Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

O Galo é líder do Brasileirão por merecimento

Se vai ser campeão ou não, é outra história, pois estamos com 1/3 do campeonato disputado


07/10/2020 14:49

Jorge Sampaoli, técnico do Atlético(foto: Bruno Cantini/Atlético)
Jorge Sampaoli, técnico do Atlético (foto: Bruno Cantini/Atlético)
O Galo, montado pelos investidores, a pedido de Sampaoli, com a colaboração de Renato Salvador, homem da mais alta confiança dos que têm investido em contratações, é líder absoluto e isolado do Brasileirão, com 5 pontos de vantagem sobre o segundo colocado. Isso tem incomodado muita gente, que alega que isso só está acontecendo porque Flamengo, Palmeiras, Grêmio, Inter, Santos e Athletico-PR estão disputando, além do Brasileiro, Libertadores, e vão começar a jogar também a Copa do Brasil.

É claro que o Galo leva vantagem quando descansa a semana toda e encara o Vasco, como fez no domingo, ao passo que todos os outros jogaram no meio da semana. Porém, não é só isso que faz o Galo líder.

É a competência do time mais regular da competição, do técnico, que vem fazendo um bom trabalho, e de todo o suporte dado pelos investidores. O time é mediano, como o próprio técnico já admitiu, e que precisa de reforços para pensar em taça, mas, no momento, com tudo isso, está sobrando como o melhor time da competição.

Se vai ser campeão ou não, é outra história, pois estamos com 1/3 do campeonato disputado. Porém, está fazendo seu trabalho direitinho, com 100% de aproveitamento, em casa, e sem empates, o que é um grande ganho. Claro que os cruzeirenses dizem que já “viram esse filme antes, e que no fim o Galo perde o gás”. São as gozações saudáveis do futebol. Porém, quem está na Série B, flertando com a B, não pode falar muito.

Se analisarmos friamente, o Flamengo, mesmo com Jorge Jesus, já havia perdido fôlego nesta temporada, com jogos sofríveis. Mesmo tendo o grupo mais forte do Brasil, ainda não se encontrou. Faz um ótimo jogo, e, no seguinte, cai de forma assustadora.

No Palmeiras, Luxemburgo tira água de pedra. O clube ficou endividado, por ter gasto o que não tinha para ganhar taças, e agora paga o preço. É uma equipe bem comum, mas que tem um grande treinador, aliás, o único pentacampeão brasileiro, que vejo a geração nutella tentar desconstruir.

É assim mesmo. Uma geração que não lê, que não tem valores, e que vive de agredir as pessoas em redes sociais, se escondendo atrás de robôs ou de fakes, realmente não pode gostar do que é bom.

O Galo é um time que pressiona o adversário, que briga por todas as bolas, que procura o gol o tempo todo. Como fazia o Fla de JJ, ano passado.

Tenho restrições quanto a Sampaoli. Um técnico com 60 anos, que é argentino e nunca dirigiu Boca e Ríver, os grandes times daquele país, que comandou a Seleção da Argentina na Copa da Rússia, com Messi, Aguero, Di Maria, Higauín, e não conseguiu nada. Levou de 3 da Croácia e 4 da França. Que nunca dirigiu um time de ponta na Europa, e que só ganhou uma Copa América com o Chile, em 2015.

Porém, o trabalho dele, neste momento, é muito bom e inquestionável, principalmente pelo fato de ter apenas um time mediano em mãos.

O comentarista Mauro Cézar Pereira, perguntou “que jogador do Galo seria titular no Flamengo e no Palmeiras”. Segundo ele, nenhum. No Flamengo eu até concordo, mas, no Palmeiras, Arana, Júnior Alonso e Jair seriam titulares.

Dizer que o Atlético incomoda por estar na ponta da tabela, é bobagem. Um time que não é campeão brasileiro há 50 anos, não pode incomodar tanto. Se ganhar, será seu segundo Brasileirão em meio século, muito pouco, para quem já tem 7 brasileiros, casos de Corinthians e Flamengo.

O Atlético está no caminho certo, se planejando para ganhar tudo o que vai disputar, construindo sua própria casa, que o deixará autossuficiente em receitas. Uma hora vai ganhar sim, e vai merecer.

Eu entendo o torcedor, carente, que se apega a qualquer coisa para ser campeão, mas jamais vou com a ingratidão com Victor, batizado de “São Victor”, um dos maiores responsáveis pela conquista da Libertadores em 2013. Foi esquecido, abandonado e criticado pela maioria.

Ingratidão é o pior sentimento que um ser humano pode ter. Futebol é momento, mas o ídolo deve ser respeitado e enaltecido sempre. Como escrevi acima, é preciso reconhecer o momento do Atlético, queiram ou não.

É o time mais regular da competição, o líder, com o ataque mais positivo e competente. Está mesmo no caminho da taça. Pode ser questão de tempo, ou, mesmo se ela não acontecer, ele vai brigar até as últimas rodadas, não há a menor dúvida disso. E que o Fortaleza se cuide. Tem cheiro de goleada no ar.

Seleção sem apelo


A Seleção Brasileira vai jogar contra a Bolívia, sexta-feira no Morumbi, pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2022, no Catar, e o torcedor brasileiro não está nem aí para o time de Tite, Neymar, Thiago Silva e cia. Há muito a Seleção não tem mais o apelo popular, o que é uma tristeza para quem a segue pelo mundo há 35 anos.

Banalizaram a camisa amarela, com convocações esdrúxulas e de amigos. Agora aturem o desprezo do torcedor. Pensar em ganhar uma Copa do Mundo, é algo que não passa mais pela nossa cabeça, não com Tite e sua confraria. Uma pena ver o maior patrimônio esportivo do povo tão maltratado e sem carisma.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade