Publicidade

Estado de Minas COMÉDIA

Jamie Foxx dá vexame em sua volta, após 20 anos, ao universo das sitcoms

Série estrelada pelo astro exagera nas piadas datadas. Com elenco de negros, 'Meus pais e outros vexames' aborda superficialmente temas como o racismo


18/04/2021 04:00

Brian (Jamie Foxx) tenta se entender com a filha adolescente Sasha (Kyla-Drew) na série ''Meu pai e outros vexames''(foto: Netflix/divulgação)
Brian (Jamie Foxx) tenta se entender com a filha adolescente Sasha (Kyla-Drew) na série ''Meu pai e outros vexames'' (foto: Netflix/divulgação)

A comédia “Meu pai e outros vexames” (Netflix) marca o retorno de Jamie Foxx ao universo das séries. Aos 53 anos e astro de Hollywood, o ator recorre ao início de sua carreira para dar vida ao pai solteiro responsável pela criação da filha adolescente após a morte da ex-mulher. O resultado, no entanto, é uma produção que abusa de piadas datadas e falha ao tratar de assuntos sérios e polêmico com pouca profundidade.

Conhecido por papéis em filmes de ação como “O espetacular Homem-Aranha 2” (2014) e “Baby driver” (2017), Jamie Foxx começou a ganhar notoriedade no cinema depois de interpretar Ray Charles (1930-2004) na cinebiografia “Ray” (2004), que lhe rendeu o Oscar de melhor ator. A partir daí, passou a atuar em filmes elogiados como “Dreamgirls” (2006) e “Django livre” (2012).

SHOW

Antes disso, o ator fez parte do elenco de “In living color”, humorístico exibido entre 1990 e 1994, responsável por lançar Jim Carrey e Chris Rock, entre outros nomes de destaque. O sucesso do programa rendeu a Foxx sua própria série. Em 1996, foi ao ar “The Jamie Foxx show”, que teve cinco temporadas.

A nova atração da Netflix representa a volta do astro às sitcoms após 20 anos. Ele dá vida a Brian, empresário solteiro e bem-sucedido que se envolve em confusões para provar que é bom pai para Sasha (Kyla-Drew). Adolescente de gênio forte e viciada no aplicativo TikTok, ela passa a morar com Brian após a morte de sua mãe.

Também orbitam o universo da dupla o pai de Brian, Pops (David Alan Grier), a irmã, Chelsea (Porscha Coleman), o policial Johnny (Jonathan Kite) e sua assistente, Stacy (Heather Hemmens). Além do protagonista, Foxx interpreta os personagens Sweet Tee, Cadillac Calvin e Rusty.

Apesar de bem-intencionada, a série é cheia de manias que ficariam muito bem se deixadas lá nos anos 1990. Foxx faz de tudo para arrancar risadas do espectador, mas o roteiro mal-escrito torna essa comédia difícil de assistir.

No primeiro episódio, intitulado “#Negrosnãofazemterapia”, Brian e Sasha estão no consultório de uma terapeuta que supõe que a dupla seja um casal. A piada, bastante sem graça, se entende por muito tempo até o ponto em que ela propõe um ménage à trois.

É engraçado como Brian é apresentado como mulherengo, mas parece não saber nada sobre mulheres, principalmente as mais jovens.

O oitavo e último episódio da primeira temporada, “#Vendotudotalvez”, aborda a violência policial contra negros, assunto bastante delicado no contexto dos Estados Unidos, onde a série foi produzida, e pautado pelo movimento Black Lives Matter. A maneira superficial como isso surge no roteiro é incômoda, ainda mais considerando que o elenco é composto basicamente por atores negros.

Em outros episódios, a produção cria oportunidades para tratar de assuntos importantes, mas não chega a aproveitá-los por completo. No sexto episódio, “#Meuchurrascoémelhor”, os personagens discutem o dia da emancipação dos escravos, mas tudo não passa de uma churrascada entre amigos.

Por que um ator gabaritado como Jamie Foxx se submete a uma produção tão abaixo de seu talento?

Corinne Foxx, filha do astro, é produtora executiva da nova atração da Netflix(foto: Matt Winkelmeyer/Getty/AFP)
Corinne Foxx, filha do astro, é produtora executiva da nova atração da Netflix (foto: Matt Winkelmeyer/Getty/AFP)

VIDA REAL

“Meu pai e outros vexames” é um projeto pessoal do artista. A série criada por ele e Bentley Kyle Evans é inspirada em sua vida ao lado da filha Corinne, produtora executiva da produção.

Infelizmente, um dos vexames anunciados no título é a própria série.

Com uma carreira tão prolífica como a de James Foxx, é possível que esta sitcom passe despercebida – ainda mais no catálogo da Netflix, atualizado semanalmente.

Aliás, o ator já tem outros projetos a caminho. Vai interpretar Mike Tyson em minissérie produzida por Martin Scorsese. A informação foi dada pelo boxeador à agência France Presse. A data de estreia ainda não foi definida.

“MEU PAI E OUTROS VEXAMES”
• Série com oito episódios, disponível na plataforma Netflix


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade