Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Com rivais torcendo, possível saída de Jesus preocupa o Fla

Mas até reservas do rubro-negro formam melhor time que os outros 19 concorrentes da Série A


postado em 13/07/2020 04:00

Com especulada transferência para o Benfica, Jorge Jesus fatalmente levaria alguns jogadores do Flamengo com ele(foto: CRISTINA VEGA RHOR/AFP - 19/2/20)
Com especulada transferência para o Benfica, Jorge Jesus fatalmente levaria alguns jogadores do Flamengo com ele (foto: CRISTINA VEGA RHOR/AFP - 19/2/20)


Jorge Jesus vai ou fica? Essa pergunta não sai da cabeça dos torcedores rubro-negros e de todos os amantes do verdadeiro futebol. O técnico português recuperou o futebol brasileiro ofensivo, de toques, de dribles, de gols. Ganhou tudo o que disputou com o Flamengo na temporada passada: Brasileiro, Libertadores, Supercopa e Recopa, perdendo apenas o Mundial de Clubes. Demorou a dizer sim ao Flamengo na renovação, mas acabou dizendo que ficava. Porém, tem uma história toda ligada ao Benfica e recebeu uma proposta de 7 milhões de euros, algo em torno de R$ 42 milhões, por um contrato anual. Ele é amigo pessoal do presidente benfiquista, foi tricampeão nacional com o clube, e tem uma dívida de gratidão muito grande. É português e vê a pandemia do coronavírus no Brasil quase fora de controle. Tem todos os motivos para ir embora, pois Portugal foi um dos poucos países da Europa que conseguiram controlar a pandemia. Mas o coração dele é flamenguista. Ama os jogadores e é amado por eles. Ama a torcida rubro-negra e tem por parte dela carinho e respeito. Tudo isso pode pesar a favor do Mister para que ele fique. Acredito que no Flamengo ele terá condições de ganhar tudo novamente. Já no Benfica, talvez o campeonato nacional e mais nada.

Sei que os adversários torcem para que ele vá embora e leve com ele alguns jogadores do Flamengo, para enfraquecer a equipe carioca. Entretanto, saibam que o time reserva do Flamengo é melhor que os outros 19 times da Série A. Claro que uma perda de Éverton Ribeiro, Bruno Henrique e Arão, como andam dizendo, pode ser grave para o Flamengo, mas a diretoria, através do vice Marcos Braz, um cara correto, que sabe contratar e que não faz conchavo com empresários – a tal rachadinha do futebol –, está atento a todos os movimentos, inclusive com um técnico em stand by. O Flamengo revolucionou o futebol brasileiro na temporada passada e precisa manter o Mister e o atual grupo para ter a certeza de novas conquistas. Braz tem um mapeamento de todos os jogadores importantes do planeta e, caso haja uma quebra de contrato dos citados, saberá repor à altura. Não acredito nessa debandada, mas, caso Jesus vá embora, ele deverá levar alguns jogadores, sim.

Estou vendo o Atlético se reforçar. Isso é importante para o alvinegro, que quer sair de uma fila de quase meio século sem levantar o caneco do Brasileiro. Não posso dizer se esse time que está sendo montado vai dar certo, pois na teoria é uma coisa, na prática, é outra. Mas claro que é melhor do que o time feio que vimos na temporada passada e que esteve até ameaçado de rebaixamento. Lembram-se da campanha da torcida pelos 45 pontos, dando uma trégua à diretoria? Agora, a história é outra. Há Rubens e Rafael Menin ajudando o clube financeiramente sem medirem esforços e há também Jorge Sampaoli, em quem a torcida confia, indicando todos os contratados. É assim que deve ser. Quem indica jogadores é o treinador, não diretores de futebol. Por isso digo que essa figura é desnecessária no futebol. O Atlético tem um vice-presidente atuante, o jurista Lásaro Cunha. Ele pode muito bem dirigir as negociações com seus pares nos outros clubes. Se o dinheiro é dos Menin, e o Galo tem um vice que vive o futebol no dia a dia, então, pra que diretor de futebol? O Flamengo é um exemplo a ser seguido nisso também. Lá não existe essa figura. É Marcos Braz, vice-presidente, quem contrata, acerta salários e tudo o mais. Tudo sob o comando do presidente Rodolfo Landim.

O Palmeiras perdeu Dudu. Apesar de a imprensa paulista dizer o contrário, é um jogador comum, que nunca brilhou em nenhum clube da Europa. Luxemburgo não vai sentir falta dele e não moveu uma palha para mantê-lo no grupo. Ao contrário disso, como citei na coluna de sábado, mandou que ele treinasse como os outros jogadores se quisesse ser titular. Luxa também não o acha isso tudo. Uma fonte do Palmeiras me revela que o presidente Galiotte confidenciou a Luxemburgo que queria levá-lo para o Palmeiras há tempos, mas que seu estafe dizia que não. Galiotte está impressionado com o trabalho do técnico nesses meses e aposta em conquistas na temporada. O outro time em condições de brigar com o Flamengo é o Grêmio. Renato Gaúcho, há quase cinco anos no clube, tem o grupo nas mãos e é outro que gosta do futebol ofensivo. Teremos em Flamengo, Atlético, Grêmio e Palmeiras, quatro treinadores que jogam pra frente e que privilegiam o gol: Jesus, Sampaoli, Renato e Luxemburgo. Daí sairá o campeão brasileiro. Se houver algo diferente disso, será zebra. Lembrando que Grêmio, Palmeiras e Fla levam vantagem por já terem times prontos e estruturados. O Galo ainda é incógnita, até que entre em campo, faça alguns jogos para observarmos o trabalho de Sampaoli e dos novos contratados. Porém, tudo indica que irá forte na temporada, no mínimo em busca de vaga na Copa Libertadores de 2021. A torcida está eufórica – e com toda a razão.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade