Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Virada dramática do Galo é show de tática de Sampaoli

Nos 3 a 2 sobre o Corinthians, no Mineirão, estratégia do treinador do Atlético deu nó no adversário paulista


13/08/2020 04:00 - atualizado 13/08/2020 12:14

Hyoran teve papel fundamental na virada de 3 a 2 sobre o Corinthians: dois gols e boas investidas ao ataque(foto: ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRESS)
Hyoran teve papel fundamental na virada de 3 a 2 sobre o Corinthians: dois gols e boas investidas ao ataque (foto: ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRESS)


O Atlético derrotou o Corinthians, de virada, 3 a 2, gols de Hyoran (2) e Nathan, descontando Jô e Araos, ontem no Mineirão, mantendo os 100% de aproveitamento no Brasileirão. Foi uma virada épica, que deixou a torcida eufórica e confiante. O Galo entrou com Keno e Marrony. A estratégia de Sampaoli de montar um time de acordo com o adversário. Marrony quase marcou, chutando em cima de Cássio. Nathan fuzilou da entrada da área e Cássio pegou firme. O Corinthians jogava só no contra-ataque, sem um criador de jogadas. Porém, num lançamento pela esquerda, Guga, que eu acho péssimo, atrasou bola curta para Rafael. O goleiro ficou na dúvida, Sidcley dominou, tocou para trás e Araos cruzou na cabeça de Jô, que fez 1 a 0.

Se Sampaoli já queria um novo goleiro, agora, então... O Galo não desistia, mas o Corinthians estava bem posicionado, anulando as jogadas alvinegras. Porém, num cruzamento de Nathan, da esquerda, Franco bateu forte, no ângulo, e Cássio fez defesa milagrosa. O Corinthians é um time em formação, mas tem camisa e organização, e mesmo com muitos reservas não estava morto. Numa bela trama pela direita, Matheus Vital gira em cima de Nathan e toca para Jô, que, de calcanhar, toca para Araos dentro da área. Ele chutou rasteiro, no canto de Rafael, que nada pôde fazer. Timão 2 a 0.

O Galo estava entregue e os gritos de Sampaoli de nada adiantavam. Ainda assim, Marrony recebeu na área, limpou e chutou certo. A bola bateu na trave. No rebote, Arana isolou. O Galo jogava muito com Marquinhos, pela esquerda. Na direita, mesmo aberto, Keno não fazia um bom jogo. Guga é aquele lateral que só toca a bola para trás. Nada acrescenta. O tempo passou e o Corinthians foi para o vestiário com 2 a 0 no placar. A esperança do torcedor do Galo era a de que Sampaoli mudasse o time no intervalo e buscasse o empate. Vale lembrar que o Corinthians estava bastante desfalcado, mas fez um grande jogo.

Virada

O Atlético voltou com Hyoran e Savarino. E logo no começo do segundo tempo perdeu grande chance. Keno cruzou e Hyoran chutou forte. Cássio fez bela defesa. No lance seguinte, o Corinthians chegou pela esquerda e cruzou. Jô, livre, perdeu gol certo. O jogo era bom. O Galo foi tabelando e num cruzamento de Guga – desta vez ele acertou –, Hyoran recebeu e chutou. Cássio falhou e a bola entrou: 2 a 1. Um gol de cara era tudo o que o torcedor queria. E não ficou só nisso. Um belo chute de Savarino e Cássio espalmou, Hyoran pegou o rebote e empatou: 2 a 2. O bandeira, erroneamente, marcou impedimento, mas o árbitro de vídeo confirmou o gol. E Nathan virou o placar em belo chute de fora da área. A bola bateu na trave e entrou. Galo 3 a 2. Em nove minutos o Galo fez três gols. Impressionante! O Corinthians estava desnorteado. Claro, com seis reservas, mas o futebol é isso. Para azar de Sampaoli, Nathan sentiu a coxa direita e foi substituído. Mas o Galo estava vivíssimo, com vontade de fazer mais gols. Keno foi lançado e chutou na saída de Cássio. A bola bateu no pé da trave. O Galo não deixava o Timão respirar.

E tinha caixa para mais. Escanteio para o Galo, Hyoran toca para Réver, que fuzila para as redes. Mas Hyoran estava impedido e o VAR anulou a jogada.

Hyoran era o dono do jogo. O Corinthians estava entregue e o Galo queria mais. Jô quase empatou ao cabecear e Réver salvar debaixo do gol. Mas o Atlético sobrou no segundo tempo, mostrando que Sampaoli tem opções e variações de jogadas, que a gente não vê em outras equipes. O grande vencedor ontem foi o técnico argentino. Ele deu um show de estratégia!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade