Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas BOMBA DO JAECI

Em live, Sérgio Santos diz que Cruzeiro não bancará mais regalias a torcedores

"Presidente do Cruzeiro abre o verbo e diz que com ele as organizadas não terão nenhum tipo de mordomia"


25/07/2020 04:00

O presidente Sérgio Santos diz que valoriza os cânticos das torcidas e o apoio dado ao time nos jogos, mas lembra que torcedores anônimos fazem isso sem cobrar nada(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
O presidente Sérgio Santos diz que valoriza os cânticos das torcidas e o apoio dado ao time nos jogos, mas lembra que torcedores anônimos fazem isso sem cobrar nada (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

SEM REGALIAS

Em live comigo, na quarta-feira, o presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, disse que em sua gestão torcidas organizadas não terão nenhum tipo de regalia. Não terão ingressos, salas alugadas ou ônibus de viagens pagos pelo clube, telefones celulares ou qualquer outra mordomia. O presidente diz que acha os cânticos bacanas, o apoio dado ao time nos jogos, mas que os torcedores anônimos também fazem isso e não cobram nada do clube. Essa deve ser a postura de um dirigente. Não há torcedor melhor que outro, e, vale lembrar, que torcidas organizadas, de Norte a Sul do país, vivem provocando desordem, badernas, algumas cometendo crimes. Quem ama o clube de verdade deve apoiá-lo sem pedir nada em troca.

CALDENSE PODE TER VANTAGEM

Outro ponto abordado foi com relação ao fato de o Tupinambás, mandante do jogo com a Caldense, ter optado por jogar em Poços de Caldas, pois em Juiz de Fora os jogos de futebol estão proibidos por causa da COVID-19. Dessa forma, a Caldense, em caso de goleada, poderá jogar contra o Cruzeiro, na última rodada, em sua casa, podendo até perder. Houve uma falha na reunião que definiu a volta do futebol. O Cruzeiro não deveria aceitar que o Tupinambás jogue em Poços de Caldas. Deveria exigir da FMF que a partida fosse jogada em campo neutro. Essa vantagem da Caldense poderá deixar o time azul fora da fase final do Mineiro.

“POR MIM JÁ ESTARIAM NA CADEIA”

Sérgio Rodrigues garantiu que se dependesse dele, os dirigentes acusados de terem roubado o clube já estariam na cadeia. Mas que isso depende da Justiça. Ele garante que se a Polícia Civil e o Ministério Público quiserem uma sala dentro do clube, podem usar, para acelerar o processo de indiciamento dos envolvidos no escândalo de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e outros crimes. Na parte cível, já moveu duas ações contra Wagner Pires e seus parceiros. “Quando houver cruzamentos de contas-correntes bancárias, pegando uma ponta e outra, com certeza não haverá saída para esses caras. Quero dizer ao torcedor cruzeirense que nós seremos implacáveis com eles. Queremos vê-los na cadeia, com tudo o que foi desviado devolvido aos cofres do clube”.

CLUBE-EMPRESA E MECENAS

O presidente do Cruzeiro diz que é a favor do clube-empresa, mas não acha que seja uma solução a curto prazo. “É preciso regular de uma forma melhor. O clube não pode pagar imposto como as empresas pagam. Tem que buscar uma forma híbrida. Acho que, em médio prazo, será uma necessidade”. Sérgio Rodrigues diz que no Cruzeiro a parceria com o mecenas é diferente de outros clubes: “O dinheiro é da pessoa, ela faz o que quiser com o ele. Porém, eu acho que há formas de aplicar. O clube não pode ser dependente disso. Aqui a gente é tranquilo. O Pedro Lourenço, quando faz o patrocínio máster conosco é dentro de uma realidade que nós temos uma parceria, não um patrocínio. Bolamos ações e ganhamos juntos. No Cruzeiro não existe relação de exploração ou dependência do parceiro. Aqui, não. Nossos apoiadores têm os pés no chão, e nosso marketing trabalha em sintonia com eles. Aqui não tem doação. Aqui a coisa é bem profissional e transparente”.

RECADO PARA DEDÉ

Perguntei ao presidente sobre a situação do zagueiro Dedé. Ele disse que o Dedé está em recuperação, no Rio de Janeiro, e que o Cruzeiro aguarda seu retorno para uma conversa com ele e os empresários. “Quem quiser ficar no Cruzeiro tem que ser por amor. Não há outra receita. Amor, vontade, como Fábio, Léo, Marcelo Moreno. O Dedé tem que estar em plena forma, com saúde, que é o principal, e aí vamos ver o interesse dele e do clube. Temos que ouvir o Enderson Moreira e chegar a uma conclusão. Reafirmo que para jogar no Cruzeiro tem que ter amor ao clube”. Quem não assistiu a live, pode acessar meu blog, no Superesportes, e assistir na íntegra.


*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade