Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

'Stranger things 3' mostra que mudar é o normal da vida

Terceira temporada de Stranger things, liberada ontem pela Netflix, trata da "inevitabilidade da mudança", segundo diretor da série. Trama começa em tom de calmaria, que dá lugar a acontecimentos enigmáticos e perturbadores


postado em 05/07/2019 04:09

Nos oito episódios da nova temporada, a amizade ainda é um ponto forte, mas a relação entre o
Nos oito episódios da nova temporada, a amizade ainda é um ponto forte, mas a relação entre o "Grupo" começa a ficar abalada por envolvimentos amorosos de seus integrantes (foto: Netflix/Divulgação)

Quando a nova temporada de uma série é lançada, o espectador tem a chance de matar sua curiosidade sobre como se dão os desenvolvimentos da trama, a resolução de pontos em aberto e, muitas vezes, tem a surpresa de se deparar com novos personagens. Stranger things, que chegou neste ano à sua terceira temporada, oferece algo além disso – a cada novo ano, os fãs observam o amadurecimento dos atores que interpretam os protagonistas, que eram crianças na temporada inaugural, em 2016.

Os oito episódios da nova temporada foram disponibilizados nesta quinta-feira (4) pela Netflix. Além dos acontecimentos sobrenaturais que voltam a tomar a cidade de Hawkins, Mike (Finn Wolfhard), Lucas (Caleb McLaughlin), Dustin (Gaten Matarazzo), Will (Noah Schnapp) e a superpoderosa Eleven (Millie Bobby Brown) precisam lidar também com a chegada da adolescência e suas consequências.

Depois de um final adocicado na temporada anterior, em que todo mundo achou um par para dançar no baile de encerramento do ano, ao som de Every breath you take (The Police), a história voltou em clima de romance. Mike e Eleven estão namorando. Tão apaixonados que deixam o “Grupo” de lado. Max (Sadie Sink) e Lucas têm uma relação mais superficial, mas também se mostram menos preocupados com o resto da turma. Dustin retorna de um acampamento de férias com um equipamento de rádio, que pretende usar precisamente para contactar uma garota com quem ele jura ter começado a namorar por lá. Will é o único que não avançou no assunto. Depois de quase morrer pela ação do monstro Demogorgon e passar vários apuros no “mundo invertido” (nome do universo paralelo que faz parte do enredo) com o Devorador de Mentes, ele prefere aproveitar a volta da normalidade na pequena cidade para seguir jogando RPG e brincando com os amigos.

A dissonância entre Will, que segue mais ligado à infância, e os companheiros estabelece um dos conflitos desta nova leva de episódios. Além disso, a normalidade em que eles pensavam viver na pequena (e fictícia) cidade de Hawkins logo acaba. Enquanto transcorrem dias quentes e tranquilos de verão, movimentações suspeitas se dão não muito longe dali, envolvendo o portal dimensional, e coisas estranhas voltam a ocorrer aos poucos.

O experimento radiofônico de Dustin intercepta uma conversa suspeita, e ele resolve investigar o caso, com a ajuda de Steve (Joe Keery). Mais velho, o rapaz agora trabalha numa loja de sorvetes em um shopping recém-inaugurado. Nos expedientes, ele tem a companhia de Robin, que é uma das principais novidades. Interpretada por Maya Hawke, filha de Ethan Hawke e Uma Thurman, a moça se destaca pela inteligência e também embarca na investigação, que leva o trio até pessoas bem perigosas.

SUSPENSE Como foi visto até aqui em Stranger things, os momentos de humor e comédia adolescente são intercalados pelo suspense. Desta vez, a ameaça vinda de outra dimensão se mostra mais complexa e perigosa e logo começa a ser notada pelos principais personagens. A começar por Joyce (Winona Ryder), que se dá conta de um fenômeno inquietante envolvendo os ímãs magnéticos e chama Hooper (David Harbour) para ir ao laboratório, que se encontra desativado, e averiguar. O delegado, por sua vez, acumula a função de pai adotivo de Eleven e, além de proteger a menina dotada de habilidades paranormais de forças do mal, precisa lidar com seu despreparo para se relacionar com uma adolescente.

