Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Diário da quarentena

Mesmo sob os efeitos maléficos do isolamento, o show não pode parar

Diretor da Cia. dos Atores, César Augusto anuncia a abertura do espaço no YouTube, com peças como O rei da vela


20/09/2020 04:00

Fim de março, o ano corria estranho, mas engrenaria. Assim parecia ser. Projetos, estreias, ensaios em curso, aulas para dar, festivais para assistir, temporadas, turnês. Não estava fácil, mas parecia que tudo caminhava para uma possível organização frente ao caos que já existia.

Esqueci de dizer o que faço, o que já não é uma tarefa muito simples. Sou ator, está lá, constando na minha carteira de trabalho, sou membro da Cia. dos Atores, mas, logo depois desta vírgula, surgem as outras profissões e projetos profissionais que perfazem a minha carreira: ator, diretor, produtor, espécie camuflada de cenógrafo, curador, dirijo festivais, mostras, coordeno a Sede das Cias – espaço dedicado às atividades teatrais da Cia. dos Atores. Sou das artes vivas e, mais precisamente, me dedico ao teatro.

Faço parte do chavão “os primeiros que fecharam e os últimos que vão voltar a trabalhar”, de acordo com os malefícios trágicos desta pandemia. E agora que parou, e se isolou, e a realidade caiu como uma bigorna na cabeça, o que fazer?

Esta situação pareceu nos imobilizar, mas estamos aprendendo no “aqui e agora” – ato definidor do próprio gênero que nos insere, o teatro. E nós, da Cia. dos Atores, recriamos o nosso próprio movimento. Reestruturamos nossas perspectivas por meio de ações, novidades instigantes para reatar os laços interrompidos entre nós, nossos artistas residentes, alunos e, principalmente, 
o público.

Nossas atividades, que a princípio eram presenciais, migraram para as plataformas digitais e ganhamos terreno. Estamos em ensaio do próximo espetáculo, Júlio César, de Shakespeare, com leituras e colóquios com especialistas, cada um em sua casa, em sua cidade, e está sendo extremamente produtivo.

Nossas oficinas ganharam adesão e interesse, com alunos de várias partes do país. Nossos residentes, que iniciariam as atividades no exato dia em que foi decretado o isolamento social, passaram a se encontrar on-line, coordenados por mim e meu parceiro de trabalho, Marcelo Olinto. E os resultados despontaram em forma de cabaré, fazendo parte de um projeto maior, o canal da
Cia. dos Atores.

Sim – tão bom começar a frase com SIM – neste mês de setembro, estamos abrindo nosso espaço no YouTube (youtube.com/ciadosatores), onde apresentamos espetáculos gratuitamente. Peças significativas do nosso repertório estão lá: Melodrama, O rei da vela, Ensaio. Hamlet, Devassa.

Está lá também nosso Kabaré online, resultado dos encontros com nossos residentes, uma apropriação da obra e da vida de Karl Valentin, comediante alemão dos anos 1930, que se dedicou aos cabarés durante o pré-nazismo. Nosso acervo, aos poucos, está aberto.

Nosso legado e nossas parceiras estão sendo compartilhados e, assim, aspiramos criar uma rede de interesses e novidades neste ano, que começou atrasado e que, aparentemente, caminha para o seu fim cronológico. Continuaremos regando o jardim da nossa sede, que tem jabuticabas deliciosas.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade