Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Projeto musical Migrações valoriza os saberes do interior de Minas

Neste sábado (9), concerto exibe o resultado de residências artísticas realizadas por Makely Ka, Rafael Martini, O Grivo e Letícia Bertelli, entre outros músicos


postado em 09/02/2019 05:04

Músicos de MG se reuniram no projeto Territórios de invenção (foto: Área de Serviço/divulgação)
Músicos de MG se reuniram no projeto Territórios de invenção (foto: Área de Serviço/divulgação)

Entre julho e dezembro do ano passado, artistas mineiros com diferentes propostas musicais pegaram a estrada rumo ao interior do estado. Na bagagem, levavam a criatividade e a capacidade de criar a partir da troca de experiências com talentos locais. O resultado da segunda edição do programa Territórios de invenção: Residências musicais, realizado pela Fundação de Educação Artística (FEA), será apresentado neste sábado (9), durante o concerto Migrações.

A apresentação será um passeio por variadas linguagens, de alguma forma influenciadas pela estadia de duas semanas nas cidades mineiras. Seis artistas, entre duos, solos e em grupo, subirão ao palco da FEA. Um deles é o compositor e instrumentista Rafael Martini. Ao lado de Joana Queiroz, ele fez residência em Varginha, atuando em duas oficinas de composição. Uma ao lado de Joana e em outra com músicos e professores do conservatório local.

“O resultado foi muito surpreendente, nos dois casos. A residência coletiva teve um engajamento muito grande dos professores e alunos, todo mundo muito envolvido. Conseguimos compor e arranjar três músicas e vamos apresentá-las”, explica Martini.
O cantor e poeta Makely Ka fez residência em Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, em parceria com Letícia Bertelli. Ele se valeu da rica cultura local para criar. O resultado foi uma música inspirada na feira, forte expressão regional.

“Vou apresentar a canção Feira de Araçuaí. O refrão diz ‘a feira de Araçuaí não é Caruaru, não é Acari’. São universos muito diferentes, mas com essa coisa atemporal de as pessoas se encontrarem nas feiras. O lugar se atualiza, mas era onde artistas se apresentavam, os cantadores, improvisadores. É ali que se troca informação”, explica.

Migrações apresentará também o grupo O Grivo, que esteve em Contagem; o Duo Quattus e Felipe José, com residência em São João del-Rei; Marina Cyrino e Matthias Koole, que foram para Juiz de Fora; e Edson Fernando e Ricardo Passos, cuja estadia ocorreu em Araguari.

MIGRAÇÕES
Neste sábado (9), às 20h. Sala Sergio Magnani da Fundação de Educação Artística. Rua Gonçalves Dias, 320, Funcionários. R$ 2.
Informações: (31) 3224-1744.









Publicidade