Publicidade

Estado de Minas OPINIÃO SEM MEDO

Treta forte na ALMG: Agostinho Patrus se irrita com Laura Serrano; assista

A deputada cobrou economia, celeridade e produtividade da Casa. Presidente não gostou e partiu para cima


24/06/2022 07:36 - atualizado 24/06/2022 15:08

Agostinho Patrus discursa na tribuna da ALMG
O presidente da ALMG Agostinho Patrus (PSD) critica posição de deputados após homenagem ao jogador Hulk, do Atlético (foto: Ricardo Barbosa/ALMG)
Há um troço chamado imparcialidade, algo necessário para quem, como eu, se mete a opinar sobre política. Porém, imparcialidade não significa falta de opinião, ou manter um pé em cada canoa. Imparcialidade significa ser justo e intelectualmente honesto, ainda que isso desagrade quem se gosta e se admira.

Particularmente, gosto muito da deputada Laura Serrano, do Novo. A conheci através de outro político do mesmo partido, igualmente muito querido e admirado por mim; Mateus Simões, ex-secretário de governo de Minas Gerais. Ambos fazem parte de uma nova geração, de gente muito bem-preparada e muito bem-intencionada.

Laura - e sugiro que pesquisem e a conheçam melhor - possui uma invejável trajetória acadêmica, e, hoje em dia, também profissional. Acompanho de perto seu mandato, que é focado, sobretudo, na mais importante das questões (o grande problema, a meu ver) do País, que é a péssima qualidade da Educação Pública - sobretudo a básica.

Em seu primeiro mandato, é uma das mais atuantes deputadas da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Além disso, cumpre fielmente a promessa de economizar cada centavo do nosso dinheiro. Em pouco mais de três anos, Serrano economizou mais de 8 milhões de reais em verbas parlamentares.

TRETANDO COM O INIMIGO


Como eu sempre digo, político tem de ser cobrado de manhã, de tarde e de noite, inclusive sábados, domingos e feriados. Políticos nos pedem o voto, nos prometem mundos e fundos e nos tiram o sangue, o suor e as lágrimas para bancar suas despesas. Por isso, não apenas precisam como devem entregar bons resultados.

Assim, uma vez entregando, parabéns! E nada mais. Nada de muito obrigado, de eu te amo, de você é meu mito e essas idolatrias idiotas. Devemos simplesmente reconhecer e parabenizar, como eu faço até este momento. Porém, lado oposto, a jiripoca pia! E vai piar, porque o assunto, ainda que não pareça, é bastante sério:

Agostinho Patrus, presidente da ALMG, resolveu atacar de forma aloprada a deputada. Lembram-se do que eu disse sobre imparcialidade? Pois bem. Não é pelo fato de gostar e admirar a parlamentar, que não irei rebater as falas energúmenas do deputado. Como eu falei, há de se ter - e sempre tenho! - justiça e honestidade intelectual como guias.

Laura criticou o fato de a sessão do dia na Casa se dedicar, em mais de 1/3 do tempo, a projetos sem retorno paupável à população do estado, como, por exemplo, homenagear o atleta Hulk Paraíba, craque e ídolo do Galo - eis aqui um dos maiores atleticanos vivos e admirador incondicional do jogador.



Dos 26 projetos em pauta, 8 eram desse tipo. Por outro lado, projetos de suma importância para o estado e que impactam diretamente a vida de milhões de mineiros, como o Regime de Recuperação Fiscal - pendente desde 2019!! -, ou dos Blocos Regionais de Saneamento Básico (água e esgoto para os mais pobres!!), não caminham.

PATRUS EM TRANSE

Daí, após a fala da deputada, Patrus se insurgiu de forma totalmente inadequada e desproporcional, e, dentre outras barbaridades, disse que é 'baboseira esse negócio de economizar 2 reais', em referência à economia proposta pela deputada do Novo - e a própria Legenda, que não utiliza dinheiro público.

Aliás, muito me admira um sujeito tão preparado - empresário, formado, pós-graduado, etc. - imaginar que projetos como o citado acima custem apenas 2 reais, ainda que metaforicamente falando. Nem se Patrus não ganhasse o que ganha e não torrasse o que torra com o próprio custeio - e o da Casa - o dispêndio seria tão pequeno.

Mas o valentão estava com a corda toda e foi adiante, e, invocando Deus a todo instante - 'perdoai, senhor, os ignorantes' -, que se tornou moda, aliás, e, adjetivando pejorativamente os 'mais novos' (Laura tem apenas 35 anos - eita, saudade, viu?!), insinuou que a deputada recebe algum tipo de ajuda financeira de empresários bilionários.

Pô, Patrus, a campanha da moça custou 22 mil reais. Menos do que uma garrafa de Romanée Conti, vinho predileto de seu amigão Lula da Silva, o meliante de São Bernardo. Por falar no descondenado, que 'beiço', hein, deputado, que o senhor levou dele? Bye, bye à vaga de pré-candidato a vice-governador. Como diria Alckmin: 'viva Lula, viva o PT'. 

ENCERRO

Laura está parcialmente enganada, pois não são todos os projetos de cunho cultural perda de tempo e dinheiro. Há aqueles que trazem benefícios econômicos e sociais para o estado e devem ser reconhecidos e incentivados. Mas Patrus deveria se envergonhar do chilique juvenil e do autoritarismo brutal em não conceder a réplica à colega.

Patrus menosprezou a economia milionária da deputada aos cofres de Minas. Desmereceu a trajetória de vida de uma moça simples, que chegou até onde chegou, com muito esforço e mérito próprios. Patrus, principalmente, foi de uma grosseria inominável com uma jovem extremamente educada e cordata, independentemente de suas crenças políticas.

O deputado deveria trabalhar mais em prol dos mineiros pobres, e não se preocupar em demasia com atletas e personalidades ricas. Quer homenagear o Hulk? Fácil. Vá ao Mineirão como eu e grite, a plenos pulmões, saltando feito canguru: Hulk, Hulk, Hulk. Tenho certeza de que o melhor jogador do Brasil na atualidade (alô, Tite!!) ficará mais feliz.

Por fim, rogo aos deputados estaduais, extrema atenção e dedicação a tantos projetos importantes estacionados nas gavetas da Assembleia. Projetos de cunho cultural e social são importantes, sim, mas não mais do que outros, capazes de alterar substancialmente a vida das pessoas. O problema não é a homenagem a atletas ou ao Queijo de Minas, mas o desleixo com Segurança, Saúde e Educação públicas. E nisso, Patrus é o Hulk da ALMG.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade