Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

conta-gotas


postado em 23/06/2019 04:05

(foto: Marcos Santos/USP Imagens/Divulgação %u2013 26/3/12 )
(foto: Marcos Santos/USP Imagens/Divulgação %u2013 26/3/12 )



Perigos do álcool em excesso

 

A OMS atribuiu ao abuso de álcool mais de 5% da carga mundial de doenças que comprometem o funcionamento do cérebro e afetam vários outros órgãos. No curto prazo, o excesso de álcool no corpo pode ser percebido pela confusão e perda de reflexos, comprometimento da coordenação motora, vômitos e até coma alcoólico, além das implicações comportamentais. Já ao longo dos anos, os danos internos se acumulam e podem ser irreparáveis. Para alertar a população sobre os riscos do consumo desenfreado de bebidas alcoólicas, o médico e especialista em dependência química Toufik Rahd selecionou alguns pontos de atenção. “No fígado, o alcoolismo pode causar acúmulo de gordura, hepatite e cirrose, que comprometem o funcionamento do órgão devido a lesões prolongadas. O pâncreas e o estômago também podem desenvolver doenças crônicas, como pancreatite, gastrites e úlceras. Já o coração tende a ser afetado pela elevação dos índices de colesterol e hipertensão, entre outras disfunções”, explica Toufik. Os riscos para o cérebro são extremamente perigosos, podendo levar a deterioração cognitiva, distúrbios mentais e, no sistema nervoso, a uma doença ainda pouco divulgada, a polineuropatia alcoólica. A complicação surge de um alcoolismo grave e crônico. “O alcoólatra tende a alimentar-se mal e a bebida por si só já inibe a absorção de diversas vitaminas e nutrientes, o que gera deficiência da vitamina B1 e carência de tiamina. Essa insuficiência prejudica o sistema nervoso periférico”, esclarece o médico. Os sintomas vão desde fraqueza, dor e sensação de formigamento ou dormência nas mãos, pés e membros inferiores no geral, a dores noturnas, câimbras e perda sensorial das extremidades.



Nova esperança no combate ao câncer

Depois que a agência norte-americana FDA, que regulariza medicamentos, aprovou, em março, o atezolizumabe em combinação com o nab-paclitaxel para pacientes com câncer de mama triplo negativo, a Anvisa anunciou a aprovação da combinação terapêutica que trata eficientemente um dos subtipos mais graves do câncer de mama. A eficácia da medicação contra a doença metastática foi apresentada em Munique, Alemanha, no Congresso da Sociedade Europeia de Oncologia (Esmo Congress 2018), principal evento voltado à oncologia clínica do mundo. O IMpassion 130 foi o primeiro estudo de fase 3 a documentar benefício significativo de imunoterapia em câncer de mama metastático. Considerado um tipo de câncer agressivo e que afeta geralmente mulheres jovens, o câncer de mama triplo-negativo representa cerca de 20% de todos os casos da doença mundialmente. Se considerarmos que o Brasil, segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), contará com cerca de 60 mil novos casos de câncer de mama em 2019, esse percentual representa um universo de ao menos 12 mil pessoas. “A denominação ‘triplo-negativo’ é utilizada em casos em que o tumor não conta com nenhum dos três biomarcadores relacionados à classificação do câncer de mama: receptor de estrógeno, receptor de progesterona e proteína HER-2”, explica o oncologista clínico Bruno Ferrari, presidente do Conselho de Administração do Grupo Oncoclínicas.

 

 







Pele bem hidratada no frio

 

Quer saber tudo que você não pode esquecer nos períodos mais frios do ano? Fique atento a esse check-list, que vai fazer você evitar os piores erros que podem detonar sua pele no frio. A poluição, as baixas temperaturas e o tempo seco levam a pele a produzir menos oleosidade natural. Com isso, o ressecamento e a sensação de incômodo aparecem com mais frequência, principalmente na face, que é a mais exposta ao vento e poluição, segundo explica o dermatologista Jardis Volpe, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia. Para evitar alguns problemas, ele cita alguns cuidados:

 

. Aplique protetor solar. O filtro deve ter dióxido de titânio ou óxido de zinco na formulação, que são bloqueadores físicos importantes. Para potencializar a fotoproteção use um creme rico em antioxidantes OTZ 10 e vitamina C.
. Não use qualquer creme. Existem hidratantes que desidratam, como os que usam, na base, um tipo de tecnologia que ajuda a emulsionar (o etoxilado).
. Invista nos hidratantes e reparadores. Além de buscar produtos cujos veículos sejam à base de fosfolipídeos, é ideal investir no ácido hialurônico de alto e baixo peso molecular associados. Eles são indicados para estimular a produção de hidratação natural em todas as camadas da pele.
. Lembre-se dos pés, mãos e corpo. Hidratar essas regiões é fundamental. No caso dos pés, passar o hidratante à base de fosfolipídeos e colocar uma meia de algodão ajuda a pele a absorver o produto mais facilmente. Nas mãos, invista nos ácidos hialurônicos. No corpo, a reposição lipídica deve ser eficiente, com opções que tenham na sua composição ésteres de karité e purcelin, que podem ser associados a outros óleos, restabelecendo a hidratação da pele.
. Beba água e tome vitaminas. A hidratação da pele deve ser dinâmica; por isso, beber bastante água é importante, independentemente da estação.
. Evite banhos muito quentes. Ficar mais de 15 minutos em uma ducha quente é mais que o suficiente para comprometer a camada hidrolipídica da pele, que segura a hidratação. Dessa forma, a pele perde água e lipídeos, o que compromete sua função de barreira. O ideal é banho morno e, logo após, hidratar a pele.


Cirurgia plástica
aumenta no frio

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a procura por intervenções cirúrgicas aumenta em até 50% no período de baixas temperaturas. De acordo com a cirurgiã plástica Cíntia Mundin, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, essa época é um momento oportuno para realizá-las com segurança e tranquilidade, com o médico da sua confiança. “É um período que traz certas vantagens no pós-operatório, pois o paciente costuma inchar menos e tolera melhor vestimentas cirúrgicas como cintas, talas e espumas”, esclarece a médica. Com relação aos procedimentos corporais, a médica destaca que eles exigem a utilização de cintas e meias por um longo período, como é o caso da abdominoplastia e da lipoaspiração. “As cintas e meias esquentam o corpo, por isso, a época de baixas temperaturas costuma ser mais procurada para fazer essas intervenções. Outro ponto a favor é que o paciente chega no verão podendo mostrar na praia ou na piscina, seguro e satisfeito, os resultados da cirurgia”, declara Mundin.

 

 

 

Estresse na gravidez reduz fertilidade de filho

Pesquisadores da Universidade da Austrália Ocidental descobriram que eventos estressantes que ocorrem no início da gravidez, período considerado vulnerável para os órgãos em desenvolvimento, podem ter importantes efeitos negativos sobre a fertilidade masculina, ou seja, mulheres que sofrem com estresse na gravidez têm maior risco de ter filhos homens com baixa contagem de espermatozoide. Segundo estudo publicado no jornal Human Reproduction, durante 20 anos foram examinados filhos homens de mulheres que tiveram pelo menos três eventos de considerável estresse durante as primeiras 18 semanas de crescimento fetal. Resultado: a contagem de espermatozoides foi um terço menor e a mobilidade reduzida em 12% em comparação com outros homens de sua idade. De acordo com o especialista em reprodução humana assistida Georges Fassolas, durante o início da gravidez, alguns fatores podem ter efeito sobre a cadeia de DNA, ativando e desativando genes. “A mãe libera substâncias pela placenta, como proteínas, enzimas e neurotransmissores, que vão afetar o funcionamento do DNA do embrião, ou seja, vão definir algumas características daquele ser humano para o resto da vida. Por isso é tão importante ter cuidado com alimentação, tabagismo e consumo de bebidas alcoólicas, assim como eventos estressantes, pois o papel da mãe nesse sentido é fundamental para a genética do indivíduo” explica.

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade