Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

MEMÓRIAS DA FOLIA


postado em 06/03/2019 05:03

(foto: Fotos: Helvécio Carlos/EM/d.A Press)
(foto: Fotos: Helvécio Carlos/EM/d.A Press)
>>  helveciofigueiredo.mg@diariosassociados.com.br


Fora de moda
A retomada do carnaval ainda é algo novo para BH. Por isso, a rapaziada que frequentou as festas indoor deve ter confundido a produção para a folia – marcada por humor e criatividade – com o visual para azarar gatinhas na balada. O que tinha de neguinho com camisetas estampadas com nomes de estilistas em letras garrafais não estava no gibi. Aliás, esse tipo de blusa não funciona nem no carnaval nem no dia a dia.

Humor de preguiçoso
Alguns – sem tempo ou paciência – recorreram a camisetas com frases irônicas para levar um pouco de humor para a folia. A “customização” ficou mais em conta com plaquinhas de cartolina ou papel-ofício penduradas no peito. Essas eram toscas, mas carnaval é sempre carnaval...

VIP sem mordomia
Ponto de interseção do vaivém dos foliões que saíam ou chegavam à Savassi, a esquina da Avenida do Contorno com a Rua Lavras foi o melhor trecho para quem tem preguiça da muvuca, mas se diverte com os personagens do carnaval. A maioria optou pela praticidade, com produções óbvias – asinha de anjo, chifre de capeta, “tutu” de bailarina usado por homens. Mas chamaram a atenção as produções superavacalhadas. A campeã no quesito era a dos “bebês” usando fraldas descartáveis, simplesmente horrorosa. Porém, aí também está a graça do carnaval.

Eles estão com tudo e não estão prosa
Na folia, todo mundo fatura. Uns mais, outros nem tanto. Atrações musicais que se apresentaram nas festas indoor em BH não têm do que reclamar. Informações extraoficiais apontam que Gusttavo Lima levou pra casa cachê de R$ 400 mil a R$ 600 mil. Anitta teria recebido cerca de R$ 750 mil.

Quanto vale o show

Quem preferiu curtir nas áreas VIP de festas indoor no Buritis e Olhos D’Água pagou de R$ 7 mil a R$ 12 mil pelo camarote, sem contar o preço da entrada. Esses espaços, com capacidade para até 20 pessoas, ficam em grandes lounges, que substituem as áreas de open bar, que já tiveram seu apogeu. A troca de formatos atende a um quesito básico: faturamento.


Publicidade