Publicidade

Estado de Minas

Maternidade é tema de ÓVA, peça do Coletivo Transborda

Espetáculo ficará em cartaz até quarta-feira (20), no Teatro de Bolso Sesiminas, em Belo Horizonte


postado em 18/11/2019 04:00 / atualizado em 18/11/2019 11:20

(foto: Igor Cerqueira/divulgação)
(foto: Igor Cerqueira/divulgação)
ÓVA é o nome do espetáculo que o Coletivo Transborda (foto) apresenta até quarta-feira (20), sempre às 18h, no Teatro de Bolso Sesiminas. Maternidade, dilemas da mulher e feminismo são abordados pela montagem assinada por Erika Rohlfs e Thalita Motta. A ideia surgiu durante ensaios para mães dos integrantes do grupo, formado também por Michele Bernardino, Luí Rodrigues e Clara Fadel. “É uma forma de trazermos relatos da vida real para o teatro, sem entrar no campo psicologizante”, afirma Erika. O espaço fica na Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia. Ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada). Informações: (31) 3241-7168

AUDIODRAMA
EDNEY SILVESTRE
(foto: Estevam Avellar/divulgação)
(foto: Estevam Avellar/divulgação)

O jornalista e escritor Edney Silvestre faz sua primeira incursão no universo do áudio com o drama Casa comigo, que já está disponível na plataforma Storytel. Ele aborda o conflito entre novas e tradicionais configurações familiares, o choque de gerações e as relações pessoais permeadas por embates políticos. Em 2002, depois da votação das eleições presidenciais disputadas por Lula e José Serra que indicavam novos rumos para o país, um jantar de dois casais se transforma em confronto com a chegada de um homem ligado a valores do passado.  “É uma comédia dramática como a vida”, afirma Edney, o narrador da trama, revelando que Casa comigo “mostra um momento de fé no futuro.”

>>>

Em 2020, Silvestre vai mandar para a mesma plataforma dois novos audiodramas: Sarah em São Paulo e Brilho por trás das nuvens. Escritor premiado, ele lançou os livros O último dia da inocência, Se eu fechar os olhos agora, Vidas provisórias e  A felicidade é fácil.

LIVRO
DANÇA DAS BESTAS

Tiago Santos-Vieira lançou Dança das bestas (C5 Livros), trama de suspense que aborda a relação entre uma freira às voltas com estranhos experimentos psicológicos envolvendo noviças de um mosteiro misterioso à base de poderoso alucinógeno. Nascido em Caratinga (MG), o autor é jornalista e colaborou com as revistas Rolling Stone e Trip/TPM, entre outras publicações.

CERÂMICA
GALERIA DA ASSEMBLEIA
(foto: Acervo pessoal)
(foto: Acervo pessoal)

O Coletivo Cerâmica MG expõe trabalhos de 46 de seus 125 integrantes na Galeria de Arte da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Luiz Nacif, integrante do grupo, explica que a mostra reúne peças com várias técnicas e estilos. A exposição está em cartaz até 29 de novembro. O espaço fica na Rua Rodrigues Caldas, 30, Bairro Santo Agostinho, e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. Informações: (31) 2108-7827.

ITAÚ CULTURAL
DRAMATURGIA

Termina na terça-feira (19) o prazo de inscrições para o curso à distância Dramaturgia negra: A palavra viva. Destinadas a estudantes de teatro, as aulas serão ministradas de janeiro a março de 2020, sob orientação da dramaturga Dione Carlos. A ideia é estimular discussões e estudos a respeito da dramaturgia com foco multicultural. Inscrições e informações: www.itaucultural.org.br

SÉRIE
CRÔNICAS DIGITAIS
(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)

A escritora e compositora Fernanda Mello (foto) lança a segunda temporada da série audiovisual Crônicas digitais em seu canal no YouTube, com 12 episódios dirigidos por Elias Martins. O projeto oferece nova abordagem de textos que ela publicou nos livros Amar é punk (Neutra Editora), Mulher de frases (Gulliver) e Krash (independente).

LAMA
OURO PRETO

A instalação Lama, criada pelo artista plástico Roberto Sussuca em homenagem às vítimas do rompimento de barragens de mineração em Minas, poderá ser conferida até 8 de dezembro na Casa dos Contos, no Centro Histórico de Ouro Preto. Sussuca recriou cenas que a mídia retratou em Bento Rodrigues, Paracatu de Baixo e Brumadinho, onde tragédias ambientais ocorreram em novembro de 2015 e janeiro de 2019. O espaço fica na Rua São José, 12, e funciona às segundas-feiras, das 14h às 18h, e de terça-feira a domingo, das 10h às 18h. Entrada franca.


Publicidade