Publicidade

Estado de Minas

Semana de Música de Câmara começa neste domingo em BH

Em sua 32ª edição, evento promove concertos e masterclasses na Fundação de Educação Artística. Graças a eles, vários musicistas ingressaram na carreira


postado em 08/09/2019 04:00

Berenice Menegale destaca o pioneirismo da Semana de Música de Câmara(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Berenice Menegale destaca o pioneirismo da Semana de Música de Câmara (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)

Até 15 de setembro, a Fundação de Educação Artística (FEA) promove a 32ª Semana de Música de Câmara. Neste domingo (8), o concerto de abertura terá homenagem especial ao compositor Heitor Villa-Lobos. Realizado há 16 anos, o evento se destaca entre os projetos do país destinados à formação e profissionalização de músicos.

Berenice Menegale, presidente da FEA, informa que a agenda terá masterclasses, quatro concertos e ensaios abertos da Orquestra Experimental, formada por alunos e participantes da Semana.

“O evento é realizado semestralmente há 16 anos. Entre os professores estão o alemão Götz Hartmann (violino), a argentina Mirta Herrera (piano), a norte-americana Elise Pittenger (violoncelo) e o brasileiro João Carlos Ferreira (viola)”, comenta.

Alunos que participaram de outras edições do evento foram incentivados a estudar no exterior, especialmente na Europa, e  acabaram se tornando músicos profissionais. Vários deles atuam em filarmônicas e sinfônicas em várias partes do Brasil.

“A FEA foi pioneira em incentivar a música de cordas e de câmara. Marcio Carneiro, hoje violoncelista de renome mundial e radicado na Alemanha, era apenas um jovem estudante quando veio do Rio de Janeiro para o Festival de Inverno da UFMG, em 1970. Ele se destacou, merecendo a recomendação para ganhar uma bolsa na Europa”, observa Berenice.

SEMESTRAL

Tudo começou durante um evento de música de câmara com professores vindos da Europa – Götz Hartmann, o próprio Carneiro e Mirta Herrera, radicada na Itália. “A ideia de criar a Semana de Música de Câmara foi deles. O sucesso da primeira edição nos fez dar continuidade ao evento, que se tornou semestral. Conseguimos o apoio do BDMG Cultural”, informa a presidente da FEA. A Semana da Música distribui bolsas de estudo para alunos carentes.

“Se não fossem Götz, Márcio e Mirta, além do apoio do BDMG, não conseguiríamos dar continuidade ao evento. Duas vezes por ano, os três vêm da Europa com a maior alegria, com o maior empenho. Passam em BH uma semana intensa de aulas e concertos”, elogia a presidente da FEA.

O trabalho desses musicistas tem impacto na cena de BH. “É uma semana de orientação competentíssima. Isso cria um ritmo, tem continuidade, fazendo com que eles voltem. A ajuda desses professores foi um estímulo para muita gente estudar fora do país”, diz Berenice. Durante o evento, é formada uma orquestra experimental, cuja direção fica a cargo de Götz  Hartmann.
Os pioneiros João Carlos Ferreira, Mirta Herrera, Götz Hartmann e Marcio Carneiro(foto: FEA/divulgação )
Os pioneiros João Carlos Ferreira, Mirta Herrera, Götz Hartmann e Marcio Carneiro (foto: FEA/divulgação )

PROGRAMAÇÃO
 
Domingo (8)
19h30 – Concerto em homenagem a Villa-Lobos. Com Alice Árabe (soprano), Ayran Nicodemo (violino) e Maria Helena de Andrade (piano). R$ 30 (inteira) 
e R$ 15 (meia-entrada).

Quarta (11)
21h – Concerto do Quarteto Guignard. Com Joanna Bello e Rodrigo Bustamante (violinos), Gerry Varona (viola) e Camila Ribeiro (cello). Peças de Samuel Barber e Maurice Ravel. R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada).

Sábado (14)
11h – Concerto da Orquestra Experimental. Participação do barítono Eladio Pérez-González. Peças de Dvorák e Calimério Soar. Entrada franca.

Domingo (15)
11h – Concerto de Götz Hartmann (violino), Mirta Herrera (piano) e Elise Pittenger (violoncelo). Peças de Bach, Brahms e Schumann. R$ 30 (inteira) 
e R$ 15 (meia-entrada).


Publicidade