Publicidade

Estado de Minas PATROCÍNIO

Sete de Minas ganham apoio do Natura Musical

Por meio de leis de incentivo cultural, organização investirá R$ 5,4 milhões em patrocínios. Projetos de grupos e artistas mineiros vão da música a documentário


postado em 24/11/2019 04:00 / atualizado em 22/11/2019 17:24

A artista mineira Sara Não Tem Nome foi selecionada para o Natura Musical 2020(foto: Hélio Braga/Divulgação)
A artista mineira Sara Não Tem Nome foi selecionada para o Natura Musical 2020 (foto: Hélio Braga/Divulgação)

Sete nomes de Minas Gerais, entre bandas, artistas e projetos, foram selecionados para ser patrocinados pela plataforma Natura Musical em 2020: os cantores e compositores Bemti e Sara Não Tem Nome, a banda Azul Flamingo e os projetos Música no Mundo, Essas Mina é Zica, Malta e Sessões StereoLab.

Nesta segunda (25) serão anunciados os 41 patrocinados do programa para o próximo ano. O Natura Musical oferecerá R$ 5,4 milhões em patrocínio, por meio das leis de incentivo à cultura nacional, de Minas Gerais, do Pará, do Rio Grande do Sul e do Faz Cultura (da Bahia). Desde a chegada do programa a Minas, em 2005, foram patrocinados 122 projetos do Estado.

Depois de Ômega III, a artista Sara Não Tem Nome vai gravar seu segundo álbum, A situação, que propõe uma reflexão sobre a situação atual do Brasil. Nascido em Serra da Saudade, no Centro-Oeste mineiro, mas radicado em São Paulo, Bemti também vai chegar ao segundo disco através do programa – grava Logo ali, álbum que terá a participação de Jaloo e Hélio Flanders. Ainda na seara dos artistas, a banda Azul Flamingo – trio de Uberaba que mistura guitarra, sintetizador e bateria – fará shows e gravará videoclipes em seis cidades brasileiras.

Os quatro projetos mineiros que serão fomentados pelo Natura Musical são de natureza diversa. Essas mina é Zica será um documentário que pretende retratar a realidade de seis mulheres rappers da capital mineira. Também em Belo Horizonte será realizado o Malta – Mulheres da América Latina reunidas pelo Tambor, programa voltado para percussão que engloba show, debate e workshops.

Casa de espetáculos em Uberaba, o Laboratório 96 vai realizar, ao longo de seis meses, o projeto de shows Sessões StereoLab, com seis atrações nacionais e seis mineiras. Além de registros em vídeos para promoção de novos artistas, o projeto inclui atividades de formação musical para o público local. E o Música Mundo vai, via Natura Musical, promover a edição 2020. No Encontro Internacional de Música e Negócios estão previstas debates, workshops e showcases em BH.

Entre os selecionados (de um total de 2.647 inscritos) do edital nacional estão Elza Soares (para a turnê O planeta fome de Elza Soares, que vai gerar um DVD), Emicida (para a turnê AmarElo), João Donato (para a gravação de um disco com artistas da nova geração) e Letrux (para a gravação de seu segundo álbum).

O programa de patrocínio inclui também a banda Azul Flamingo, de Uberaba(foto: Natura Musical/Divulgação)
O programa de patrocínio inclui também a banda Azul Flamingo, de Uberaba (foto: Natura Musical/Divulgação)

VETERANOS

No edital da Bahia foram selecionados nomes veteranos. A dupla Antônio Carlos e Jocafi se une a Russo Passapusso, da banda Baiana System, para lançar o álbum Alto da Maravilha. Aos 98 anos, o sambista Riachão lançará, com apoio do programa, o disco Se Deus quiser eu vou chegar aos 100.

No edital gaúcho destaca-se Vitor Ramil que, na série de shows Avenida Angélica, vai apresentar um repertório composto a partir de poemas de Angélica Freitas. Nome do underground gaúcho, Frank Jorge vai se unir ao produtor Alexandre Kassin para um álbum inédito.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade