Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Grammy dá destaque às mulheres e tenta se redimir com o hip-hop

O rapper Childish Gambino levou quatro prêmios, mas não foi à festa da música. A cantora Kacey Musgraves venceu a categoria álbum do ano e Michelle Obama deu um show


postado em 12/02/2019 05:08

Lady Gaga, Jada Pinkett Smith, Alicia Keys, Michelle Obama e Jennifer Lopez na abertura do Grammy(foto: Robyn Beck/AFP)
Lady Gaga, Jada Pinkett Smith, Alicia Keys, Michelle Obama e Jennifer Lopez na abertura do Grammy (foto: Robyn Beck/AFP)

O rap e as mulheres foram o destaque da 61ª cerimônia do Grammy – considerado o Oscar da música –, realizada no domingo à noite, em Los Angeles. This is America, manifesto antirracista do rapper, ator e roteirista Childish Gambino (nome artístico de Donald Glover), conquistou quatro prêmios, inclusive o de melhor gravação e canção. Foi o primeiro rap a vencer essas categorias na história da Grammy.


Glover/Gambino não compareceu à festa e recusou o convite de se apresentar no evento. O músico sueco Ludwig Goransson recebeu o troféu em nome dele. De acordo com a imprensa americana, a ausência foi um protesto contra o histórico descaso do Grammy em relação ao hip-hop, problema aparentemente “sanado” desta vez. Porém, vários astros e estrelas do rap compareceram à cerimônia.


A força feminina na indústria da música chamou a atenção – da apresentadora Alicia Keys à mulher mais indicada ao Grammy, Brandi Carlile. As donas da noite foram Camila Cabello, Miley Cyrus, Jennifer López, H.E.R., Dua Lipa, Cardi B, Kacey Musgraves, Lady Gaga, Janelle Monáe e a jovem dupla de R& B Chloe e Halle. Dolly Parton e Diana Ross ganharam homenagem, assim como a diva Aretha Franklin.


No início da cerimônia, Michelle Obama, entre outras mulheres, foi convidada a falar sobre a importância da música em sua vida. “Seja country, rap ou rock, música nos ajuda a dividir, seja nossa dignidade ou dor, nossa esperança ou alegria”, afirmou a ex-primeira-dama dos Estados Unidos.

COUNTRY A cantora Kacey Musgraves levou o importante Grammy na categoria álbum do ano, com Golden hour, além de outras três estatuetas. Lady Gaga ficou com três prêmios (inclusive melhor performance pop). Durante a festa, ela cantou Shallow, destaque da trilha do filme Nasce uma estrela, criada por ela e Bradley Cooper.


Cardi B, que arrasou no modelito e na performance do hit Money, tornou-se a primeira mulher a ganhar o Grammy na categoria melhor álbum de rap, por Invasion of privacy. Surpresa e emocionada, ela declarou: “Acho que tenho de fumar maconha”. Outro destaque foi Dua Lipa, que levou o prêmio de artista revelação e melhor gravação dance.

AUSÊNCIA Ariana Grande levou seu primeiro Grammy por Sweetneer, na categoria melhor álbum pop vocal. A jovem estrela boicotou a festa, insatisfeita com imposições dos produtores, que não a deixaram cantar 7 rings, seu último single, durante a cerimônia.


O rapper canadense Drake apareceu de surpresa para receber o prêmio de melhor música de rap, concedido a God’s plan. Também insatisfeito com o pouco espaço dado ao hip-hop na história da premiação, disparou: “Você já ganhou se há pessoas cantando suas músicas palavra por palavra, se você é um herói na sua cidade. Você já ganhou, não precisa disso aqui”. Foi interrompido pela produção.


A cerimônia começou com Havana, hit de Camila Cabello, com participações de Young Thug, J Balvin e Ricky Martin. O rapper Post Malone se apresentou com a banda Red Hot Chili Peppers. Quem levou o melhor álbum de pop latino por Sincera foi a cantora e compositora argentina Claudia Brant, radicada nos Estados Unidos.

 

 

DESTAQUES

» Álbum do ano
Golden hour, de Kacey Musgraves

» Gravação do ano
This is America, de Childish Gambino

» Canção
This is America, de Childish Gambino

» Jovem artista
Dua Lipa

» Disco de country
Golden hour, de Kacey Musgraves

» Melhor rap
God’s plan, de Drake

» Álbum de R&B
Her, de H.E.R.

» Álbum de rap
Invasion of privacy, de Cardi B

» Clipe
This is America, de Childish Gambino

» Álbum pop vocal
Sweetener, de Ariana Grande

 

 

MURO

A cantora Joy Villa, conhecida por seu posicionamento pró-Donald Trump, usou um “vestido-manifesto” na festa do Grammy. Nele estava escrito Build the wall (Construa o muro), referência ao projeto do presidente norte-americano de construir um muro na fronteira com o México.

 


Publicidade