Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Seminário de Formação para Pais e Educadores reúne 700 pessoas em BH

Evento organizado pelo padre Alexandre Fernandes discutiu a relação família e escola, a influência da internet na criação dos filhos e o suicídio na adolescência


postado em 08/11/2019 04:00

A pediatra Filomena Camilo do Vale, a doutora Filó, no Seminário de Formação para Pais e Educadores(foto: Divulgação)
A pediatra Filomena Camilo do Vale, a doutora Filó, no Seminário de Formação para Pais e Educadores (foto: Divulgação)
Foi um sucesso o Seminário de Formação para Pais e Educadores realizado no último domingo, na capital mineira. Idealizado pelo padre Alexandre Fernandes, pároco da Igreja Bom Jesus do Vale, de Nova Lima, o encontro reuniu cerca de 500 pessoas na Sala Minas Gerais, no Barro Preto. Profissionais das áreas de medicina, psicologia, psiquiatria e educação foram convidados pelo padre Alexandre, que manifestou a preocupação em “promover o diálogo sobre a formação humana e os desafios na educação de crianças e jovens”.

O psiquiatra da infância e adolescência Felipe Guimarães, o neuropediatra Rodrigo Carneiro de Campos e o padre Alexandre Fernandes com a psicóloga Patrícia Quaresma Ragone, o psiquiatra José Belisário Filho e Moninha Quintero, coordenadora estadual do movimento Mães que Oram pelos Filhos(foto: Sidney Lopes/EM/D.A Press)
O psiquiatra da infância e adolescência Felipe Guimarães, o neuropediatra Rodrigo Carneiro de Campos e o padre Alexandre Fernandes com a psicóloga Patrícia Quaresma Ragone, o psiquiatra José Belisário Filho e Moninha Quintero, coordenadora estadual do movimento Mães que Oram pelos Filhos (foto: Sidney Lopes/EM/D.A Press)

Da proposta à execução, o padre Alexandre se envolveu em todas as etapas do seminário, definindo os temas que seriam discutidos, como a relação família e escola, a influência das redes sociais e da internet na criação dos filhos, e o suicídio na adolescência. Quem acompanhou os preparativos sabe que o evento só ocorreu graças à dedicação dele, que não mede esforços para que o seminário, sem cunho religioso e aberto à sociedade, se firme na agenda de BH.
A professora Milene Costa faz palestra na Sala Minas Gerais(foto: Divulgação)
A professora Milene Costa faz palestra na Sala Minas Gerais (foto: Divulgação)
 

DISTORÇÕES
FUNCIONALISMO PÚBLICO

A respeito das notas que a coluna vem publicando sobre salários do funcionalismo público, tanto da área federal quanto estadual, que registram enormes distorções e desigualdades, principalmente em comparação com os vencimentos da iniciativa privada, recebemos e-mail de um médico, servidor estadual, afirmando que as coisas não são bem assim. Diz ele: “Gostaria de fazer uma observação com referência ao tema funcionários públicos abordado por você há poucos dias. Sempre que lemos notícias sobre o funcionalismo, notamos uma generalização que obscurece a realidade. Existem distorções graves com relação a salários, vantagens, etc. Uma análise mais perto da realidade deveria abordar separadamente os três poderes.”

>>>

Prossegue o leitor: “O Executivo, no qual me encontro, tem os salários bem mais baixos do que o Judiciário e o Legislativo. Como exemplo, posso comprovar com meu contracheque de médico em final de carreira, que não chega a R$ 7 mil (brutos). O que vemos sempre são médias da soma de despesas com pessoal do Judiciário, Legislativo e Executivo. Com isso, passa-se uma visão errada para a população. Isso acontece também na esfera estadual, onde ainda existe outra distorção. Acontece que as folhas de pagamento dos funcionários são separadas das dos desembargadores, juízes e promotores. Isso compromete outra vez as análises de média de gastos com salários, etc.”

CJ MARES
MULTIMARCAS NA PAULICEIA

A conhecida empresária belo-horizontina Érika dos Mares Guia vem se tornando um dos ícones da moda. Transferiu-se de BH para São Paulo (aqui, trabalhava com a mãe, Sheila dos Mares Guia) e, em voo solo, faz o maior sucesso na capital paulista. Prova disso é que inaugurou esta semana no Shopping Cidade Jardim, na capital paulista, uma das maiores multimarcas do país, a CJ Mares, que representa mais de 60 grifes nacionais e internacionais de prestígio.

>>>

Para festejar a inauguração, Érika promoveu jantar que reuniu nomes famosos da sociedade paulistana, da moda e do mundo artístico. A se notar que o show ficou a cargo da cantora norte-americana Dionne Warwick. A loja da CJ Mares, réplica de uma mansão elegante, tem nada menos de 800 metros quadrados.

HOMENAGEM
CALÇADA DA FAMA

O conhecido oftalmologista mineiro Fernando Cançado Trindade foi homenageado durante o Simpósio Internacional de Transplante de Córnea, promovido pelo Banco de Olhos de Sorocaba (BOS), em São Paulo, que comemorou seus 40 anos durante o encontro. Cançado Trindade teve seu nome inscrito na Calçada da Fama do BOS, que reúne destaques da oftalmologia nacional. O BOS é considerado o maior centro de implante de córnea do mundo. Suplanta institutos da Europa e dos Estados Unidos.

CORREÇÃO
DELFIM MOREIRA

A leitora Maria Elizabeth Taitson, atenta a detalhes desta coluna, enviou e-mail sugerindo correção de lapso registrado ontem na nota sobre Delfim Moreira, em que se comentou que o político foi o primeiro mineiro a ocupar a Presidência da República após a queda da monarquia. Na verdade, Delfim Moreira foi o primeiro vice-presidente mineiro a ocupar a Presidência da República, cargo para o qual foi levado devido à morte de Rodrigues Alves, eleito para o cargo. O primeiro mineiro a ocupar a Presidência foi Afonso Pena, que tomou posse em 1906. No mais, Minas sempre foi grande celeiro de vice-presidentes. O último foi o saudoso José Alencar Gomes da Silva.


   


Publicidade