Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Grande ideia para pequeno espaço


postado em 24/02/2019 05:08

O arquiteto Fábio Cherman usava móveis funcionais no apartamento de 27m², em que morou por quatro anos (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press )
O arquiteto Fábio Cherman usava móveis funcionais no apartamento de 27m², em que morou por quatro anos (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press )

 

 




No documentário Minimalistas, David Friedlander, diretor de Comunicação da Life Edited – empresa norte-americana que tem a missão de criar as melhores alternativas para espaços pequenos –, apresenta um mapa de calor que mostra onde as pessoas se deslocam em suas casas ao longo de um dia normal. Foi descoberto que os moradores usavam apenas 40% do espaço. No mesmo filme, o arquiteto Frank Mascia também afirma que “nada é mais responsável que viver no menor local onde você pode”.

Em Brasília, há quem defenda a mesma questão. Fábio Cherman, arquiteto, viveu quatro anos em um apartamento de 27 metros quadrados (m²), no Centro de Brasília. O espaço tinha móveis multifuncionais, desenhados por ele mesmo. “Funcionalidade e elegância não se separam”, defende.

Nas grandes metrópoles, apartamentos compactos são cada vez mais comuns. Em cidades com metros quadrados caríssimos, como Nova York e Tóquio, morar perto do Centro significa abrir mão do espaço, ou investir em aluguéis nas alturas. Para Fábio, o mercado é bem diverso e conta que tem feito muitos projetos para lugares pequenos. “Já fiz um apartamento de 28m² para um casal com duas crianças, em São Paulo. Era a ‘casa da cidade’. Mas nos fins de semana eles partiam para o interior.”





O que realmente importa

Joshua Millburn e Ryan Nicodemus são amigos desde a 5ª série. Ao se aproximarem dos 30 anos, aparentemente, tinham tudo de que precisavam para viver: bons salários, carros, apartamento confortável. Mas, mesmo assim, não se sentiam felizes. Resolveram, então, mudar radicalmente a rotina e se desfizeram de praticamente todos os bens materiais, largaram seus empregos e se mudaram de cidade.
Foi aí que criaram o site The Minimalists (https://www.theminimalists.com) e começaram a compartilhar suas novas histórias, pensamentos e estilo de vida. De 2011 para cá, a dupla publicou três livros, lançou um podcast, rodou o mundo fazendo palestras e produziu o documentário Minimalismo, sobre as coisas importantes, disponível na Netflix.

 

 


Publicidade