Publicidade

Estado de Minas LUTO

Maestro Benito Juarez morre aos 86 anos


04/08/2020 04:00

Mineiro de Januária, Benito Juarez criou o Coral USP, comandou a Sinfônica de Campinas por 25 anos e regeu o Hino Nacional no comício pelas Diretas Já, no Vale do Anhangabaú, em 1984 (foto: Reprodução Facebook)
Mineiro de Januária, Benito Juarez criou o Coral USP, comandou a Sinfônica de Campinas por 25 anos e regeu o Hino Nacional no comício pelas Diretas Já, no Vale do Anhangabaú, em 1984 (foto: Reprodução Facebook)
O maestro Benito Juarez, ex-regente da Sinfônica de Campinas, morreu na madrugada de segunda-feira (3), aos 86 anos. O músico comandou a orquestra por 25 anos,  entre 1975 e 2000. Não foi divulgada a causa da morte, confirmada pelo filho do músico, André Juarez, em publicação no Facebook. "Meus amigos, comunico o falecimento do meu amado pai, o maestro Benito Juarez. Descanse em paz, Baxoca. Vou honrar seu nome sempre", escreveu André, atual regente do Coral da USP.

Nascido em Januária, no Norte de Minas, o maestro estudou na Bahia com Hans Joachim Koellreutter antes de se radicar em São Paulo. Com a orquestra de Campinas, em 1984, ele participou do comício pelas Diretas Já, no Vale do Anhangabaú, no qual regeu o Hino Nacional Brasileiro.

A trajetória do músico está muito ligada ao canto coral e à união entre a música clássica e a MPB. Trabalhou com artistas como Gilberto Gil e Milton Nascimento. Ele também era o fundador do Coral da USP (Coralusp) e do Departamento de Música e o Coral da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), além de ter atuado como um dos idealizadores do curso de Música Popular Brasileira (MPB), na segunda universidade. Em 2001, após deixar a Sinfônica de Campinas, fundou e dirigiu a Banda Sinfônica do Exército Brasileiro.

ARTE ENGAJADA Na Orquestra Sinfônica de Campinas, Juarez participou do processo de profissionalização e foi um dos responsáveis por levar o grupo ao reconhecimento nacional e internacional. Juarez seguia a máxima de Brecht: a defesa da arte politicamente engajada, mas também de excelência.

Irmão de Benito, Raimundo Juarez informou que o maestro estava em uma clínica de idosos em São Paulo, onde morreu. O maestro deixa cinco filhos.




receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade