Publicidade

Estado de Minas LITERATURA

Bazar do Tempo cria clube do livro dedicado a obras escritas por mulheres

Ensaio feminista de Virginia Woolf e títulos inéditos no Brasil da nigeriana Oyèrónk?? Oyewùmí e da americana Alice Walker estão entre os lançamentos


17/04/2021 04:00 - atualizado 16/04/2021 21:10

Em maio, Clube F. distribui livro inédito no Brasil de Alice Walker, primeira negra americana vencedora do Prêmio Pulitzer(foto: Mark Sagliocco/Getty/AFP %u2013 10/12/15)
Em maio, Clube F. distribui livro inédito no Brasil de Alice Walker, primeira negra americana vencedora do Prêmio Pulitzer (foto: Mark Sagliocco/Getty/AFP %u2013 10/12/15)

“E, eu me perguntei, teria ‘Orgulho e preconceito’ sido um romance melhor se Jane Austen não tivesse considerado necessário esconder seu manuscrito das visitas? Li uma ou duas páginas para ver, mas não encontrei nenhum indício de que suas circunstâncias houvessem causado o menor dano à sua obra.”

Quando Virginia Woolf (1882-1941) escreveu tais observações, havia se passado mais de um século da morte de Austen (1775-1817). Ainda que de uma classe privilegiada e de outra época, Woolf também enfrentara privações pelo fato de ser mulher – não teve acesso ao ensino formal, por exemplo. Mas naquele 1928, e escrevendo para universitárias, ela lhes abria o mundo a partir da própria experiência.

ENSAIOS

Considerado texto seminal para o debate feminista, o ensaio “Um quarto só seu”, publicado originalmente quase 100 anos atrás, ganha nova edição pela Editora Bazar do Tempo. Com tradução de Julia Romeu, o volume vem acrescido de outros três ensaios de Woolf sobre escritoras inglesas: Jane Austen, as irmãs Charlotte e Emily Brontë e George Eliot, pseudônimo de Mary Ann Evans. A edição abriu o Clube F., clube de assinatura mensal de livros escritos por mulheres.

O segundo título, que está sendo lançado neste mês, é “A invenção das mulheres”, da socióloga nigeriana Oyèrónké Oyewùmí. Publicado originalmente em 1997, era inédito no Brasil.

Esses volumes, além dos outros previstos para os próximos meses (o clube já definiu todos os títulos deste ano), chegam em primeira mão para os assinantes em uma caixa (acompanhada de brindes) e depois vão para as lojas.

Além do livro mensal, o clube oferece programação on-line de debates e troca de experiências, bem como uma rede de benefícios com participação de parceiros da iniciativa.

“Quando olhei minha programação para 2021 e vi que tinha um título de uma grande autora em cada um dos 12 meses do ano, por que não afirmar isso e engajar um grupo para formar leitoras dessa produção feminina?”, comenta Ana Cecilia Impellizieri Martins, editora da Bazar do Tempo. A proposta deu certo e o clube já conta com cerca de 300 assinantes – não só mulheres, vale dizer. “Dos primeiros 20 assinantes, cinco são homens”, completa.

A ideia, de acordo com a editora, é oferecer pontos de vista plurais, tanto do perfil das autoras quanto do conteúdo. “Os dois primeiros livros cobrem os dois campos. Virginia Woolf, mulher branca do começo do século 20, escreve sobre a condição da mulher. Já Oyèrónké faz um apanhado do papel da mulher nas sociedades africanas, especificamente na cultura iorubá, que é a dela, muito presente no Brasil. Mostra como a condição da mulher é diferente daquela dos discursos ocidentais, pois na sociedade iorubá não há determinismos biológicos.”

O volume de maio será “Em busca dos jardins das nossas mães” (1983), de Alice Walker. Inédito no país, reúne ensaios e artigos em que a escritora (a primeira americana negra a vencer o Pulitzer, por “A cor púrpura”) fala tanto de feminismo quanto da luta pelos direitos civis nos EUA.

A coleção ainda terá inéditos de Hannah Arendt, Heloísa Buarque de Hollanda e Julia Romeu. “A intenção é de que o público crie uma biblioteca que reflita sobre a diversidade e a complexidade da produção feminina nas diversas áreas da produção artística”, acrescenta Ana Cecília.

O Clube F. nasce como uma estratégia para a Bazar do Tempo, editora independente, sobreviver em meio à crise do livro, acirrada com a pandemia.

“As livrarias têm dificuldade em pagar as editoras, que, por seu lado, estão inventando modos de sobreviver, com venda no próprio site e clubes de leitura. Temos imensa preocupação com a cadeia do livro, de maneira alguma podemos excluir as livrarias. Tanto que damos desconto para que os livros possam circular”, finaliza Ana Cecilia Impellizieri.

(foto: Bazar do Tempo/reprodução)
(foto: Bazar do Tempo/reprodução)

DISPONÍVEIS

“UM QUARTO SÓ SEU”
De Virginia Woolf. Bazar do Tempo, 240 páginas, R$ 59,90 (preço avulso, fora do clube)


“A INVENÇÃO DAS MULHERES”
De Oyèrónké Oyewùmí. Bazar do Tempo, 324 páginas, R$ 69,90 (preço avulso, fora do clube)

CLUBE F.
• Clube de assinatura de livros escritos por mulheres criado pela Editora Bazar do Tempo. Há três planos: anual 
(R$ 58 mensais), semestral (R$ 60 mensais) e avulso (R$ 64). Informações: clubef.bazardotempo.com.br


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade