Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

O resultado justifica os meios?

O que comemos tem grande impacto na nossa saúde tanto física quanto mental. Dietas malucas e sem orientação podem comprometer a nossa qualidade de vida


postado em 28/04/2019 05:06

Com o paciente Dener Matos, a nutricionista Stefani Rocha afirma é preciso haver mudança de hábitos (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Com o paciente Dener Matos, a nutricionista Stefani Rocha afirma é preciso haver mudança de hábitos (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)


Cada indivíduo precisa ingerir determinada quantidade de nutrientes para manter o bom funcionamento do corpo. Por isso, reduzir ou aumentar a quantidade de alimento ingerido, pular refeições ou adotar dietas sem acompanhamento profissional nem sempre é sinônimo de saúde. De acordo com a nutricionista Stefani Rocha, para a adoção da dieta ideal é necessário um bom acompanhamento profissional, em que serão analisados e estudados os pontos-chave do desequilíbrio alimentar, por meio da anamnese nutricional. “Sendo assim, a melhor dieta é a que se encaixa aos objetivos do paciente”, afirma.
O idealizador do site emagrecerdevez.com, Rodrigo Polesso, especialista em emagrecimento e certificado em nutrição otimizada e saúde e bem-estar pela Universidade Estadual de San Diego, conta que, nas últimas décadas, dieta passou a significar basicamente uma forma alimentar específica e temporária com o propósito de perder peso. “Uma dieta diferente ou uma forma de se alimentar diferente causa adaptações no organismo de cada pessoa que podem ser positivas ou negativas”, explica. Pessoas têm metabolismo, genética, hábitos e corpos diferentes. “Uma dieta ideal para emagrecimento é aquela que provê todos os nutrientes que o corpo precisa e regulariza o sistema hormonal da pessoa, readequando os sensores naturais de apetite e saciedade de forma que o indivíduo possa perder peso bem nutrido e sem sentir fome”, completa.
Com uma boa prática alimentar, o organismo poderá trabalhar com a prevenção e o tratamento de patologias, por meio da ingestão de micro e macronutrientes advindos da nova dieta. “A boa alimentação evita o surgimento de patologias e até mesmo de sintomas como enxaqueca, constipação, diarreia, gases, distensão abdominal e cólica intestinal, entre outros”, ressalta Stefani Rocha. A estética será uma mera consequência das suas escolhas e do estilo de vida adotado.

cuidado com promessas

“Shakes, pílulas, termogênicos ou dietas com promessas mágicas baseadas em frutas ou extratos exóticos. O problema é que nenhuma dessas funciona a longo prazo”, frisa Polesso. O grande risco de seguir dietas malucas ou de fazer buscas pela internet de informações sem base científica é provocar problemas que atinjam negativamente a saúde. “Em vez de prevenir e até mesmo tratar, essas práticas podem prejudicar ainda mais a saúde do paciente”, explica Stefani. Essas dietas difundidas na internet podem trazer impacto metabólico ao se seguir um padrão alimentar errado e que pode agredir a saúde física e mental.

PERSONALIZAÇÃO O analista de sistemas Dener Thiago Veiga Mattos, de 27 anos, contou com orientação personalizada para entrar em uma nova rotina diária de reeducação alimentar. Apesar de não ter problemas sérios de saúde, a decisão foi tomada para uma melhor qualidade de vida. “Não tive muita dificuldade, porque ela (Stefani Rocha) foi anotando tudo de que eu não gostava e foi montando uma dieta exclusivamente para mim.” Dener Matos revela que sua dieta proporcionou bons resultados. “No começo, era uma dieta baseada em gorduras e proteínas. Com o tempo, a nutricionista foi liberando os carboidratos”, comenta o analista.
Em uma dieta não existem alimentos corretos e/ou alimentos errados, porém, produtos como óleos vegetais (inflamatórios), carboidratos refinados e processados são uma bomba-relógio para a saúde. “Eles intoxicam nosso corpo e provocam problemas metabólicos a longo prazo. São altos em calorias e baixos em nutrientes, uma péssima combinação”, pontua Polesso.
A mudança de hábitos fez com que Dener Matos perdesse 20 quilos (ele pesava 128 quilos quando começou a mudar, em janeiro de 2018). “Para complementar, continuo frequentando a academia e pratico esportes, o que ajuda na manutenção do peso e da saúde”, frisa. Antes da dieta, segundo o analista, os resultados médicos viviam alterados. “Hoje, sinto uma grande diferença tanto em minha saúde física quanto nas pequenas ações do dia a dia, como subir uma escada”, conclui.
Para Stefani não existe desvantagens quando a decisão visa melhorar a qualidade alimentar. “Porém, tudo exige sacrifícios e mudanças, que, em algumas situações, podem desencadear desordens no âmbito emocional”, pontua. Mas essa desordem, segundo ela, só ocorre quando existe um gatilho para o transtorno alimentar, que, se não tratado, pode se transformar em algo mais grave. “Por isso, o acompanhamento com um profissional especializado é tão importante, pois com ele será possível atingir o resultado desejado sem comprometer ou trazer problemas secundários para o organismo.”

* Estagiário sob a supervisão da subeditora Elizabeth Colares

Na moda

DIETA PALEOLÍTICA
Como funciona: a dieta tem um padrão alimentar caracterizado por elevada quantidade de gorduras e baixa quantidade de carboidratos.

Benefícios: Controle da produção de insulina no corpo, que é um hormônio que favorece o ganho de gordura. A restrição de carboidratos também pode ser eficaz para as pessoas que apresentam a síndrome metabólica, diabetes, resistência à insulina e excesso de peso.

Desvantagens: É baseada em uma alimentação altamente restritiva em carboidratos e grupos alimentares. Podendo trazer consequências ruins a curto, médio e longo prazos, como a ocorrência de episódios de compulsão alimentar, desidratação, tonturas, fraqueza, cãibras, intestino preso, etc.


DIETA CETOGÊNICA
Como funciona: Tem como objetivo reduzir a quantidade de carboidrato para no máximo 5% do total calórico, pois após a média de 3 dias sem a ingestão de carboidratos, o corpo começa a utilizar gordura como fonte energética e combustível para o funcionamento do organismo. .

Benefícios: Rápido emagrecimento porque ao reduzir drasticamente o consumo de carboidratos, o corpo fica sem sua principal fonte de energia, a glicose. Passada essa fase, o organismo vai buscar energia no tecido adiposo, então ocorre a queima de gordura. Além disso, ela também pode ser uma aliada em tratamento de patologias como a epilepsia, por exemplo.

Desvantagens: Resumem-se a fadiga e dores de cabeça. Com a falta de carboidratos, o corpo tende a converter a gordura em energia, o que leva à liberação de substâncias chamadas de corpos cetônicos. Em excesso, essas substâncias podem causar enjoos e náuseas, além do cansaço e indisposição. Por isso é muito importante o acompanhamento médico.

LOW-CARB
Como funciona: Caracterizada pela baixa ingestão de carboidratos, a dieta low carb divide bastante a opinião de profissionais da saúde, em especial, os nutricionistas.

Benefícios: a redução de massas, pães, açúcares e o controle das calorias podem ser grandes aliados para a diminuição da glicemia e, consequentemente, da gordura corporal. Ajuda no processo de emagrecimento, contribui para a melhora nos níveis do colesterol circulante no sangue, e reduz os níveis de glicemia.

Desvantagens: No entanto, a dieta pode estar envolvida na ocorrência de dores de cabeça na fase inicial, constipação intestinal, e dificuldade de inclusão na vida social.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade