Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Champions League: Real Madrid domina a Europa pela 14ª vez

Com gol do brasileiro Vinícius Júnior e defesas milagrosas do goleiro belga Courtois, o Real Madrid vence o Liverpool por 1 a 0 e leva o título da Champions


28/05/2022 18:57

Vinícius Júnior e Casemiro
Vinícius Júnior comemora o gol que deu o título da Liga dos Campeões da Europa ao Real Madrid com o companheiro Casemiro (foto: JAVIER SORIANO / AFP)

Paris – O Real Madrid é novamente o dono da Europa. Derrotou o grande Liverpool por 1 a 0, gol do brasileiro Vinícius Júnior, e chegou à sua décima quarta Champions League, um feito histórico. Carvajal, Modric, Casemiro e Marcelo ganharam cinco “Orelhudas” nos últimos anos, um feito histórico. O Stade de France ficou pequeno para tanta festa da torcida merengue. Alguém é capaz de parar o Real Madrid?

Um atraso, de mais de 30 minutos, marcou a decisão da Champions. Por excesso de segurança, a polícia francesa formou barreiras, o trânsito estava caótico e milhares de torcedores ficaram do lado de fora. A polícia agiu com violência e muita gente ficou machucada, inclusive jornalistas. Um despreparo total.

A Uefa então decidiu postegar o começo do jogo. Confesso que não me lembro de isso ter acontecido, pelo menos, nas 11 finais que cobri anteriormente.

Dois gigantes do futebol mundial. No impecável gramado do Stade de France desfilavam os maiores jogadores do planeta bola e duas camisas pesadas. Juntos eles tinham 19 Champions League, 13 do Real Madri e 6 do Liverpool. Em campo, 5 brasileiros: Militão, Casemiro e Vini Júnior, pelo Real, e Alisson e Fabinho, pelo Liverpool.

O time inglês parecia no Anfield, sua casa, pois a torcida dava um show, empurrando o time. A torcida merengue estava mais fria. O time dirigido por Klopp estava melhor. O de Ancelloti mais recuado, explorando a principal jogada com Vini Júnior e Benzema.


Salah quase marcou, obrigando Courtois a fazer grande defesa. Ele assustou novamente, e na terceira vez, chutou forte para outra defesa do goleiro belga. Enquanto Alisson assistia a partida, o Liverpool ia finalizando em gol, obrigando Courtois a trabalhar muito.

Mané fez bela jogada, limpou três e chutou forte. Courtouis, com a ponta dos dedos, espalmou e a bola explodiu na trave, voltando para ele mesmo segurar. Só dava Liverpool.

Alisson só trabalhou em chute de Vini Júnior aos 24 minutos. Salah queria jogo. Cabeceou, após cruzamento, e Courtouis segurou firme. Vejam quantas vezes eu escrevi o nome do goleiro do Real. Ele trabalhou demais.

No contra-ataque, o Real chegou com Benzema, e depois de uma confusão na área, o atacante francês marcou o gol. O VAR entrou em ação e demorou mais que o normal aqui na Europa. Acabou confirmando o impedimento de Benzema.

Em seguida, Alisson falhou e Benzema quase tomou a bola. E assim terminou a fase inicial, com o Liverpool melhor, e o Real dando o ar da graça apenas no finalzinho.

Deu para perceber que Ancelotti acertou o time no vestiário, pois o Real voltou mais disposto e mais incisivo. E quem marcou foi o Real Madrid. Grande jogada pela direita, Valverde cruzou forte e Vinícius Júnior botou no fundo da rede. 1 a 0 e uma festa enlouquecedora da torcida merengue.

Era outro Real Madrid, mais ofensivo. Porém, o Liverpool não estava morto. Salah fuzilou de fora da área e Courtouis voltou a brilhar. Que defesa. Diogo Jota entrou na vaga de Luiz Diaz. Salah quase empatou, mas Courtouis salvou outra vez.

Klopp mexeu pela segunda vez, e logo duas alterações. Keita no lugar de Andersen e Firmino na vaga de Thiago.

Salah chutou, a bola desviou em Firmino e ia enganando Courtouis, que voltou a tempo de espalmar para córner. O time inglês ia para o tudo ou nada e o Real, fechado, esperando um contra-ataque para matar o jogo.

Mas Salah queria o gol. Ele deixou Mendy caído na área e chutou forte. Courtouis fez mais um milagre. O melhor em campo.

Ancelotti pôs Camavinga e tirou Valverde. Camavinga marca muito. Faltavam 5 minutos, mais os acréscimos. Cebalos entrou na vaga de Modric, para ganhar tempo. Rodrigo na de Vini Júnior.

E o tempo passou, o Real segurou o placar e conquistou sua décima quarta Champions League, o dobro do Milan, que tem 7.

Ao Liverpool restou se conformar, pois foi derrotado, mais uma vez, pelo maior campeão de todos, o gigante da Europa, o melhor time do mundo.

Parabéns Real Madrid. Um time histórico. O goleiro Courtouis foi eleito o melhor em campo. Real Madrid, o novo dono da Europa e Carlos Ancelotti conquista a sua quarta “Orelhuda” como treinador. Vinícius Júnior, o herói da conquista.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade