Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas FORA DA CAIXA

Startups vencem concorrência com bancos tradicionais por brasileiros sem conta bancária

Nova geração de empreendedores oferece soluções em diferentes pontos da cadeia financeira para atender os desbancarizados, que somam 45 milhões no Brasil


postado em 21/09/2019 04:00 / atualizado em 20/09/2019 23:37


 
 

Com serviços que não têm sido oferecidos à população sem conta bancária, a exemplo do pagamento on-line, empreendedores ganham espaço (foto: Divulgação)
Com serviços que não têm sido oferecidos à população sem conta bancária, a exemplo do pagamento on-line, empreendedores ganham espaço (foto: Divulgação)




O Brasil tem hoje cerca de 45 milhões de brasileiros desbancarizados, ou seja, que não têm conta bancária ou não a usaram nos últimos seis meses, segundo o instituto de pesquisa e estratégia Locomotiva. Representando 29% da população adulta, eles movimentam mais de R$ 800 bilhões ao ano, embora estejam à margem do sistema bancário.
 
“É impossível falar de inclusão financeira sem falar de desigualdade”, afirmou Renato Meirelles, presidente do Instituto Locomotiva, durante o Exponential Finance Brasil, recém-realizado pela Singularity University em parceria com a HSM, em São Paulo.
 
Bancos tradicionais não conseguiram alcançar esse grupo e, nesse contexto, as startups da área financeira, as chamadas fintechs, vêm ganhando espaço. Uma nova geração de empreendedores está conseguindo oferecer soluções em diferentes pontos da cadeia financeira.
 
De acordo com o Radar FintechLab, existem hoje no Brasil 604 fintechs, um aumento de 33% em relação ao ano passado. Estão divididas em diferentes setores, a exemplo de meios de pagamentos (151), empréstimos (95), gestão financeira (90), investimentos (38), seguros(37), criptomoedas (36), financiamento coletivo (25), câmbio e remessas (14) e banco digitais (12).
 
Entre as fintechs que estão incluindo brasileiros no sistema bancário nacional está o Banco Maré, criado dentro de uma das maiores favelas do Rio de Janeiro, onde vivem cerca de 200 mil pessoas. “Estando ali percebi que muitas atrasavam o pagamento de contas por diferentes razões, como não receber correspondência pelos Correios em casa ou ter que pagar passagem de ônibus, ida e volta, até uma agência bancária”, contou o fundador Alexandre Albuquerque. Assim nasceu o Banco da Maré, com solução de pagamento on-line de contas, e que hoje está presente em outras comunidades, como em São Paulo e Alagoas.

 
 
 
 
(foto: Divulgação)
(foto: Divulgação)
 
  "É preciso – e possível – resolver problemas sociais e ambientais sistêmicos através de negócios e é urgente oferecer mais e melhores oportunidades para populações de menor renda"
. André Menezes, 
sócio-fundador da Baanko, durante o Fórum de Investimento e Negócios de Impacto (FINI), nesta semana, em Belo Horizonte

 
 

Expansão mundial
A Zetra, fundada há 18 anos em Belo Horizonte, se consolidou no mercado, especialmente de consignados, ao aproximar a oferta de crédito de instituições financeiras com empregadores que oferecem recursos aos seus funcionários por meio da folha de pagamento. Hoje também oferece seguro, cursos e outros produtos. São mais de 3 milhões de usuários, que já movimentaram cerca de R$ 80 bilhões, segundo o presidente Flávio Náufel. Empregando quase 200 pessoas, no último ano faturou mais de R$ 70 milhões. Seu plano é se expandir mundialmente. Já está presente na Índia, Portugal, Itália, Espanha e México, por meio de suas subsidiárias SalaryFits e eNomina.

 
 
O poder dos centavos
Arredondar centavos para investir em projetos. Essa foi a sacada da InCENTive, startup que criou o sistema inédito de transferência de valores “quebrados” das compras em cartão de crédito diretamente para iniciativas, causas ou empresas escolhidas, por enquanto, pelos usuários da bandeira MasterCard. “Observamos uma mudança na característica de consumo da sociedade brasileira, em que a moeda física está cada vez mais caindo em desuso. Então, decidimos criar um cofrinho virtual no qual o usuário possa acumular recursos e escolher como utilizá-los”, explica Cristiano Masetto, CEO da InCENTive. O valor arredondado é transferido diretamente para o projeto escolhido, driblando os entraves do mundo físico.


Agenda

» A Inco Investimentos promove o evento Startups, empreendedorismo e investimento, com a presença de Matheus Goyas (Trybe), Pedro Vasconcellos (BeerOrCoffee), Marcos Calazans (Bando de Franquias) e Giuliano Bittencourt (BeGreen). Será na próxima terça-feira, às 18h, no Órbi Conecta. Saiba mais no site sympla.com.br.

» A empresa de logística VLI convoca empreendedores e startups do país que possam oferecer soluções em comunicação para equipes em campo. Inscrições até dia 29. Mais informações em inovavli.com.br.

» O tradicional Inforuso, promovido há 36 anos pelo Sucesu Minas, órgão representativo da área de tecnologia da informação e telecomunicações, será realizado em 1º e 2 de outubro, no Palácio das Artes, em Belo Horizonte. Informações no site sympla.com.br.

» A aceleradora de negócios ACE busca startups para investir entre R$ 200 mil e R$ 1 milhão. Os interessados devem se cadastrar no site app.acestartups.com.br/go. 
 


Publicidade