Publicidade

Estado de Minas MÚSICA

Shakespeare inspira o rock'n'roll de Gabriel Braga Nunes

Ator acaba de lançar o single 'All in war', baseado no 'Soneto 15' do bardo inglês. Canção fala de morte, envelhecimento e da poesia como fonte da vida


25/08/2020 04:00

Gabriel Braga Nunes diz que planeja lançar várias canções autorais, além de conciliar as carreiras de ator e músico(foto: Raquel Cunha/TV Globo)
Gabriel Braga Nunes diz que planeja lançar várias canções autorais, além de conciliar as carreiras de ator e músico (foto: Raquel Cunha/TV Globo)
Ator conhecido por seu trabalho em novelas, Gabriel Braga Nunes, de 48 anos, se arrisca em um projeto ousado: musicar sonetos de William Shakespeare. Com influência do rock n’ roll, o primeiro single dele, All in war, já está disponível nas plataformas digitais. E novos lançamentos vêm por aí.

“Não tem data pra acabar. Esse projeto está começando agora e vai continuar enquanto eu estiver inspirado e feliz”, afirma Gabriel. O sonho de tocar rock é antigo, uma das maiores paixões de Gabriel. Shakespeare surgiu como inspiração para pôr esse sonho em prática. “Comecei a compor motivado pelos sonetos. A carga dramática dos poemas me tocou, a métrica shakespeariana foi um belo facilitador no processo de composição”, revela.

William Shakespeare (1564-1616) publicou 154 sonetos, lembra o ator e cantor. “A gente conhece muito as peças do Shakespeare, e menos os sonetos. É interessante jogar luz sobre esse material menos aclamado da obra dele”, afirma. O projeto vem sendo realizado desde 2016.

“Estou criando, gravando, mixando e rearranjando há um longo tempo. Esse processo já leva quatro anos”, observa Gabriel, contando que se desdobrou para conciliar o projeto com outras demandas profissionais. “Às vezes, ficava seis meses sem conseguir trabalhar nele, como acontece na vida de todo mundo.”

MORTE
All in war também é fruto da admiração dele por Rolling Stones, Bob Dylan, Leonard Cohen, Lou Reed e Nick Cave. “A década de 70 é a minha favorita na música”, diz. O single se baseia no Soneto 15, de Shakespeare. A temática gira em torno do pessimismo e da descrença na vida, mas ressalta a arte como uma forma de redescoberta. “Fala muito sobre o processo de envelhecimento, como as coisas vão se tornando mais difíceis ao longo dos anos, e sobre o caminho inexorável da morte. Por outro lado, há a ideia de que a arte e a poesia podem iluminar e trazer novos caminhos”, diz o ator.

Gabriel assume os vocais, além de tocar violão, guitarra e baixo. Léo Mayer e Luiza Lapa são parceiros dele no single. “Léo é um grande guitarrista e produtor, está comigo nessa há uns dois anos. Conheci a Luiza fazendo o musical A noviça rebelde. É uma grande cantora.” A participação dela foi fundamental, diz. “O tempo todo há duas vozes entrelaçadas. Não é um trabalho de voz e backing, mas de duas vozes.”

As gravações ocorreram em 2019 e o confinamento social imposto pela pandemia impulsionou o lançamento do single. “Tive a oportunidade de finalmente fazer algumas coisas que a vida normal nunca permite. Pensei: chegou o momento de lançar este trabalho. Nesse sentido, a quarentena foi muito preciosa”, comenta Gabriel. Ele assumiu o processo de produção, design e lançamento. Outras canções, já gravadas e masterizadas, serão lançadas em breve.

O isolamento social vem colaborando para o processo de criação de Gabriel Braga Nunes. “O tanto de música que veio foi o maior barato. Até minha filha, de 6 anos, acorda e traz uma ideia de manhã. Neste momento tão difícil, encontramos uma boa dinâmica para sermos produtivos e criativos.”

Com teatros fechados e impossibilitado de subir aos palcos, Gabriel planeja aderir às lives para divulgar o novo trabalho. “Estou buscando o formato ideal, mas sem descaracterizar o meu projeto. Assim que encontrá-lo, devo anunciar a primeira live.”

Shows estão nos planos, mas ele é cauteloso diante das limitações impostas pela pandemia. “É muito triste tudo isso que está acontecendo. Estamos muito apreensivos com a quantidade de mortos e com essa falta de previsão. Não dá para dizer que vai ter show este ano. Isso é uma angústia”, lamenta.

NOVELA Além de se dedicar à música, Gabriel aproveita a quarentena para acompanhar a reprise de Novo mundo (Globo) ao lado da filha, Maria. “É a primeira novela a que ela assistiu comigo”, revela. O pai-coruja faz o papel do vilão Thomas Johnson no folhetim que conta a história de dom Pedro I. “Adorei a novela, mas durante a exibição tinha visto muito pouco, pois nunca chegava em casa no horário das seis”, diz o ator.

Afastado dos estúdios desde a gravação da série Hebe, exibida pela Globo e disponível na plataforma Globoplay, Gabriel ainda não tem previsão de voltar à televisão, devido à pandemia. Porém, garante: vai conciliar as carreiras de ator e músico. “O projeto dos sonetos de Shakespeare é muito importante para mim”, comenta.

Desde 2018, ele toca baixo na banda Hurricane ao lado de Léo Mayer, Rodrigo Cezimbra e Guilherme Moraes. O grupo faz covers de Led Zeppelin, Rolling Stones, Beatles, Bob Dylan e The Doors. “A gente ficou tocando na noite de São Paulo durante os últimos dois anos. Todo final de semana, tínhamos pelo menos dois shows em algum bar aqui de São Paulo. Nesse sentido, ganhei experiência de palco”, conclui.

* Estagiário sob supervisão da editora-assistente Ângela Faria


ALL IN WAR
. Single de Gabriel Braga Nunes
. Com Léo Mayer e Luiza Lapa
. Disponível no Spotify, Deezer, iTunes, Google Play, Apple Music, Napster e YouTube
. Informações: @gabrielbraganunesofical



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade