Publicidade

Estado de Minas BOLADAS E BOTINADAS

O Atlético perdeu e o Cruzeiro venceu. Quem jogou bem?

Mais uma vez o Galo perde e o discurso é de que o time não merecia a derrota. Já o Cruzeiro não está brilhante, mas vem conseguindo se recuperar


postado em 03/09/2019 04:00 / atualizado em 02/09/2019 21:33

(foto: Son Salvador)
(foto: Son Salvador)


Quer dizer que o Cruzeiro jogou mal e venceu, enquanto o Atlético jogou bem e nem empatou? Está certo, mas está esquisito. Há muito que o Atlético vem com essa conversa de que jogou bem, mas não conseguiu seu objetivo. Ora, um time cujo ataque não funciona não pode ter jogado bem. Um time que leva gol no final da partida em jogada equivocada não pode dizer que mereceu o empate. O goleiro pode ter falhado, lançou muito mal aquela bola que ressuscitou o Gustavo. Mas o erro do Atlético foi deixar Cazares em campo por 90 minutos para nada. Aquela apatia, aquela falta de gana é irritante. Enquanto isso, Rogério Ceni vai descobrindo que o Cruzeiro pode ter bons reforços em sua base. O gol do Maurício foi emblemático. Marcou uma mudança de mentalidade na Raposa.

Falta alguma coisa

A impressão que fica é a de que o Rodrigo Santana conseguiu arrumar a defesa, mas não consegue dar um jeito no ataque. E eu fico aqui imaginando... O Luan, que há pouco tempo era tão importante para o time, está mal porque não joga ou não joga porque está mal? E o treinador dá mostras de que não pretende contar com ele. Aliás, nem como opção. Seria o momento de a comissão técnica se explicar. A queda de produção desse jogador foi brutal. Tem alguma coisa errada nessa história. O que o Atlético precisa agora é deixar de lado as desculpas e reencontrar o caminho dos gols. Jogar bem e perder não adianta.

Subindo

O Cruzeiro pode não estar jogando um futebol bonito, mas vai fazendo um trabalho de recuperação. O jogo contra o Vasco foi importantíssimo. Três pontos dentro de casa, contra uma equipe bem treinada pelo Luxemburgo, serve para fortalecer psicologicamente o grupo.


Flamengo atropela

E quando o jogo entre Flamengo e Palmeiras chegou aos 15min do primeiro tempo sem que o Felipe Melo fosse expulso, eu percebi que havia alguma coisa errada com o time do Felipão. Acho que o Verdão exagerou no calmante. Todo mundo meio zen, todo mundo relaxado, e o Mengão acelerando...

Sou das antigas

Acho que no futuro a coisa irá mudar. Treinadores de grandes equipes estarão procurando por goleiros que saibam jogar com as mãos. Porque essa mania de goleiro jogar com os pés está passando das medidas. Além do mais, os caras estão jogando como líberos, mal posicionados. Mas virou moda.

Chuteiras...

Sei que a tecnologia é importante. Os equipamentos esportivos passaram por grande evolução. A bola, por exemplo, que antigamente era de couro, e que, portanto, pesava muito, hoje é de um material sintético, ficou mais leve, mas ficou sem rumo. As chuteiras mudam de cor a cada jogo. Mas além de travas que amortecem, palmilhas que acariciam o pé do jogador, seria bom colocar mira no bico de cada uma. Porque quanto mais o material esportivo se moderniza, pior os caras chutam. Chega a ser ridículo, o cara treina o ano inteiro para colocar a bola a 10m do gol. É de se espantar.

Mimimi...

Jogo entre Grêmio e São Paulo às 11h da matina. É aquele horário que muito jogador não gosta.Vai ver o sol não combina com as tatuagens. Mas o jogo havia começado, o Grêmio reserva encarando o São Paulo titular. Aos 18min do primeiro tempo, o comentarista falou: “As duas equipes já estão sentindo os efeitos do calor”. Assim fica difícil, o jogo já começa com esse tipo de desculpa. O que estava faltando mesmo era futebol.

Coelhão

O América foi muito prejudicado pela arbitragem. O apitador comandou o piquete do Operário.
 
 


Publicidade