Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Saiba quem é o autor da música mais ouvida do ano e como ele a compôs

Aos 20 anos e nascido em Atlanta (EUA), Lil Nas X usou referências do country e de games para criar em sua casa Road to old town, que ele publicou no YouTube e lidera há 14 semanas o ranking da Billboard


postado em 11/07/2019 04:07

Depois do fenômeno em que se transformou Road to old town, Lil Nas X assinou com a Columbia Records e se declarou homossexual (foto: Rich Fury/AFP)
Depois do fenômeno em que se transformou Road to old town, Lil Nas X assinou com a Columbia Records e se declarou homossexual (foto: Rich Fury/AFP)

Com uma letra que começa falando sobre uma viagem a cavalo pela “estrada da cidade velha”, Road to old town se tornou o principal hit do ano até aqui, há 14 semanas no topo do ranking Hot 100 da Billboard, principal parada musical do mundo. Apesar da popularidade e da importância do country na música pop norte-americana, tamanho sucesso se explica pela inusitada mistura do ritmo com o hip-hop, outra batida de enorme apelo junto ao público americano – e não só ele.

O responsável pela ousada proposta é Lil Nas X, de 20 anos. Além do sucesso numérico inédito para um single de artista estreante, ele quebrou outros paradigmas, ao se declarar homossexual, contrariando a lógica predominantemente heteronormativa dentro dos dois estilos musicais que congrega em seu trabalho.

O período na liderança do Hot 100 igualou o do remix de Macarena gravado pelos Bayside Boys, em 1996, como música de artista estreante há mais tempo na primeira posição. As marcas batidas por Old town road ainda incluem o título de hip-hop há mais tempo em primeiro lugar, superando Lose yourself, de Eminem, que liderou por 11 semanas, em 2002. Um detalhe que diz muito sobre a canção é que ela chegou a figurar na listagem segmentada do country, antes de se tornar um sucesso mundial, mas acabou excluída pela própria Billboard, em abril.

A decisão da Billboard revoltou parte dos fãs do rapper, que acusaram a revista de racismo. A empresa, por sua vez, afirmou que a canção passou pela avaliação de um comitê técnico e que a conclusão a que chegaram é que “a versão atual não utiliza elementos suficientes do country contemporâneo para ser considerada nessa categoria".

No entanto, o barulho já havia sido feito e, contratado pela gigante Columbia Records, Lil Nas X ganhou a parceria de Billy Ray Cyrus, astro do country nos anos 1990 nos Estados Unidos e depois disso mais conhecido como pai de Miley Cyrus, na gravação do novo remix – versão que hoje domina o ranking geral. Enquadrar-se em um ou outro estilo não parece ser uma grande preocupação para Montero Lamar Hill (nome verdadeiro do novo astro). Em entrevistas, ele prefere definir sua música como um “trap-country”, ou seja, a fusão da vertente mais melódica do hip-hop, em alta atualmente, com o estilo tradicional, presente nos acordes de banjo, na temática da letra e na indumentária que o artista nascido em Atlanta abraçou.

BATIDA COMPRADA A produção do fenômeno foi caseira, espontânea e despretensiosa. “Nas”, que ainda atendia por Montero Hill, era apenas mais um internauta de criatividade intensamente direcionada aos memes. Com um riff de banjo copiado da banda Nine Inch Nails e uma batida que comprou por US$ 30 no site BeatStars, compôs um refrão que falava sobre fugas a galope misturado com rimas sobre temas urbanos e publicou a música no SoundCloud.

Em seguida, juntou tudo em um clipe amador com imagens do game de faroeste Red Dead Redemption II, um dos jogos mais vendidos e bem avaliados do mundo e divulgou o resultado no YouTube. Um combo explosivo que, em poucos meses, tirou seu autor do anonimato, lançando-o ao posto de celebridade mundial, impulsionado pelo sucesso da música em um desafio de coreografias na rede social TikTok.

A primeira criação deu origem ao EP 7EP, lançado no último dia 21, que inclui outras seis faixas, além do hit do momento. Em algumas delas, como em Rodeo, que conta com a participação de Cardi B, há até uma referência mais discreta ao country. No entanto, nas outras, o trap é predominante e o pop rock aparece em Bring U down.

Old town road também ganhou um clipe superproduzido, que ultrapassou os 200 milhões de visualizações no YouTube. No vídeo, Lil Nas X aparece montado em seu cavalo, com roupa de caubói. Primeiro, passeia pela periferia, onde ganha um “pega” de um carro; depois, segue para um local chamado Old Town Hall, onde estão pessoas brancas, com figurino country. A cena reflete um tabu que o artista tenta quebrar em sua escalada, uma vez que o country norte-americano é amplamente dominado por músicos brancos (na lista de top 100 músicas country de 2018 da Billboard, apenas cinco eram de artistas negros).

RUPTURA Embora não seja o primeiro negro a abraçar o country em seu trabalho, sua colaboração com a chamada Yeehaw Agenda (termo usado em redes sociais para celebrar a diversidade racial no estilo) pode ser sem precedentes. Em um artigo sobre a exclusão de Old town road da lista dedicada ao gênero da Billboard, o crítico musical Jon Caramanica escreveu no New York Times que, “quando um artista como Lil Nas X, que é negro e faz rap e é de Atlanta, sem vínculos com o country music, reivindica a estética rural, mesmo que de uma maneira parcialmente irônica, causa uma ruptura real”, destacando o conservadorismo da indústria fonográfica do country, concentrada em Nashville, no Tenessee.

A quebra de padrões não fica só por aí. Há poucos dias, Lil Nas X surpreendeu boa parte do público ao revelar sua orientação sexual. Ele usou seu perfil no Twitter para se declarar homossexual, valendo-se de uma de suas músicas, C7osure, que fala sobre “autolibertação”. "Alguns de vocês já sabem disso, outros não vão ligar nem um pouco, e outros não vão mais gostar de mim por causa disso. Mas, antes que este mês acabe, quero que vocês ouçam C7osure com atenção", disse ele, usando ainda um emoji de arco-íris, o símbolo do orgulho LGBT, celebrado no mês de junho.

O posicionamento do artista, de fato, desagradou muitos aos fãs de rap e country, estilos no qual a diversidade sexual ainda é pouco representada. Dias depois, em entrevista à rede britânica BBC, ele declarou ter recebido uma série de ataques homofóbicos, com os quais não se importou. "Eu costumava ser essa pessoa negativa também. Não estou bravo com isso, porque entendo as pessoas que simplesmente querem ter esse tipo de reação", disse Lil Nas X, cujo temperamento tranquilo em entrevistas e redes sociais não faz supor essa pessoa negativa que ele afirma ter sido.

A ESTRADA DO SUCESSO

Confira a trajetória da canção  que alçou Lil Nas X ao estrelato

Dezembro de 2018 – Lil Nas X publica Old town road no SoundCloud e o clipe, com imagens do game Red Dead Redemption, no YouTube
Primeiro trimestre 2019 – A música vira febre no chamado Yeehaw Challange, na rede social de vídeos instantâneos TikTok
Março 2019 – Old town road entra no ranking Hot Country Songs, da Billboard, 
e Lil Nas X assina com a Columbia Records
Abril 2019 – Old town road é retirada do ranking Country pela Billboard, e Lil Nas X lança nova versão com Billy Ray Cyrus
Junho 2019 – Lil Nas X lança EP7, com Old town road e outras seis faixas
Julho 2019 – Old town road completa 14 semanas na liderança do Billboard Hot 100


Publicidade