Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Aprendendo a cuidar


postado em 21/01/2019 05:06

 

De acordo com especialistas, existem quatro tipos de cabelo: lisos, ondulados, cacheados e crespos. Dentro de cada um deles, há três variações. Nos lisos, temos fios finos, fazendo com que o cabelo seja bem leve; o fio médio e, por último, o fio mais grosso, responsável pelo cabelo mais pesado. Todos os três tipos são mais oleosos e brilhantes.
O cabelo ondulado tem três variações de intensidade de ondas.

 

A tendência é ser natural, ou seja, nem oleoso e nem seco. Depois vem o cacheado, com cachos bem mais definidos. Com três intensidades de cachos e de grossura de fios, normalmente a raiz é oleosa, com pontas mais secas. Por fim, temos os cabelos crespos, com três níveis de cachos, alguns começando bem rente à raiz. Esse tipo de cabelo é seco.

 

Muitos podem dizer que essas informações são óbvias, conhecidas de todos. Realmente. Porém, o cabelo é a moldura do rosto da mulher. O homem careca é muito bem aceito. Há quem diga que as mulheres gostam mais dos carecas. Mas todo mundo põe reparo na mulher com cabelos mais ralos. Há casos em que é possível ver com nitidez o couro cabeludo. Certa vez, uma conhecida que tem esse problema me confessou: o olhar das pessoas incomoda muito mais do que a própria falta da preciosa madeixa.


O verão sacrifica os cabelos. Não são poucos os produtos para tratamentos capilares, mas alguns hábitos aumentam a oleosidade, o que acaba provocando caspa. Domenica Souza, hairdresser de um dos maiores salões de beleza de São Paulo, aponta hábitos que devem ser evitados:


>> Dormir de cabelo molhado. Refresca o calor, mas compromete a saúde capilar, pois pode causar a proliferação de bactérias no couro cabeludo que deixam a região oleosa, favorecendo o aparecimento da caspa e acelerando a queda. “Os fios ficam frágeis e acabam quebrando em contato com o travesseiro”, explica.


>> Lavar o cabelo com água quente. “É um dos piores hábitos para quem quer se ver livre dos cabelos oleosos, pois a água quente resseca o couro cabelo e estimula as glândulas sebáceas a produzir mais oleosidade, causando o famoso efeito rebote. Use água morna e faça o último enxágue com água fria para fechar as cutículas do fio.”


>> Usar secador e chapinha excessivamente e sem proteção. Isso pode causar ressecamento extremo, o que leva o couro cabeludo a produzir mais oleosidade na tentativa de hidratar os fios.


>> Aplicar condicionador e máscara capilar no couro cabeludo. “O ideal é usar esse tipo de produto somente no comprimento e nas pontas. Quando aplicados no couro cabeludo, eles podem obstruir a raiz dos fios e causar uma série de danos, como queda e caspa.”


>> Xampu em excesso. Pode tirar mais oleosidade dos fios do que deveriam, deixando-os ressecados e causando efeito rebote no couro cabeludo.


>> Esfoliar agressivamente o couro cabeludo. “Esfoliar a cada duas semanas é essencial para remover o acúmulo de produtos e células mortas, que podem fazer com que os cabelos fiquem mais oleosos do que o normal. Porém, é preciso tomar cuidado. A esfoliação agressiva ou excessiva pode irritar a região, provocando o efeito rebote.”


>> Mexer excessivamente no cabelo com as mãos.


Publicidade