Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Brasília ganhará, a partir de sábado, galeria mineira no Lago Sul

Lúcio e Flávia Albuquerque abrem a Casa Albuquerque com a exposição 'Natura', reunindo obras de Claudia Jaguaribe e Mariannita Luzzati


postado em 03/03/2020 04:00

Lúcio e Flávia Albuquerque (foto: Henrique Gualtieri/divulgação )
Lúcio e Flávia Albuquerque (foto: Henrique Gualtieri/divulgação )

NO PLANALTO CENTRAL
OLHAR DE QUEM ENTENDE DE ARTE

Nove anos depois do encerramento das atividades da 3 + 1 em Portugal, Lúcio e Flávia Albuquerque decidiram ampliar o universo da Galeria Celma Albuquerque no Brasil. “Desde que fechamos a galeria em Lisboa, pensávamos em abrir outro espaço”, conta Flávia, observando que aqueles tempos em terras portuguesas atenderam ao objetivo de aproximação com o mercado europeu. “Pensamos no Rio de Janeiro e em São Paulo, mas não vimos muito interesse nesses locais com mercado já existente. Na verdade, o talento de nossa galeria é a formação de público”, observa ela, ao explicar por que Brasília foi escolhida para receber a Casa Albuquerque, que será aberta no sábado (7).

***

Flávia diz que a capital federal tem acervo rico e muito importante de arte moderna, “mas ainda é tímida em relação à arte contemporânea”. A escolha do imóvel, o segundo andar de um prédio de dois pavimentos no Lago Sul, contou com a ajuda de amigos dos Albuquerque que moram lá. Em novembro, a reforma foi iniciada para que a inauguração coincidisse com a abertura das temporadas das galerias de arte. Para marcar a inauguração da Casa Albuquerque, será apresentada a exposição Natura, com obras de Claudia Jaguaribe e Mariannita Luzzati.

BODAS DE PRATA
VIDA LONGA AO TEATRO

Os 25 anos da Cia. Candongas serão comemorados com nova temporada paulista do espetáculo Sísifos, de 12 a 15 de março, no Galpão do Folias, dentro da programação do FarOFFa Circuito Paralelo de Artes de São Paulo. O grupo será o único representante mineiro no evento. FarOFFa é um circuito paralelo à Mostra Internacional de Teatro de São Paulo. Sísifos tem dramaturgia de Guilherme Théo e Gustavo Bartolozzi a partir de pesquisa sobre o Teatro do Absurdo. A direção é assinada por Cláudia Henrique, integrante da companhia. Gustavo Bartolozzi e Wesley Simões também estão no elenco.

SOLIDARIEDADE
MULHERES E CRIANÇAS

O Núcleo Assistencial Veleiro da Esperança (Nave), que atende 850 mulheres e crianças em situação de vulnerabilidade devido à violência por parte de algum familiar, é o primeiro projeto abraçado pelo Protesto Solidário em 2020. Desde 2014, o programa social do Instituto de Protesto MG, entidade que representa os cartórios de protesto do estado, beneficia instituições e iniciativas sociais de Minas. Em 2019, cerca de três mil pessoas e 12 instituições foram favorecidas – entre elas, Casa de Apoio Contagem, Cidade Refúgio, Lar de Antônio Tereza e o Colégio Ressurreição, em Pedra Azul.

ATENÇÃO FEMININA
CUIDADOS COM SAÚDE

Com a chegada do mês dedicado às mulheres, a Associação de Ginecologistas e Obstetras de Minas Gerais (Sogimig) dá início à campanha Saúde da Mulher por Toda a Vida. Por meio de rodas de conversa com especialistas, distribuição de guia da saúde e lançamento de hotsite, a iniciativa atende pacientes da fase infantojuvenil à maturidade. A divulgação conta com o apoio 
 de Bebel Soares, do grupo de mães Padecendo no Paraíso, de Paulinha Ribeiro, artista plástica e administradora da Casa Rosa do Bonfim, da atriz Cida Barcelos, idealizadora do projeto Hortelões da Lagoinha, e das jornalistas Daniella Zupo, Roberta Zampetti, Grazi Mendes Rangel, Emiliana Fonseca e Fernanda Ribeiro.

PARA A GAROTADA
DEMOCRATIZAÇÃO DA CULTURA

Zoró Zureta, musical idealizado pelo cantor e compositor maranhense Zeca Baleiro, vai marcar a abertura do Diversão em Cena ArcelorMittal, em 5 de abril, no Teatro Centro Cultural Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte. No roteiro, as canções Onça pintada, O ornitorrinco, Minhoca dorminhoca e Papai e mamãe. Até o fim do ano, o projeto atenderá 39 comunidades de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia. Ao longo da década, cerca de 425 mil pessoas conferiram 1,3 mil espetáculos promovidos pelo Diversão em Cena.

CCBB
ENCANTO PORTUGUÊS

Desde janeiro, a exposição Poteiro, o popular e o público atraiu cerca de 20 mil pessoas ao CCBB, na Praça da Liberdade, em BH. O acervo reúne 29 telas de encher os olhos assinadas pelo português Antônio Poteiro. A mostra poderá ser visitada até 30 de março. No sábado (7), às 16h, haverá palestra gratuita do curador Leno Veras.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade