Publicidade

Estado de Minas

Coronavírus: Bares LGBTQ+ de BH lançam 'vaquinha online' durante pandemia

A Gruta! e o Oliver Art Bar são espaços que dependem da contribuição do público para quitarem dívidas


17/07/2020 12:06 - atualizado em 17/07/2020 12:48

(foto: Gruta!/Divulgação)
(foto: Gruta!/Divulgação)

O setor cultural é um dos mais afetados pela pandemia do novo coronavírus. Em escala global, estima-se que, até o fim do surto, a indústria do entretenimento terá um prejuízo de U$ 5 bilhões. E para o público LGBTQ+, a crise pode ser mais grave. Pelo menos dois espaços de Belo Horizonte estão com campanhas de financiamento coletivo para driblar a crise.

A Gruta!, que fica no Horto, Região Leste, é conhecida por abraçar projetos de artistas independentes e, ao longo dos quase 20 anos de existência, se tornou referência na cena underground belo-horizontina. Assim como todo o setor, está impedida de abrir as portas desde março e agora corre risco de não conseguir voltar à atividade.

O multiartista Marcelo Veronez, um dos colaboradores que mantém a ''grutinha'' aberta, é uma das personalidades que criaram projetos nesse ambiente. ''Assim como eu, Baile Black da Josie, Dolores 602, Milena Torres, Banda Viada, Duelo de Vogue, Baile do Prazer são alguns nomes que estrearam seus trabalhos na Gruta! e se tornaram nomes referenciais para entender o movimento artístico da capital neste início de século'', frisou Veronez.

(foto: Gruta!/Divulgação)
(foto: Gruta!/Divulgação)

Além da ascensão de festas e músicos no cenário alternativo de BH, a ocupação artística também se dá por meio do teatro. Projetos como ''Cena 3x4'' do Galpão Cine Horto, ''Rampa - Treinamento Cênico para Música'', pelos espetáculos ''Rosinha do metrô'', de Fernando Limoeiro com direção de Raquel Castro para a formatura do Teatro Universitário de 2010 e ''Doida'', por Teuda Bara, fazem parte da história do lugar. Desde 2001, a Gruta! já abrigou grupos como Maldita Cia., Obscena, As Bacurinhas, Toda Deseo e Sagrada Profana.

E, a fim de evitar esse 'desastre' para a cena artística da cidade, foi criado um movimento de financiamento coletivo para salvar este que é um espaços mais diversos de Belo Horizonte. ''Precisamos contar com uma mobilização do setor cultural no compartilhamento dessa ação, que está na reta final e precisa arrecadar aproximadamente 50% da meta necessária para a garantia do funcionamento até o fim deste de 2020'', enfatiza o cantor Marcelo Veronez. Para ajudar, basta clicar aqui.

Diferente da Gruta! que luta para manter o espaço em funcionamento, o Oliver Art Bar, que fica no Bairro São Pedro, Região Centro-Sul de BH, anunciou recentemente a ''saideira''. Além de um bazar com peças icônicas do lugar, Analice Souza, proprietária do espaço, promove 'vaquinha online' para ajudar nos impactos financeiros que a pandemia trouxe. ''A situação já não estava muito boa e foi fortemente agravada nesse cenário. E com isso, as contas e vários problemas foram acumulando, até chegar ao ponto de não resistir mais'', disse a empresária.

(foto: Reprodução/Instagram )
(foto: Reprodução/Instagram )

Com o fechamento do Oliver, que se destacou na noite da capital por 10 anos, ficam na lembrança as inesquecíveis finais de Rupaul’s Drag Race, despedidas de solteiro, chás de panela, casamentos, inícios e términos de namoro e o início de boas amizades. ''O encerramento das atividades gera muitos gastos. Com isso, criamos nossa vaquinha virtual na para quitarmos os gastos iniciais e podermos nos reerguer'', finaliza Analice. Para colaborar com o espaço, clique aqui


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade