Publicidade

Estado de Minas EPAMIG

Evitar amarelão é grande desafio

Pesquisadora da Epamig alerta que as medidas de controle devem ser tomada por todos os produtores para evitar que o mal se alastre


postado em 23/05/2016 08:01 / atualizado em 03/06/2016 16:40

A pesquisadora Ester Alice Ferreira, da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) explica que as características favoráveis ao plantio e a estrutura logística tornam Belo Vale responsável por mais de 50% das tangerinas vendidas no entreposto de Contagem da Ceasa Minas. A fruta é também comercializada em outros estados, incluindo mercados do Norte e Nordeste.

Um grande alerta, no entanto, tem sido feito pela pesquisadora, que consiste no perigo de uma doença que já produtores de pequenas e médias propriedades rurais desistirem da citricultura em São Paulo e chega aos poucos a Minas Gerais: o greening, HBL ou amarelão. A doença destrutiva é causada por bactéria e transmitida por um inseto.

“O desafio é não deixar que ela se alastre. A Epamig, em parceria com o Fundecitrus (Fundo de Defesa da Citricultura, entidade privada) e Embrapa, está desenvolvendo projetos de manejo para que os produtores possam conviver bem com o problema e não deixar que ele traga prejuízos”, afirma.

O primeiro relato de amarelão em solo mineiro foi registrado em 2004 no Sul. Os sintomas, segundo a pesquisadora, são o amarelecimento desuniforme das folhas e a redução acentuada do tamanho dos frutos. Se confirmada a ocorrência, as plantas devem ser erradicadas. Assim como ocorre no caso do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, é necessária uma ação sincronizada para controlar a disseminação da doença.

Ester Ferreira observa que se um produtor adotar medidas de controle na plantação e seu vizinho não fizer o mesmo “haverá fonte de inóculo e a doença continuará a se espalhar”. Embora não haja dados oficiais sobre a ocorrência da doença em Belo Vale, é muito provável que ela esteja presente nos pomares da região, de acordo com a pesquisadora da Epamig. Desde 2013, o município promove o festival da tangerina Ponkan. Neste ano, o evento será realizado de 19 a 21 de agosto, com a participação de artistas de renome nacional.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade