Publicidade

Estado de Minas MÚSICA ELETRÔNICA

DJ KVSH promete quinta-feira histórica no Mineirão

DJ mineiro apresenta megaevento para o estádio vazio, com transmissão às 20h em seu canal no YouTube. Rogério Flausino, do Jota Quest, e Pedro Calais, da banda Lagum, cantarão com ele


20/08/2020 04:00 - atualizado 19/08/2020 23:35

Luciano Ferreira, o DJ KVSH, quer incentivar os sonhos de jovens como ele por meio da live desta quinta-feira(foto: Harley Castro/divulgação )
Luciano Ferreira, o DJ KVSH, quer incentivar os sonhos de jovens como ele por meio da live desta quinta-feira (foto: Harley Castro/divulgação )

O Festival Planeta Brasil convidou o DJ KVSH para fazer a primeira live de música eletrônica no Mineirão. Nesta quinta-feira (20), às 20h, ele vai comandar o show inédito Marko Zero, que será transmitido por seu canal oficial no YouTube. O nova-limense Luciano Ferreira, o KVSH, de 26 anos, diz que a noite será “histórica”, prometendo celebrar sua carreira e a música mineira. Conta que o estádio é “simbólico” em sua trajetória, pois, muito jovem, trabalhou ali como atendente do bar do Planeta Brasil.

Rogério Flausino (Jota Quest), Pedro Calais (Lagum), DJ Bruno Be e Gabriel Fröede são os convidados de KVSH. O anfitrião adianta que a noite será diferente dos demais projetos de eletrônica, pois também estará voltada para outras vertentes musicais de Minas. “Minha ideia é mostrar para todo mundo que estamos unidos”, afirma o DJ.

ANSIEDADE

Desde o início de 2016, Luciano vem se apresentando na Europa e nos Estados Unidos. Lollapalooza, Rock in Rio e XXXPerience são apenas alguns dos megafestivais em que tocou. O DJ revela que está “muito ansioso”, embora sua apresentação tenha sido filmada na primeira semana de agosto, para evitar problemas na transmissão.

“A live do Skank (também realizada no Mineirão) ficou 40 minutos pausada por um problema no servidor. A gente não quis correr o risco com um projeto tão grande. Vou levar este show para o resto da vida. Se tivesse de parar por causa da internet, ia ficar muito triste”, comenta o DJ.

Afastado dos palcos desde março por causa da pandemia, KVSH se diz honrado em comandar um projeto desse porte dentro do Mineirão. “É uma grande conquista. O estádio sempre foi palco de grande espetáculos. Cresci vendo o Skank e outras bandas tocando  naquele local.”

Ele diz que esta quinta-feira será histórica. “O Mineirão representa o marco zero da minha carreira. Comecei a tocar pequenininho em algumas festas de Belo Horizonte. Em 2014, trabalhei no bar do Planeta Brasil lá no estádio. Não tinha grana, mas já compunha em casa. Três anos depois, tive a oportunidade de tocar no festival, uma virada de chave na minha carreira. Foi onde ganhei megavisibilidade.”

De acordo com o DJ, a apresentação de hoje não se limitará à música. “Quero passar para os mais novos que, independentemente do que a gente ama, se fizermos bem-feito, é possível alcançar nossos sonhos. Não precisamos visar ao dinheiro nem ao que a sociedade espera. Você precisa correr atrás do que ama. Se não tivesse acreditado, talvez hoje fosse um arquiteto frustrado”, revela.

A equipe de Luciano preparou um “aftermovie”, que será transmitido durante o show, para ressaltar esse recado para as novas gerações. “Quando era mais novo, todo mundo queria ter uma banda. Hoje, a molecada quer ser DJ. Eu me sinto na obrigação de transmitir essa mensagem”, explica

Depois de participar de edições concorridas dos festivais Planeta Brasil e Só Track Boa, ambos no Mineirão, KVSH se deparou com um cenário inusitado ao gravar Marko Zero. Acostumado com a pista lotada, viu-se tocando para o estádio deserto.

“Foi uma sensação diferente. Pelo tanto de luzes e equipamentos que utilizamos, não consegui ver a arquibancada. Foi um vazio, mas, ao mesmo tempo, era como se estivesse no meu quarto. Quando vi a minha logo no telão do Mineirão todo vazio, pensei: como consegui chegar aqui?. Ainda mais no meio de uma pandemia”, comenta Luciano.

