Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Grande sertão de cara nova

Obra-prima de Guimarães Rosa ganha edição pela Companhia das Letras, com capa inspirada na arte de Bispo do Rosário. Global prepara relançamento dos demais trabalhos


postado em 19/01/2019 05:02

O escritor mineiro em viagem realizada pelo Norte de Minas acompanhando grupo de tropeiros, uma de suas referências para criar o romance de 1956 (foto: Eugênio Silva/O Cruzeiro/D.A.Press %u2013 21/7/52)
O escritor mineiro em viagem realizada pelo Norte de Minas acompanhando grupo de tropeiros, uma de suas referências para criar o romance de 1956 (foto: Eugênio Silva/O Cruzeiro/D.A.Press %u2013 21/7/52)

 

Com duas “novas casas”, as editoras Global e Companhia das Letras, a obra de João Guimarães Rosa (1908-1967) ganha reedições, com novidades, neste início de ano. Já está em pré-venda a primeira edição, pela Companhia das Letras, de Grande sertão: veredas (1956) – o lançamento será em 25 de fevereiro. Já a Global, que detém todos os outros livros do escritor mineiro, vai começar a publicá-los em março. O título inicial será Sagarana (1946).

Após disputa entre as editoras, a obra, desde 1984 publicada pela Nova Fronteira, foi dividida. Em vida, Rosa dedicou seu livro mais importante à segunda mulher, Aracy (1908-2011). “A Aracy, minha mulher Ara, pertence este livro”, escreveu o autor em Grande sertão.

Desta maneira, a obra pertence unicamente aos herdeiros dela – no caso, seu neto, o advogado Eduardo Carvalho Tess Filho. De seu primeiro casamento, Aracy teve um único filho. Já os direitos dos demais livros pertencem tanto ao neto de Aracy quanto às filhas de Rosa, Vilma e Agnes – esta última, morta em 2016, deixou herdeiros.

A nova edição de Grande sertão vai sair com uma série de extras. Com 552 páginas, o volume toma o estabelecimento de texto tendo como referência a segunda edição da obra, publicada em 1958, pela Editora José Olympio, além de cronologia ilustrada, indicações de leitura e textos célebres publicados sobre o romance. Entre os autores estão os ensaístas Roberto Schwarz, Davi Arrigucci Jr. e Silviano Santiago. Haverá ainda correspondências trocadas entre Clarice Lispector (1920-1977) e Fernando Sabino (1923-2004) sobre o livro. O projeto gráfico inclui desenhos de Poty Lazzarotto, que ilustrou as primeiras edições da obra.

A capa da nova edição de Grande sertão uniu Rosa a Arthur Bispo do Rosário (1909-1989). Diretor de arte da Cia. das Letras, Alceu Nunes afirma que não foi fácil encontrar o caminho. “Muita gente é apaixonada por Grande sertão e Guimarães Rosa. E cada pessoa tem uma relação afetiva com seu livro. A capa do volume que a pessoa conviveu faz parte de sua vida. Vai demorar até que se crie uma nova identificação”, diz Nunes.

Ele chegou a pensar em um caminho fotográfico ou de ilustrações, que explorassem a fauna e a flora do sertão de Minas. Foi demovido da ideia ao encontrar a obra de Arthur Bispo, nome sugerido por Lilia Schwarcz. A capa foi baseada no Manto da apresentação, o mais conhecido trabalho do artista. Espécie de mortalha, o manto foi bordado por Bispo ao longo de boa parte de sua vida. A intenção do artista era vesti-lo no dia do juízo final. Ele bordou no trabalho os nomes das pessoas que julgava merecedoras de subir aos céus.

“No primeiro estudo que fiz do trabalho, pensei em um bordado das veredas. Só que o pessoal da editora achou que o figurativo dava uma certa inocência, que não tinha o impacto para uma obra tão forte”, conta Nunes. Dessa maneira, optou-se por bordar os nomes dos personagens do livro – ao todo, foram bordados 78 nomes.

A tessitura da capa foi totalmente manual. Ex-diretora de produção da editora, Elisa Braga bordou a tela de 44cm X 25cm. Depois, o trabalho foi fotografado. Nunes adianta que a primeira tiragem da nova edição de Grande sertão ainda contará com uma cinta de tecido em vermelho.

A importância de se publicar uma das maiores obras da literatura brasileira vem sendo reconhecida. Além da edição que sairá no mês, o romance de Riobaldo e Diadorim terá novas versões. Ainda neste semestre, a Companhia das Letras publica uma edição de luxo da obra, voltada para colecionadores. E estão previstas, ainda sem data, versões em audiolivro e uma graphic novel, sem dar maiores informações sobre o projeto. Em 2014, foi publicada versão em quadrinhos pela Biblioteca Azul, selo da Globo Livros, com roteiro de Eloar Guazzelli e arte de Rodrigo Rosa, que foi premiada com o Troféu HQ Mix. A segunda edição dessa adaptação, de 2016, saiu pela Globo Livros Graphics.

A edição de Sagarana da Global será prefaciada por Walnice Nogueira Galvão, uma das maiores autoridades na obra do autor. A editora afirma que há novidades “que estão sendo negociadas” para essa edição. Em 2019, a Global publica Manuelzão e Miguilim (novela que integra Corpo de baile), Primeiras estórias e o infantil Zoo.

A obra maior de Rosa, mesmo com o novo acordo com a Companhia das Letras, continua sendo objeto de desejo. Através de sua assessoria, a Global confirma que “tem mesmo a intenção de negociar a publicação de Grande sertão em uma obra completa, que sairá pela Nova Aguilar (editora que integra o grupo)”.


ARA E JOÃOZINHO

Morta aos 102 anos, Aracy Moebius de Carvalho Guimarães Rosa teve trajetória importante, que não se restringe ao papel de coadjuvante. Durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), ela trabalhou no consulado brasileiro em Hamburgo, na Alemanha. Ficou conhecida por ter ajudado muitos judeus, que fugiam do Holocausto, a entrar ilegalmente no Brasil durante o governo de Getúlio Vargas. Recebeu do governo de Israel o título Justa entre as Nações e teve seu nome incluído no Yad Vashen, o museu do Holocausto de Jerusalém. A TV Globo pretende fazer uma minissérie sobre Aracy, a Ara de Guimarães Rosa. Aracy, o anjo de Hamburgo será escrita por Mário Teixeira. Como ele está envolvido com a novela das 19h, O tempo não para, a produção foi jogada para frente. Mesmo sem data, a minissérie já conta com seus protagonistas: Sophie Charlotte interpretará a personagem-título e Mateus Solano, Guimarães Rosa.

GRANDE SERTÃO: VEREDAS
De Guimarães Rosa
Companhia das Letras
552 páginas
R$ 84,90 (pré-venda)


Publicidade