Publicidade

Estado de Minas O FATO EM FOCO

Risco geológico na região turística de Capitólio em Minas é alto

Geólogo afirma que as rochas que caíram sobre lancha matando dez pessoas poderiam ter sido derrubadas de forma programada se houvesse monitoramento


13/01/2022 16:07 - atualizado 13/01/2022 17:16

Geólogo Antônio Pedrosa
Geólogo Antônio Pedrosa fala sobre o deslocamento das rochas em Capitólio (foto: Reprodução)

Uma semana após o acidente que matou dez pessoas em Capitólio, região do Lago de Furnas, muito se discute sobre as causas da tragédia.

Autoridades governamentais e dos órgãos de segurança continuam na região para levantamento de informações que irão compor o inquérito, e para discutir medidas a serem tomadas para dar mais segurança ao turista que visita a área de cânions.

Em entrevista a O Fato em Foco, o geólogo Antônio Pedrosa nos ajuda a entender por que as rochas caíram provocando a tragédia. Além dos dez mortos, houve feridos, que estavam em outras lanchas, atingidas por fragmentos pedras. O paredão se desprendeu após vários dias de chuvas intensas na região.

Antônio Pedrosa, que participou de mapeamento geológico feito pelo estado, explica se as chuvas foram responsáveis pelo deslocamento das rochas. O acidente foi uma fatalidade? O que pode ser feito para evitar novas tragédias?  Pedrosa também fala sobre os riscos de barragens em Minas Gerais.

Confira no vídeo



 Me siga nas redes sociais. Se inscreva no nosso canal. Curta e compartilhe. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade