Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Roberta Sá lança Giro em homenagem a Gil

Cantora dedica seu mais novo projeto musical ao músico baiano, que também participa do álbum. Artista destaca generosidade do parceiro


postado em 29/04/2019 05:08

(foto: Nana Moraes/divulgação)
(foto: Nana Moraes/divulgação)

“Acho que a gente pode reagir de duas maneiras a tudo o que está acontecendo. E as duas têm a sua importância. Uma é o lugar da militância, de apontar as falhas, e a outra é pelo acolhimento, que foi a bandeira que decidi carregar”

“Ele (Gil) me olhou de uma maneira muito generosa. Criou músicas da observação dele sobre mim. Ultimamente, está todo mundo tão centrado no próprio umbigo, o mundo tão congelado, pesado, e ele nesse altruísmo”

“Depois desse projeto com ele e para ele (Gil), a minha vida ganhou outro significado e passei a ser mais generosa também”

“Sempre vi o Gil com um olhar de muita admiração. Era um mito. Hoje, acho engraçado tê-lo como amigo. É meio inacreditável”

Roberta Sá, cantora

Roberta Sá escolheu o afeto para nortear o seu mais novo projeto musical, Giro, que acaba de chegar às plataformas física e digital. Não é à toa que o álbum traz canções que falam de amor, de saudade, de paixão e até sobre A vida de um casal, que, inclusive, é uma das faixas. “Acho que a gente pode reagir de duas maneiras a tudo o que está acontecendo. E as duas têm a sua importância. Uma é o lugar da militância, de apontar as falhas, e a outra é pelo acolhimento, que foi a bandeira que decidi carregar. É o que quero cantar neste momento”, avisa.

Xote da modernidade, outra do repertório, também sugere essa delicadeza como forma de levar a vida. “Vem cá que eu vou te ensinar/Uma maneira de encarar a vida/ Tá tudo fora do lugar/Vamos achar nossa medida”. “E não é fácil encarar a vida de uma maneira mais leve. É um trabalho diário, mas estou me esforçando”, comenta a cantora. E principalmente após finalizar o disco, que presta homenagem a Gilberto Gil, Roberta diz que passou a ter um novo olhar sobre tudo o que vai de encontro a essa nova forma de encarar as coisas.

A cantora potiguar destaca que ficou impressionada com a generosidade de Gil, que não só assina todas as 11 faixas inéditas do novo trabalho dela – seja sozinho ou em parceria – como toca e fez parte do processo de produção de Giro. “Ele me olhou de uma maneira muito generosa. Criou músicas da observação dele sobre mim. Ultimamente, está todo mundo tão centrado no próprio umbigo, o mundo tão congelado, pesado, e ele nesse altruísmo. Acho isso de uma beleza, de uma riqueza. É uma lição de amor. Depois desse projeto com ele e para ele, a minha vida ganhou outro significado e passei a ser mais generosa também”, ressalta.

Gilberto Gil sempre foi uma das principais referências artísticas de Roberta Sá. Aliás, ela conseguiu a vaga para participar do reality musical Fama, em 2002, na Globo, interpretando uma composição do baiano, Amor até o fim. “Ele sempre esteve presente na minha vida, na minha formação. Mas sempre foi algo muito distante”, recorda. Em 2011, Roberta foi chamada para fazer um dueto com Gil em Minha princesa, tema de abertura da novela Cordel encantado, que está sendo reprisada no Vale a pena ver de novo, na Globo. “Nós gravamos as vozes separadas; cada um em um momento e em um estúdio. Foi tão maluco porque a gente se falou sobre o projeto e me lembro de ele estar na Austrália e eu em Manaus comentando como foi. Mas fomos cantar juntos pela primeira vez mesmo num festival aí em Belo Horizonte”, conta.

Os dois só passaram a ter um contato mais próximo em 2016, na casa do jornalista Jorge Bastos Moreno (1954-2017), que promovia encontros culturais. “Sempre vi o Gil com um olhar de muita admiração. Era um mito. Hoje, acho engraçado tê-lo como amigo. É meio inacreditável”, pontua. A cantora, que é de Natal (RN), mas mora há anos no Rio, também é só elogios para o filho de Gilberto Gil, Bem Gil, que é o produtor musical do álbum, além de ter participado como músico e arregimentando a banda que acompanhou Roberta na gravação. Bem também foi fundamental na primeira parceria da cantora e compositora com o autor de Drão.

TURNÊ  “Ele tem um jeito de produzir que faz com que todos tenham a oportunidade de criar. Apesar de dar uma direção, Bem sabe conduzir de uma maneira única, em que a gente é muito livre e todos ficam em pé de igualdade. Fui maravilhosamente acolhida por ele, pelo Gil e por toda a família. Não poderia estar mais feliz, realizada e honrada com este trabalho”, celebra a artista.

A turnê de Giro começa por Salvador, em 10 de maio. Na sexta seguinte (17), ela estará em BH, no Palácio das Artes. Os ingressos já estão à venda e variam de R$ 45 a R$ 130. Roberta estará acompanhada no palco de Bem Gil (violão e guitarra), Alberto Continentino (baixo), Marcelo Costa (bateria e percussão) e Danilo Andrade (teclado).

Clipe com Ben Jor
Em Giro – que une as sílabas iniciais de Gilberto Gil (Gi) Roberta Sá (Ro) – a cantora conseguiu o feito de reunir, depois de 45 anos, o cantor e compositor baiano e Jorge Ben Jor em uma parceria. Ela diz que me ama foi lançada no final de março, em videoclipe reunindo Roberta, Ben Jor e Gil, sob direção de Andrucha Waddington.

Giro
Roberta Sá
Rosa Produções/Deck
11 faixas
Preço médio: R$ 28
Disponível também nas plataformas digitais

FAIXA
1 – Giro (Gilberto Gil)
2  – O lenço e o lençol (Gilberto Gil)
3  – Cantando as horas (Gilberto Gil e
Roberta Sá)
4 – Ela diz que me ama (Jorge Ben Jor e Gilberto Gil)
5 – Nem (Gilberto Gil, Bem Gil e Alberto Continentino)
6 – Fogo de palha
(Gilberto Gil e Roberta Sá)
7 – Autorretratinho (Gilberto Gil)
8 –A vida de um casal (Gilberto Gil)
9 –Xote da modernidade (Gilberto Gil, Bem Gil e Roberta Sá)
10  – Outra coisa (Gilberto Gil, Roberta Sá e Yuri Queiroga)
11 – Afogamento (Gilberto Gil e Jorge Bastos Moreno)


Publicidade