Publicidade

Estado de Minas BOLADAS E BOTINADAS

De olho na Copa do Brasil


postado em 16/07/2019 04:00

(foto: Son Salvador)
(foto: Son Salvador)


Quem viu o jogo entre Cruzeiro e Botafogo percebeu claramente que o foco do time do Mano Menezes, no momento, é a Copa do Brasil. Mesmo com algumas mudanças, mesmo com um time mexido, não dá para comparar as duas equipes tecnicamente. Claro, o Botafogo veio fechado, veio para segurar o empate e, se possível, conseguir um gol em contra-ataque. Mas o Cruzeiro errou ao abrir mão da velocidade no segundo tempo, tentou jogar com o Fred, tentou o Sassá, mas não teve uma jogada individual que desequilibrasse. O Botafogo é um claro exemplo de que a aplicação tática pode ser grande arma contra uma equipe tecnicamente superior. Aquele toque de bola do time carioca, a saída de bola sem chutão e com saídas esporádicas para o ataque complicaram a vida do Cruzeiro.

ATAQUE
Impressionante como entra ano, sai ano e o Cruzeiro não consegue descobrir um centroavante titular. Com a chegada do Fred a coisa parecia resolvida, mas, pelo jeito, a novela seguirá por muitos capítulos.

NA REAL
O Atlético pode até alimentar o sonho de seguir na Copa do Brasil. Mas o placar do primeiro jogo deixa a impressão de que o Cruzeiro está praticamente classificado. A disputa em mata-mata exige muita atenção, um placar dilatado pode definir uma classificação ainda antecipadamente. É certo que o Atlético jogará diante da sua torcida, num estádio que o favorece. Mas o Cruzeiro leva uma vantagem gigantesca.

FOI MAL
Uma disputa de Segunda Divisão exige experiência. Então, o América errou quando trouxe o Barbieri. Treinador da nova geração, ele veio para ser testado e não pra resolver o problema. Os resultados nos tais jogos-treino fechados acabaram por iludir o torcedor americano. Assim sendo, o Coelhão perdeu todo o período da Copa América sem se ajeitar. Lamentável.

RESERVAS
O Atlético conseguiu um bom resultado contra a Chapecoense. Verdade que aquele gol logo de cara complicou o planejamento do Santana. Depois de levar aquele gol por desatenção, o Atlético foi superior ao adversário. Deu a impressão de que viraria o jogo ainda no primeiro tempo, mas não finalizou como deveria.

TATICAMENTE
Papagaio pode ser centroavante, mas a sua entrada buscando o jogo deu ao Galo a chance de passar o cerol na Chapecoense. Era o elemento a mais que o time precisava para complicar a marcação adversária.

RELAÇÃO ABALADA
Ricardo Oliveira segue tendo sérios problemas com a bola. Rebelde, ela se nega a obedecê-lo até na cobrança de pênalti. Mas, me digam: se o Otero é o melhor chute, o melhor cobrador de faltas, por que o Oliveira cismou de cobrar aquele pênalti?

HAJA PACIÊNCIA!
Tardelli no Galo, Marcelo Moreno no Cruzeiro e Neymar falando bobagens. Ninguém suporta mais!!!


Publicidade