Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Querem sujar a história gloriosa do Cruzeiro

Um time mal dirigido, mal treinado e com tantos ex-jogadores em atividade não poderia querer nada diferente da situação melancólica em que se encontra


postado em 25/11/2019 04:00 / atualizado em 24/11/2019 21:23

Depois de ser goleado pelo Santos, o Cruzeiro tem a obrigação de vencer o CSA se quiser continuar na Primeira Divisão(foto: Jota Erre/Agência O Dia/Estadão Conteúdo)
Depois de ser goleado pelo Santos, o Cruzeiro tem a obrigação de vencer o CSA se quiser continuar na Primeira Divisão (foto: Jota Erre/Agência O Dia/Estadão Conteúdo)


O Cruzeiro é um lutador de boxe na lona. Levou um soco no queixo e não consegue se levantar. Um time mal treinado, mal dirigido, mal escalado, com alguns ex-jogadores em atividade – e o torcedor sabe quem são eles –, com outros que não têm futebol para vestir a camisa azul e com uma torcida sofrida e com medo de a imagem do clube ficar suja com a iminente queda para a Segundona. Continuo com minha tese de que Botafogo, Fluminense e Ceará são piores e que um deles irá se juntar a CSA, Chapecoense e Avaí, mas, se o Cruzeiro não consegue pontuar, e vive tomando goleada, acabará caindo, mesmo com a ruindade dos concorrentes. A contratação de Abel Braga foi um desastre. Ele não se modernizou e vive dos títulos do passado. Entra em campo sempre com dois jogadores a menos: Egídio e Thiago Neves. O segundo ainda tem história no futebol. O primeiro é uma vergonha. O Palmeiras o repatriou, viu que fez bobagem, pegou Diogo Barbosa e mandou Egídio para a Toca 2. Contrataram gato por lebre. Um jogador que não tem inteligência para jogar no clube. Como ele, há muitos outros. O torcedor Hynenner Willer nomeia aqui: “Edílson, Ariel Cabral, Marquinhos Gabriel, Robinho, Fred e Deivid”. Há muito mais. Se o Cruzeiro escapar da queda, terá que fazer um navio para mandar tanta gente incompetente embora. O problema será o dinheiro para indenizar esses atletas, pois o custo da rescisão é altíssimo.

É sabido que o Cruzeiro está de pires na mão. Adiantou cotas de TV até 2022 e, caso caia para a Segundona, vai amargar um prejuízo gigantesco. Perderá mais de R$ 80 milhões da cota de TV, além de outras receitas que deixarão de entrar nos cofres do clube. Se na Primeira Divisão a coisa já está feia, com atrasos de salários e outras coisas mais, imaginem numa divisão que para os torcedores representa a morte? O Cruzeiro sempre se orgulhou de ganhar taças e ter uma vida financeira tranquila. Pagava sua dívida com o Refiz, em dia, e a negociou de forma tranquila, já que era pequena. De repente, essa dívida chegou aos R$ 500 milhões, e hoje, segundo alguns especialistas, está na casa dos R$ 700 milhões. Um dos responsáveis por essa dívida é o ex-diretor de futebol, Alexandre Matos, que gastou o que tinha e o que não tinha para formar o time campeão de 2013/2014. Claro que ele quis o melhor para o clube, tanto que foi bicampeão brasileiro e da Copa do Brasil, mas a conta chegou. Com a diretoria nova, contratações equivocadas foram feitas, e eu avisei. Ganhou Copas do Brasil, aumentou a dívida, e o rombo aumentou. Além disso, se vê envolvida em acusações de corrupção, lavagem de dinheiro e desvios. A Justiça está cuidando da situação, mas, até agora, nenhuma satisfação foi dada ao clube.

Demitir Abel Braga a quatro rodadas do fim do Brasileirão é bobagem. Se tiver que cair, que caia com ele. Nenhum técnico vai fazer milagre nessa altura do campeonato. O jeito é chamar alguns jogadores da base e dar a eles a missão de salvar o clube. Normalmente, na idade em que estão, ainda têm algum amor ao clube formador, coisa que não acontece com quem vem de fora. E um detalhe: não adianta o homem-forte do futebol, Zezé Perrella, dizer que “vai manter todos os jogadores em caso de queda”. Balela! Ninguém fica num clube se não tiver vontade.  

Quando o homem-forte do futebol pede aos torcedores para darem carinho aos jogadores, acho que é pedir demais. Concordo que eles não devem ir a aeroportos, CTs ou coisa parecida para agredir e protestar. Lugar de torcedor protestar é na arquibancada. Porém, não é possível dar carinho a quem não merece. Tem que vaiar, do começo ao fim, e, se cair, exigir providências da diretoria. Quando você flerta com a Segundona, tem que ter estrutura para não se casar com ela. E esse Cruzeiro, tirando Fábio, Dedé, Leo e Henrique, que são jogadores comprometidos com a camisa azul e que a honram, o resto pode mandar embora. São jogadores de “aluguel”, que hoje estão no Cruzeiro e amanhã estarão derrubando outro clube. Já vimos esse filme várias vezes. Não posso ter dó de ex-jogador em atividade, que ganha R$ 1 milhão ou R$ 1,5 milhão, mensais. Esses caras deveriam comer grama para manter o clube que os paga na elite. Faltam quatro jogos, 12 pontos em disputa. O Cruzeiro precisa de apenas seis pontos, duas vitórias, para se manter entre os grandes do nosso futebol. Se não conseguir isso, ainda mais tendo o CSA pela frente, tem que cair mesmo. E só mais um detalhe: Mano Menezes não pode se eximir de culpa em caso de queda. Se o time cair, ele terá uma grande parcela de culpa também. Ainda há tempo de se salvar. 

Guga
O Atlético fez muito bem em afastar o lateral Guga depois que ele publicou em sua rede social um comentário enaltecendo e comemorando a vitória do Flamengo na Copa Libertadores. Ele tem todo o direito de ser flamenguista, mas que guarde isso para ele, pois tem que respeitar a instituição na qual trabalha. Ele não tem mais clima para ficar na Cidade do Galo, e, cá pra nós, é apenas um lateral comum, como tantos outros no país afora.


Publicidade