Sem plateia e sob as restrições impostas pelo isolamento, ele diz que a experiência foi deslumbrante. Aliás, o DJ teve a oportunidade de realizar um sonho de criança: pisar no gramado do Mineirão. “Já toquei em palcos na Esplanada e na parte de cima do estádio, mas não fiquei tão próximo do gramado. Foi massa!”, descreve.

De acordo com KVSH, é um desafio e tanto para um DJ se apresentar sem plateia. “Muito do nosso trabalho é voltado para as pessoas na pista. Na primeira transmissão que fiz aqui em casa, na quarentena, foi muito sinistro, porque não tinha a galera na minha frente. Eu não sabia o que tocar”, confessa Luciano.

A megaprodução desta quinta-feira, com luzes, fogos, fumaça e equipamentos a que o DJ está acostumado, contornou o desconforto. “Isso me deixou muito mais tranquilo, pois, querendo ou não, a casa do DJ é o palco. Toda essa produção me ajudou a compor o repertório”, explica.

Rogério Flausino vai cantar o remix de Guerra e paz, single do Jota Quest (foto: Harley Castro/divulgação)
Rogério Flausino vai cantar o remix de Guerra e paz, single do Jota Quest (foto: Harley Castro/divulgação)


IMPASSE

Questões relacionadas a direitos autorais em grandes plataformas digitais se tornaram um problema para DJs e suas lives. Expressiva parte do repertório deles é composto por remixes de outros artistas. Por isso, transmissões de música eletrônica costumam ser bloqueadas.

“É um problema gigantesco. Às vezes, eles bloqueiam a nossa própria música”, comenta. Para evitar o impasse, a equipe entrou em contato com o YouTube, apresentando a solicitação para o canal do mineiro ficar desbloqueado durante a transmissão de hoje. “Só depois de 24 horas o YouTube pode tentar algum takedown. Mas estamos nos movimentando para que isso não aconteça e a nossa live continue crescendo na plataforma”, afirma KVSH.


Set com sucessos e inéditas


O set desta quinta-feira mescla as músicas importantes da carreira de KVSH (Tokyo drift, Sede pra te ver, Me gusta e Can’t get over you) com 12 faixas inéditas produzidas por ele durante o isolamento social. “Consegui fazer mais música na quarentena do que nos últimos três anos”, conta o mineiro.

Entre os lançamentos, ele vai mostrar o remix do novo single do Jota Quest, Guerra e paz, ao lado do vocalista Rogério Flausino. “Não tivemos lives com a participação de outros artistas. Já aconteceu com outras bandas, mas no cenário dos DJs ninguém fez isso”, comenta.

O show terá 100 minutos. Pedro Calais, da banda Lagum, outra sensação mineira no cenário musical, vai cantar o remix de Bem melhor, enquanto Gabriel Fröede, músico de Teófilo Otoni, performa Can’t get over you, produzida em parceria com KVSH.

“É muito legal essa oportunidade dentro da eletrônica. Não que eles precisem, mas muita gente, às vezes, não conhece a galera do Lagum ou do Jota Quest”, diz KVSH. A ideia dele é celebrar a música mineira. “Sempre procuro compositores locais, porque Minas sempre foi meca de talentos. Por isso, sempre tento fazer parcerias e colocar a galera para tocar comigo. Essa é a parada”, conclui.

MARKO ZERO
•  Com DJ KVSH e convidados
•  Nesta quinta-feira (20), às 20h
•  Transmissão pelo canal oficial KVSH (https://www.youtube.com/kvshoficial)

(foto: Harley Castro/divulgação)
(foto: Harley Castro/divulgação)


ISTO É KVSH (foto)

56 MILHÕES
De views no canal oficial do DJ no YouTube

43 MILHÕES
De plays do single Tokyo drift no Spotify

3 MILHÕES
De visualizações do clipe de Sede pra te ver no YouTube

3 MILHÕES
De ouvintes mensais no Spotify

300 MIL
Seguidores no Instagram

*Estagiário sob supervisão da editora-assistente Ângela Faria


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade