Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Tesoura entra em cena

Filme que conta a trajetória de Elton John tem censuradas imagens de sexo e consumo de drogas nas cópias para o mercado da Rússia. Distribuidora alega que %u2018segue a lei%u2019


postado em 01/06/2019 04:11

Taron Egerton é Elton John e Richard Madden interpreta John Reid, namorado do artista: passagens %u2018picantes%u2019 vetadas nas telas russas (foto: Gavin Bond/Paramount/Divulgação)
Taron Egerton é Elton John e Richard Madden interpreta John Reid, namorado do artista: passagens %u2018picantes%u2019 vetadas nas telas russas (foto: Gavin Bond/Paramount/Divulgação)


Em cartaz no Brasil desde quinta-feira, o filme Rocketman, que conta a trajetória do popstar Elton John, teve censuradas cenas de amor homossexual e consumo de drogas na versão para a Rússia, segundo críticos que assistiram a uma exibição, ontem, em Moscou.

A distribuidora local confirmou ter promovido esses cortes, alegando razões legais, sem dar mais detalhes. “Todas as cenas de beijos, amor ou sexo oral entre homens foram cortadas”, escreveu em sua página no Facebook o crítico russo Anton Doline, qualificando de “flagrantes” alguns dos cortes.

Apresentado no Festival de Cannes, o longa trata da ascensão do artista inglês, um dos primeiros cantores que assumiram abertamente a condição de gay, e sua luta contra os vícios (drogas, sexo, álcool). Outro jornalista russo que assistiu à exibição confirmou que as cenas sobre drogas também haviam sido retiradas.

A empresa que distribui Rocketman no país, Central Partenership, confirmou à agência estatal Tass que o filme foi modificado para “respeitar as leis russas”. Desde 2013, lei estabelecida pelo governo Vladimir Putin pune com multa ou prisão qualquer ato de “propaganda” homossexual ante menores.

No entanto, não está claro se isso se aplica ao filme, que será proibido para menores de 18 anos quando for lançado na Rússia, na semana que vem. O ministro da Cultura, Vladimir Medinski, negou que a pasta tenha sido responsável pelos cortes, argumentando que “tudo é decidido pelo distribuidor”, segundo a agência Ria Novosti.

De acordo com o crítico Anton Doline, a mensagem que aparece no final do filme também foi modificada: enquanto o texto original indica que Elton John encontrou o amor e cria duas crianças com um homem, a versão russa se limita a informar que ele criou uma associação de luta contra a aids.

Outros filmes com cenas de amor homossexual, entre eles Bohemian rapsody, sobre o vocalista do Queen, Freddy Mercury, foram exibidos na Rússia sem cortes. Elton John é popular no país, onde se apresentou pela primeira vez em 1979, ainda durante a vigência da União Soviética. Na época, o cantor se mostrou crítico às leis do país, consideradas discriminatórias para os homossexuais.

KITSCH

Rocketman não é propriamente uma cinebiografia tradicional de Elton John. O filme dirigido por Dexter Fletcher abriu mão da reconstituição cronológica da vida do astro para oferecer ao espectador uma viagem delirante e deliciosamente kitsch pela complexa personalidade do artista britânico, embalada por uma sucessão de hits que conquistaram o mundo nos últimos 50 anos.

Taron Egerton impressiona como Elton John. O ator chegou a se submeter a uma espécie de “maquiagem dental” para exibir o diastema, os famosos dentes separados do cantor e compositor.

O ícone pop surge carente, fruto de um casamento sem amor. Cheio de problemas, às voltas com o vício – numa cena, vai ao encontro dos alcoólicos anônimos fantasiado de diabo –, o personagem ganha fôlego quando se ouvem suas pérolas pop. É bom lembrar: ele se mantém sóbrio desde 1991.



Publicidade