Publicidade

Estado de Minas MÁRIO FONTANA

Mário Fontana


postado em 10/07/2019 04:00


 
 
Lavanda
Produção em Minas

O Sul de Minas, no campo da agricultura, além do café de alta qualidade e de outros produtos, tem se destacado na produção de vários tipos de vegetais e frutos de origem europeia, aproveitando seu terreno e clima propícios. Pois bem. Além de oliveiras, videiras, azeites e outras coisas do gênero, a Federação da Agricultura de Minas Gerais informa que a região passou a cultivar também a lavanda, uma planta aromática, abundante nos campos da região francesa da Provence, destinada à indústria do perfume. Por enquanto, a lavanda colhida nos campos de Bento Abade e Monte Verde é pequena. Mas que o plantio promete crescer, isso promete. Pode acabar dando dinheiro e prestígio. No Sul de Minas dá de tudo.

Cordisburgo
Eficiência policial

O Grupo Zema, nascido em Araxá, formado por uma série de empresas, incluía rede Eletro Zema, com mais de 400 lojas, espalhadas em cinco estados, a maior parte delas em Minas Gerais. Pois não é que uma delas, localizada na pequena cidade de Cordisburgo, foi assaltada, sendo que os ladrões fizeram uma limpa total no estoque de eletrodomésticos do estabelecimento – TVs, liquidificadores, batedeiras etc? De quebra, levaram 60 celulares. Vai daí que, em menos de uma semana, os ladrões do mega-assalto foram descobertos pela polícia. Os bens roubados foram devolvidos. Se tal eficiência se deve ao fato de que os donos da loja são da família Zema, que inclui o governador Romeu Zema, é que não se sabe. E vocês, o que acham?

Jardim Canadá
Frio no casório

Não só no Sul do país está fazendo frio. Por aqui também. Pois vejam vocês que, em elegante casamento realizado sábado a noite, em um dos bufês de porte do Jardim Canadá, houve cerimônia religiosa realizada ao ar livre, antes da recepção. Detalhe: o ato religioso durou uma hora e meia debaixo de um frio de 5º C. Aí não deu outra. O pessoal ficou congelado, apesar de bem agasalhado. O pior é que não havia meio de procurar um local mais protegido. Consequências: na recepção, todo mundo procurou abrigo nas bebidas mais quentes. No dia seguinte, era enorme o número de pessoas resfriadas, com voz rouca e ameaça de gripe.

Epamig
Posse da diretoria

Tomou posse ontem, em solenidade prestigiada pelos diretores de todos os órgãos da agricultura mineira, oficial ou privada, a nova presidente da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), a agrônoma Nilda Ferreira, a primeira mulher a assumir o cargo. Nota simpática do evento foi o lançamento de um tipo de champanhe produzido no Sul de Minas, com o qual foram feitos os brindes do encontro, desejando feliz administração a dona Nilda. Pesquisa agropecuária é um negócio muito importante, principalmente nesta época de crise, em que a lavoura e a pecuária têm sido a salvação da economia pátria.
 
 
Proust
Sujeito complicado

Hoje completam-se 148 anos do nascimento de Marcel Proust, o grande escritor francês, nascido em 10 de julho de 1871, em Auteil. Autor de Em busca do tempo perdido, dividido em sete partes, obra que pouca gente lê, mas todo mundo afirma que conhece. Pode voltar à moda. Homossexual, foi 
um dos primeiros escritores europeus a abordar abertamente a homossexualidade. Ele e o irlandês James Joyce, autor de Ulysses, são considerados os escritores mais difíceis e complicados de ser lidos. Mas ambos influenciaram grandemente a literatura do século 20. E continuam 
a influenciar. 
 
Viajantes
No calor europeu

Os agentes de viagens David Cohen e Marcelo Cohen, donos da Belvitur, embarcam neste fim de semana para uma temporada no calor europeu, principalmente na França. Perguntados se viajam a negócios, responderam: “Somos agentes de viagens, como também somos filhos de Deus. Temos direito a viagens de lazer”. A propósito, a advogada de BH Maria Inês Vasconcelos desde segunda-feira encontra-se em Cahors, no Sul da França, participando do congresso Cap sur L'École, que analisa a influência de contextos sociais nas escolas primárias e secundárias.
 
 
Brasília
Motos em festival

Vai ser das mais expressivas e numerosas a delegação de motociclistas de Minas Gerais que participará,  de 18 a 27 deste mês, da 16ª Brasília Capital Moto Week, o maior festival latino-americano do motociclismo. Segundo os organizadores, vai levar à capital federal mais de 700 mil pessoas, entre praticantes do esporte e admiradores. Mulheres motoqueiras aos milhares. Na programação, além das exibições as mais varonis de motoqueiros e motocicletas de todos os tipos e cilindradas, integrantes de motoclubes, haverá 50 shows diferentes, barraquinhas, leilões, agitos variados, enfim, uma movimentação dos diabos. Basta saber que se espera a participação de mais de 30 mil motocicletas. Um entusiasta falou que pode chegar a 300 mil, o 
que é exagero puro. Agora, já pensaram na barulheira que essas milhares de motos vão fazer na capital federal?

Academia
O impasse continua

Está completando quatro anos, ao que parece sem solução à vista, o impasse surgido com a eleição de dois candidatos à Academia Mineira de Letras para uma mesma cadeira, a que foi deixada vaga pelo saudoso acadêmico Aluísio Pimenta. No primeiro escrutínio, foi eleito o procurador de Justiça Luiz Carlos Abritta, atual presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, e, na segunda eleição, o ex-deputado e ex-ministro da Justiça Ibrahim Abi Ackel. Como é uma cadeira só para dois pretendentes, fica difícil resolver o problema. A não ser que o atual presidente da casa, Rogério Faria Tavares, arranje uma solução tipo “nó górdio” encontrada por Alexandre, o Grande.

Provedor
Título em Ouro Preto

O ex-deputado federal Saulo Levindo Coelho, que recentemente completou 19 anos no cargo de provedor da Santa Casa de Belo Horizonte, sendo o que mais tempo permaneceu na direção do maior hospital de Minas Gerais, vai hoje a Ouro Preto para uma agradável missão. A de receber o título de cidadão honorário da cidade. Atribui a distinção, entre outros motivos, o fato de seu avô, o senador Levindo Coelho, ter se formado em farmácia em Vila Rica e lá ter ensinado francês a Arthur Bernardes, que, mais tarde, seria presidente do Brasil.

Canadá
Caminhões pesados

Os presidentes da federação e do Sindicato das Empresas de Transporte Pesado de Minas Gerais, Sérgio Pedrosa e Gladstone Lobato, estiveram, em junho, visitando instituições e fábricas do setor de transporte pesado do Canadá, país avançado nessa área, já que é uma nação muito grande e de tráfego difícil em regiões ásperas. Pois bem. Descobriram uma grande transportadora, cujos caminhões pesados e cavalos mecânicos operam movidos a gás combustível, 40% mais barato e menos poluente do que a gasolina. Grande solução para o Brasil. Só que os caminhões custam uma nota. Ganha de lá, perde de cá. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade