Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas DA ARQUIBANCADA

Reação, craque argentino e clube-empresa elevam patamar do América

Terceiro colocado na tabela do segundo turno, Coelho mostra que vai brigar mesmo é por Sul-Americana e já começa a sonhar ainda mais alto na competição


05/10/2021 04:00

Sequência de jogos invicto faz o América ter a terceira melhor campanha no segundo turno do Campeonato Brasileiro
Sequência de jogos invicto faz o América ter a terceira melhor campanha no segundo turno do Campeonato Brasileiro (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press - 10/9/21)


Há dois meses, houve momentos aqui nesta coluna que praticamente decretamos que o América construía mais um retorno inevitável à Série B. A situação era trágica e, naquela época, foi necessário espremer a ferida até que algum remédio de verdade fosse aplicado.

Parece que adiantou. O impacto de choque veio e as mudanças táticas foram corretas. Vagner Mancini tem o grupo nas mãos, sabe o que faz com suas peças, o psicológico do time foi trabalhado e os últimos resultados revelam mais do que nunca que o caminho é este. São seis jogos invictos e a colocação de 3º lugar em termos de returno.

Mas precisamos mesmo falar de Mauro Matías Zárate Riga. Eu não me lembro em um passado recente de ter visto no América um jogador tão completo, com visão de jogo, habilidade como cobrador de faltas, percentual de acertos de passes e capacidade de drible e segurar a bola igual ele. Aliás, tivemos Richarlison, mas durou tão pouco e era ainda uma revelação.

Mas esta é a primeira vez que – me corrijam se eu estiver errado – o Coelho traz um jogador realmente de peso, sem ser um medalhão de fim de carreira, e com passagens recentes em gigantes como Inter de Milão e Boca Juniors, onde ainda é ídolo.

A propósito, é impressionante como Zárate está elevando as cores do América internacionalmente em suas redes sociais. O que mais me espanta, no bom sentido, é a quantidade de torcedores fanáticos do Boca que pedem para ele voltar. De fato, desta vez, acertamos a mão na contratação.

Arrisco a dizer que o virtuoso jogador argentino tem qualidade para ser titular em qualquer time do Brasil hoje, até mesmo nas seleções de Galo, Palmeiras e Flamengo. Seu estilo de jogo está cada vez mais extinto: um meia-atacante clássico, que sabe o que faz com a bola, aquele cara que deixa o resto do time tranquilo, com a certeza de que, em algum momento, ele fará a diferença.

E então, depois de toda essa felicidade com a vitória maiúscula sobre o Cuiabá no fim de semana, distanciando do Z4, com mais uma atuação de gala deste craque, a gente vira a chave e fica sabendo da evolução da negociação do projeto clube-empresa, que deve ser apadrinhado pelo empresário americano (já começou bem! rs) Joseph Dragosa. É preciso ainda aguardar a confirmação oficial, mas a boa notícia mesmo é que a marca do Deca está em alta.

Somos atualmente um time consolidado, na Série A, com tudo para seguir por lá em 2022.  Brigamos ano passado na ponta da Copa do Brasil e quase fomos para a final. Estrutura, gestão organizada, marketing alinhado, um estádio próprio, um shopping anexo e um clube que caminha para ser o segundo de Minas, uma das maiores praças do futebol do país.

É, meus amigos. Valeu esperar. O América Futebol Clube, ou América Mineiro, está na mira de grandes investidores internacionais, prontos para colocar o time em posições que o torcedor não imaginava nem em seus melhores sonhos. Eu só peço que na cláusula do contrato desta parceria a diretoria garanta a permanência do Zárate.

Que venha o Palmeiras amanhã, que é briga de cachorro grande e, desta vez, com a tão esperada volta do nosso torcedor. No mais, por que não sonhar com Libertadores em 2022?



*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade