Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Neste domingo, o excêntrico Sheldon vai se despedir dos brasileiros

Às 22h, Warner Channel exibirá o último episódio de The big bang theory, fenômeno de audiência nos últimos 12 anos. Série fez história ao %u2018limpar a barra%u2019 dos nerds e divulgar a cultura geek


postado em 02/06/2019 04:12

Sheldon (Jim Parsons) recebe o Nobel de física no último episódio, que será exibido hoje no Brasil(foto: Michael Yarish/divulgação)
Sheldon (Jim Parsons) recebe o Nobel de física no último episódio, que será exibido hoje no Brasil (foto: Michael Yarish/divulgação)

A televisão está longe de ser a mesma desde 2007, mas The big bang theory chegou a seu final depois de 279 episódios mostrando coerência com a proposta lançada 12 anos atrás. Finalizada em 16 de maio nos Estados Unidos – o último episódio teve a maior audiência da TV americana neste ano, batendo em quatro milhões de espectadores a despedida de Game of thrones –, a série se despede do público brasileiro neste domingo (2).

A partir das 13h, o Warner Channel exibe programação especial: maratona da última temporada, seguida do episódio inédito (e duplo) e do especial com os melhores momentos da atração. Bem-amarrados, os episódios The change constant e The Stockholm syndrome não só fecham o arco da 12ª temporada, como dialogam com toda a série.

O anúncio do Nobel de física, que Sheldon (Jim Parsons) e Amy (Mayim Bialik) finalmente ganham, detona a narrativa. O genial e genioso cientista logicamente não recebe bem a notícia – afinal, tudo mudou em sua vida, e ele não consegue lidar. A mudança não é só de status, mas também das coisas que marcaram a série. Até mesmo o elevador aparece como personagem no episódio.

Por méritos próprios, Jim Parsons se tornou o protagonista da atração – foi graças a ele que a série terminou agora, pois o ator decidiu não renovar seu contrato. No encerramento, tudo continua girando em torno de Sheldon, para o bem e para o mal. O casal Leonard (Johnny Galecki) e Penny (Kaley Cuoco) anuncia uma boa nova, enquanto Howard (Simon Helberg) e Bernadette (Melissa Rauch) tentam se virar com os filhos pequenos. E a solteirice de Raj (Kunal Nayyar) ganha um final feliz. Personagens menores – Stuart (Kevin Sussman), Kripke (John Ross Bowie) e Bert (Brian Posehn) – também dão as caras.

The big bang theory representou, na última década, o que Friends foi nos anos 1990. Uma sitcom despretensiosa, com bons atores (e ótimas participações de peso) e que até o minuto final conseguiu fazer rir. Mesmo alongada, a série não perdeu sua razão de ser.

A produção levou para o grande público referências da cultura geek e mostrou que os nerds podem ter uma vida para lá de interessante. Desfez clichês, alcançando uma dimensão muito além da TV – o Instituto Internacional Astronômico nomeou, recentemente, um grupo de estrelas na constelação de Ursa Maior como The Big Bang Dipper.

THE BIG BANG THEORY
O episódio duplo final será exibido neste domingo (2), às 22h, na Warner Channel. A partir das 13h, o canal exibe maratona da última temporada. Às 22h50, vai ao ar o episódio final de Young Sheldon, spin-off da série; às 23h15, será apresentado o especial Desvendando o mistério: Um adeus a Big bang theory.


Publicidade