Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Célio Balona comemora seus 80 anos com quatro shows especiais no CCBB

Nesta quarta (20), ele relembrará o repertório do CD Batuquerê. Até 1º de maio, o compositor e multi-instrumentista recebe Ivan Lins, Chico Amaral, Gilson Peranzzetta e Nivaldo Ornelas, entre outros


postado em 20/03/2019 05:06

Celio Balona e seu inseparável acordeom. O mineiro iniciou a carreira tocando em bailes, nos anos 1950 (foto: Elcio Paraíso/divulgação)
Celio Balona e seu inseparável acordeom. O mineiro iniciou a carreira tocando em bailes, nos anos 1950 (foto: Elcio Paraíso/divulgação)


O compositor, arranjador, tecladista e acordeonista mineiro Célio Balona volta aos palcos para comemorar seus 80 anos e relembrar as canções do disco Batuquerê, lançado por ele em 1992. Com 65 anos de carreira, Balona fará quatro shows, recebendo Ivan Lins, Nivaldo Ornelas, Chico Amaral e Gilson Peranzzetta, entre outros convidados. A festa começa nesta quarta-feira (20), às 20h, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em BH.

“Batuquerê tem importância muito grande pra mim. Foi o meu início na música instrumental, o que realmente queria fazer. Quis dar um nome diferente ao CD, assim como fazia Guimarães Rosa. Batuquerê vem de querer batucar, de tocar, da vontade de fazer música e sentir o ritmo”, explica Balona. Ele conta que na época da gravação, em 1991, escolheu músicos com quem tinha afinidade para registrar suas canções autorais. A banda reunia Kiko Mitre (baixo), Chico Amaral (saxofones), Bill Lucas (percussão) e Pingo Ballona (bateria), além dos convidados Waldir Silva (cavaquinho), Dado Prates (flauta) e Weber Lopes (viola).

O repertório desta quarta-feira (20) terá canções de Batuquerê e do disco Imagens, lançado em 1983. “Estarei acompanhado por músicos que fizeram parte da formação original e dos jovens Luísa Mitre (piano acústico), Natália Mitre (vibrafone) e Christiano Caldas, também responsável pela direção do show. Quis prestigiar e valorizar essa nova geração do instrumental mineiro e brasileiro. As irmãs Luísa e Natália são grandes musicistas, quero integrar essa nova geração com a velha-guarda”, ressalta Balona.




ACORDEOM O segundo show, em 3 de abril, contará com Lins (piano), Gilson Peranzzetta (teclados) e Kiko Mitre (baixo acústico). “Tocaremos as músicas mais conhecidas do Ivan, canções imortais que fizeram – e fazem – a cabeça de muita gente. Vou tocar o meu acordeom”, adiante Balona.

“O terceiro show lembrará os tempos em que morei em Florianópolis, onde montei uma banda eletrônica. Ele se chama Célio Balona & BR Groove – Música eletrônica. Convidei duas pessoas que tocavam comigo naquela época: o percussionista Mário Pereira e o DJ Júnior Antonini”, revela.

Também subirão ao palco o baixista Adriano Campagnani, o guitarrista Magno Alexandre, o tecladista Cristiano Caldas e o baterista Pingo Ballona. “Estarei nos teclados e no vocal ao lado de Kadu Vianna e Bob Tostes”, diz.

Balona diz que seu propósito é ressaltar a importância dos sintetizadores. “Eles deram às pessoas a oportunidade de conhecer outros timbres, além dos acústicos. O repertório trará, basicamente, canções de Tom Jobim e uma de Guilherme Arantes. As outras são minhas”, conta Balona.

Sua ligação com os sintetizadores é antiga. Em 1977, o mineiro representou a América Latina no Encontro Mundial da Yamaha, realizado no Japão.

BAILE Anos dourados, o último show, foi marcado para 1º de maio. “Vamos lembrar os meus tempos de baile, entre as décadas de 1950 e 1980, que acabaram me deixando conhecido no cenário musical. O repertório terá canções românticas italianas e francesas, além dos famosos boleros”, adianta Balona.

A banda de Anos dourados reunirá Nivaldo Ornelas (sax), Wagner Souza (flugelhorn e trompete), Milton Ramos e Ezequiel Lima (baixo), Cristiano Caldas (teclados), Pingo Ballona (bateria), Bill Lucas (percussão) e o anfitrião (teclados e piano).


Publicidade