A teia de mistério e romance ainda conta com o jovem e corajoso casal formado por Nancy (Natalia Dyer) e Jonathan (Charlie Heaton), que trabalham juntos no jornal local e também mergulham nos novos fatos. O bad boy Billy (Dacre Montgomery) retorna, com seu nível de vilania bem mais elevado. Os irmãos Matt e Ross Duffer, criadores e roteiristas da série, apostaram na manutenção das principais características que tornaram Stranger things um dos maiores fenômenos recentes da cultura pop.

Com a história ambientada em 1985, não faltam elementos oitentistas no enredo, sobretudo com a inauguração do novo shopping de Hawkins. A trilha sonora, também inspirada naquela época, acrescenta hits como (I just) died in your arms (Cutting Crew), Rock this town (Stray Cats) e Material girl (Madonna), esta embala a cena em que Eleven e Max, depois de uma briga com os meninos, vão juntas ao shopping se divertir e renovar o guarda-roupas.

“Essa temporada tem todo o amor e o aconchego que amamos na série, mas, do ponto de vista cinematográfico, atinge outro nível. Se Stranger things 2 se centrava nos esforços para a volta à normalidade, Stranger things 3 tem foco na inevitabilidade da mudança. Acho que não vão sobrar olhos sem lágrimas quando a temporada acabar”, disse o produtor-executivo e diretor Shawn Levy em material de divulgação da série. Logo nas primeiras horas da quinta-feira, feriado nacional nos Estados Unidos, o seriado se tornou um dos assuntos mais comentados no Twitter, com elogios de muitos fãs. Alguns deles atestando o caráter emotivo do desfecho.

BULLYING Se o tempo passou na ficção, na vida real o crescimento foi ainda maior para parte do elenco. Millie Bobby Brown, principal estrela da série, afirmou à Vogue Teen que o entrosamento com os colegas é perfeito depois de três anos juntos. No entanto, ela disse ter ficado desconfortável em algumas gravações mais difíceis. Segundo a atriz de 15 anos, que estampa a capa da revista norte-americana, após algumas cenas, tudo que ela queria era ir a um fast food e esquecer do trabalho. “Já acabamos? Podemos sair daqui e fazer outra coisa? Podemos ir ao Six Flags? Já estou pronta pra voltar a ser feliz”, afirmou sobre a experiência, semelhante àquela por que passou na primeira temporada, gravada quando ela era quatro anos mais nova e na qual sua personagem foi submetida a vários momentos de abuso psicológico.

O papel em Stranger things alçou Millie Bobby Brown ao posto de uma das principais e mais bem pagas celebridades juvenis do planeta. Em 2018, ela se tornou a mais jovem embaixadora do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), onde milita pelo combate ao bullying. “Acho importante me ligar a coisas apropriadas à minha idade e a personagens com os quais me relaciono. Quero dizer, algo pelo qual me sinto apaixonada e a razão pela qual amo trabalhar com o Unicef são as questões e mensagens subentendidas por meio do meu trabalho. O bullying ocorre nas escolas, o bullying continua on-line, e a série Stranger things trata sobre como abraçar sua individualidade”, disse ela.

O sucesso na série também lhe abriu portas no cinema. A atriz foi chamada para o elenco de Godzilla II: Rei dos monstros, lançado neste ano, e terá o papel principal em Enola Holmes, adaptação da série literária de mesmo nome com lançamento previsto para 2020, que contará também com Henry Cavill no elenco.

Stranger things também serviu como um trampolim para a carreira de Finn Wolfhard. Depois da primeira temporada, ele estrelou o terror It: A coisa, uma das maiores bilheterias mundiais de 2017. Sobre o processo de crescer diante das câmeras, Milly Bobby Brown deixou claro, em entrevista ao jornal britânico The Independent, que não se trata de um problema para ela. “As pessoas acham que não tivemos infância. Se você tem uma filha, tudo o que ela passou ou vai passar é exatamente o que passei. Nós ainda choramos. Nós ainda nos emocionamos com coisas aleatórias. Como qualquer outra criança.”

A ponte entre gerações proposta em Stranger things, com mistura de um elenco majoritariamente jovem e elementos do passado, surgiu como uma aposta e virou um produto robusto, amado por milhões de fãs e indicado às principais premiações televisivas. Como não deve sobreviver além da adolescência dos protagonistas, apenas mais uma ou duas temporadas devem ser lançadas além da terceira, segundo seus realizadores.


Stranger Things 3
• Netflix (os oito episódios da terceira temporada estão disponíveis)
• Duração: entre 50 minutos e 1 hora cada um


Publicidade