard.

Estar no topo da parada musical é muito importante para um artista, porque a HOT 100 da Billboard é usada como métrica de popularidade. Além de unir streamings, a lista das 100 “músicas mais ouvidas da semana” contabiliza ainda as vendas digitais e físicas. 

A lista das 100 músicas mais ouvidas da semana é atualizada às terças-feiras (com exceção de feriados), mas as 10 primeiras posições são anunciadas no dia anterior.

A história da Billboard

Fundada em 1894 por William Donaldson e James Hennegan, a Billboard é uma revista especializada no universo da música. Até a década de 1950, as publicações também falavam sobre publicidade na indústria musical, mas os editores posteriormente decidiram concentrar o tema das edições seguintes.

Naquela época, a Billboard começou a rastrear e classificar os singles mais populares do dia em três categorias:
  • Os mais vendidos em lojas, conforme os comerciantes 
  • Os mais ouvidos em rádios, conforme relato de DJs e estações de rádios
  • Os mais executados em jukeboxes

Estes três gráficos conseguiam medir, de forma efetiva para a época, a popularidade da música. Mas, a Billboard eventualmente criou uma quarta lista que unia as três categorias em uma. Assim, em 12 de novembro de 1955, a revista publicou seu primeiro Top 100, que continha as músicas mais populares nas rádios, vendas nas lojas e execuções nas jukebox. 

E o rock entra na Billboard

Na década de 1950, diversas estações de rádio nos Estados Unidos não incluíam canções de rock'n'roll na programação. Assim, quando o Top 100 foi publicado, algumas músicas do estilo não foram incluídas, apesar da grande popularidade entre os ouvintes.

Foi então que a Billboard decidiu lançar a HOT 100, lista que une todos os gêneros musicais. Aliás, a primeira música a atingir o topo foi "Poor little fool", do cantor Ricky Nelson.

Como o stream mudou a HOT 100 

Cerca de 66 anos depois de sua criação, as maneiras de medir a popularidade de uma música na HOT 100 mudaram muito, mas a relevância da parada continua a mesma. Com o aumento da tecnologia e a criação das plataformas de streaming, a forma de consumir música mudou. Atualmente, o streaming é o principal pilar de contabilização dos pontos na HOT 100.

Em 2018, a Billboard publicou um artigo explicando como as plataformas influenciam a montagem da lista. Além de rádios on-line,  a revista usa dados de plataformas como Spotify, Amazon Music, Apple Music e YouTube, porém, cada uma com um peso específico.

As plataformas de execução de músicas pagas contam como um ponto. Já as gratuitas valem dois terços de um ponto. E, por fim, os streams em rádios on-line contam meio ponto. 

A contagem dos pontos é válida das sexta-feiras até quinta-feiras. Dessa forma, alguma música lançada em uma sexta-feira pode demorar um pouco para aparecer na lista.

Coleta de dados só nos EUA

Apesar de os streamings serem universais, a Billboard monitora apenas estações de rádios dos EUA. A coleta de dados é feita excepcionalmente de segunda-feira a domingo, em aproximadamente mil rádios de diferentes gêneros musicais.

A revista conta com a parceria da empresa Nielsen BDS, que monitora a frequência que uma canção é tocada nas rádios e contabiliza. A companhia também usa dados da Arbitron, que calcula a audiência das estações em horários diferentes para fazer uma estimativa de quantas pessoas ouviram a música.

Assim, uma faixa que toca às 4h tem menos peso que uma música que passa às 16h, horário que tem audiência maior. 

O peso das vendas na Billboard 

Talvez a categoria “vendas” seja a que menos mudou desde a sua criação. A cada single ou disco vendidos, a canção ganha um ponto na HOT 100. Na era digital, a compra de single é muito comum em plataformas como o iTunes.

Para fazer essa conta, a revista também recorre à parceria com a Nielsen. Além de vendas em lojas de lojas de departamento, especializadas em música e lojas digitais, a empresa reúne dados de vendas em algumas casas de shows.
(foto: Arte sobre ilustração da Billboard)
(foto: Arte sobre ilustração da Billboard)
(*) Estagiária sob supervisão do subeditor Rafael Alves


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade