UAI
Publicidade

Estado de Minas ASTRONOMIA

Mineiro de 8 anos descobre possível asteroide e é reconhecido pela Nasa

O prodígio verificava imagens do telescópio da Universidade do Havaí quando identificou uma movimentação atípica


03/05/2022 18:43 - atualizado 03/05/2022 19:09

Nicolas Dumont, de 8 anos, recebeu um certificado emitido pela agência espacial americana, a Nasa
Nicolas Dumont, de 8 anos, recebeu um certificado emitido pela agência espacial americana, a Nasa (foto: Arquivo Pessoal)

Um mineiro de apenas 8 anos foi reconhecido pela Nasa por descobrir um possível asteroide no sistema solar. Apesar da história de Nicolas Dumont ser semelhante à do filme Armageddon, não há indícios de que o corpo celeste possa ameaçar a vida na Terra.

Nicolas mora em Patos de Minas, no Alto Paranaíba, e é filho do astrônomo amador, Gilberto Dumont, diretor do observatório da cidade.

O prodígio na astronomia observava imagens capturadas pelos telescópios do International Astronomical Search Collaboration (IASC/NASA Partner) quando percebeu a movimentação de um astro que foi classificado preliminarmente como asteroide.


Sequência de imagens mostra movimentação do 'p21tmvg', possível asteroide descoberto por Nicolas
Sequência de imagens mostra movimentação do "p21tmvg", possível asteroide descoberto por Nicolas (foto: Divulgação)
 
A descoberta foi enviada à NASA em 14 de abril. Treze dias depois, Nicolas recebeu o certificado de reconhecimento da agência americana. A partir de agora, os cientistas analisarão o corpo celeste para verificar se realmente é um asteroide e por fim traçar a rota dele.

O objeto espacial foi capturado pelo telescópio da universidade americana do Havaí, e Nicolas analisou as imagens disponibilizadas pelo IASC/NASA Partner. A fundamentação dele será analisada pelos cientistas.

A expectativa é que o estudo dure de três a cinco anos. Caso seja realmente categorizado como asteroide, há chances de o “p21tmvg” ser batizado de “Nicolas” ou “Dumont” em homenagem a quem o descobriu.
 
Gilberto Dumont, pai de Nicolas, dirige o Observatório de Astronomia de Patos de Minas. O telescópio já registrou imagens da lua, das manchas solares e dos planetas vizinhos.
Gilberto Dumont, pai de Nicolas, dirige o Observatório de Astronomia de Patos de Minas. O telescópio já registrou imagens da lua, das manchas solares e dos planetas vizinhos. (foto: Divulgação)
 
Nicolas Dumont integra a equipe do Observatório de Astronomia de Patos de Minas, no qual está inscrito no programa "Caça Asteroides", do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações do Brasil.
 
Os membros da equipe são treinados e supervisionados pelo astrônomo amador Gilberto Dumont e têm suas descobertas analisadas e revisadas antes de serem reportadas à IASC da NASA.
 
A International Astronomical Search Collaboration (IASC/NASA Partner) é um programa de ciência cidadã disponibilizado pela NASA e que fornece dados astronômicos para cientistas cidadãos em todo o mundo. Um dos objetivos é manter um monitoramento constante dos astros para mapear asteroides que porventura possam impactar na vida terrestre.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade